Poucas foram as cerimônias que conseguiram unir o sentimento do dever cumprido às promessas de um futuro explendoroso, somando-se a tudo isso, emoção e cumplicidade. Foi exatamente esse o sentimento que pairava no ar, durante a abertura da “Suprema Congregação Maçônica do Grande Oriente do Brasil”, que antecedeu a diplomação de posse dos IIr.’. Marcos José da Silva e Cláudio Roque Buono Ferreira, durante Sessão Pública realizada na manhã de 24 de junho. A equipe da Editora Domínio cobriu todo o evento.

A Suprema Congregação do Grande Oriente do Brasil- GOB, sob os auspícios do Grande Arquiteto do Universo e constituída pelo Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Soberano Irmão Laelso Rodrigues, Grão-Mestre Adjunto, Sapientíssimo Irmão Marcos José da Silva, Presidente da Assembléia Federal Legislativa, Sapientíssimo Irmão Arquiariano Bites Leão, Procurador Geral do GOB, Eminente Irmão Antônio Adonel Gomes de Araújo, e pelos Eminentes Grão-Mestres dos Estados de, São Paulo­ Benedito Marques Ballouk Filho; Pernambuco – José Marcelo Braga Sobra; Ceará – Valdir Chagas; Minas Gerais – Amintas de Araújo Xavier; Santa Catarina – IB Silva; Paraná – Dalmo Wilson Louzada; Goiás – Eurípedes Barbosa Nunes; Bahia – Humberto Lopes Cedraz; – Maranhão – José de Jesus Bíllio Mendes; Rio Grande do Norte – Luiz Gonzaga de Oliveira; Piauí – Francisco José de Souza; Distrito Federal – Jafé Torres; Paraíba – Aderaldo Pereira de Oliveira; Pará – Waldemar Alberto Chaves Coelho; Espírito Santo – Cecílio Andrade de Oliveira; Rio de Janeiro – Eduardo Gomes de Souza; Amazonas – Antônio José Souto Loureiro; Alagoas – José Bezerra de Melo; Mato Grosso do Sul- Gessírio Domigos Mendes; Mato Grosso – Julio Tardin; Sergipe – José Francisco da Rocha; Rio Grande do Sul – Mário Juarez de Oliveira; Rondônia – Euclides Sampaio Fróes; Roraima – João Batista Carvalho de Aguiar; Tocantins – Alan Divino Siqueira de Souza e Acre – José Augusto de Araújo Rodrigues e pelo Secretario de Gabinete do GOB, Irmão João Francisco Guimarães, reunida em Brasília-DF, nos dias 21, 22 e 23 de junho.

Mais Celebrações…

Paralelamente ao evento, as presidentes estaduais da Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul reuniram-se para o seu IV encontro, e realizaram a transmissão de cargo da ex-presidente nacional da entidade, sobrinha Márcia Cristina Rodrigues, para a atual, cunhada Lígia da Silva. A posse ocorreu na manhã de sábado, dia 22.

Ainda como parte das celebrações, o então Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Soberano Laelso Rodrigues, em nome dos membros da instituição, entregou na noite de segunda-feira, 23 de junho, a comenda de reconhecimento maçônico para o ministro do Supremo Tribunal Federal e atual Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Sr. Marco Aurélio Mello. Na mesma sessão, também se fez presente o Governador do Distrito Federal e Obreiro da Loja Areópago de Brasília n° 3001, Ir.’. José Roberto Arruda.

A Sessão mostrou o porque o Soberano Marcos José da Silva e o Sapientíssmo Cláudio Roque Buono Ferreira foram os eleitos para assumir o primeiro malhete do GOB. Esses IIr.’. são pessoas que mantém o enfoque na excelência e cercam-se de pessoas que seguirão seu exemplo; são líderes natos, pois conquistaram seus objetivos, não com força, mas com sabedoria, sempre ouvindo e compreendendo, com ponderação e paciência, todos os pontos de vista de seus IIr.’.. Assim como todos os grandes líderes, nossos Grão-Mestres não são pessoas agressivas, têm confiança, coragem, humildade e jamais fazem uso do medo para controlar seus subordinados.

Durante muitos anos, as pessoas foram treinadas a acreditar que o termo liderança estava relacionado somente às funções básicas da administração, que são planejar, organizar, dirigir e controlar. Entretanto, sabe-se que liderança pressupõe relações de influência e reciprocidade para a consecução de um ou mais objetivos.

Um dos grandes desafios para qualquer instituição é o de encontrar pessoas capazes de exercer, com excelência, o papel do líder. Líderes e liderados devem aprender a aproveitar o potencial uns dos outros, respeitando as diferenças e os estilos, desenvolvendo a confiança e o diálogo. É necessário que haja afinidade e interesses verdadeiros para que o sucesso desta interação ocorra.

Os Grão-Mestres têm de compreender as forças e as fraquezas do seu grupo, o que cada Ir.’. possui de melhor, suas diferenças, a maneira como cada um vivência seus talentos, além de saber o que isso representa no contexto da Ordem. A missão de um líder é motivar, desenvolver e estimular pessoas para que elas desempenhem o seu papel da melhor maneira possível, objetivando o sucesso do GOB, que também se traduz em sucesso pessoal. E esta não é uma tarefa fácil, pois saber reconhecer os diferentes perfis e mesclá-los dentro de uma equipe será sempre um grande desafio!

Com tudo isso, nós, do Grande Oriente do Brasil, acreditamos que a nossa frente está um Grão-Mestre líder, e que nesses próximos anos, apenas colheremos os frutos de uma administração próspera e profícua.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.