Há exatamente quatro anos, um grupo de mestres maçons, capitaneados pelo irmão Carlos Brasílio Conte, Assistente Estadual da Secretaria de Cultura e Educação Maçônicas do Grande Oriente de São Paulo, encenaram pela primeira vez na história da maçonaria brasileira uma peça teatral maçônica, em sessão aberta no grau de mestre, no interior de um templo maçônico.

Trata-se da peça “A Lenda do III Grau”, inspirada em rituais maçônicos do Rito Escocês Antigo e Aceito, assim como nos respectivos textos bíblicos que lhe deram origem (A Bíblia – Antigo Testamento, Reis I e II).

A escolha do REAA, justifica o Irmão Carlos Brasílio Conte, se deve unicamente ao fato de ser este o Rito Maçônico majoritário no Brasil, adotado pela maioria das Lojas do Grande Oriente do Brasil.

A peça, encenada de forma teatral, com diálogos, ação, trilha sonora, efeitos de luz e figurinos da época, narra a história, bem conhecida pelos mestres maçons, da construção do primeiro templo do rei Salomão e do drama de seu principal artífice, personalidade paradigmática da tradição maçônica universal.

A Lenda do III Grau, importantíssima, é realmente a base essencial do desenvolvimento doutrinário e ritualístico de uma loja de mestres maçons e sua apresentação, na forma teatral, objetiva facilitar a compreensão de seus valores implícitos, tais como dever, lealdade, compromisso, justiça, honra, fraternidade e sabedoria, além da abordagem de questões filosóficas e espirituais (morte, renascimento,
imortalidade, etc.).

A peça, baseada em um roteiro original de Carlos Brasílio Conte, deu origem à criação do Núcleo de Dramaturgia do GOSP, oficializado pelo decreto 428, publicado no Boletim Oficial de 25/02/2011.

O atual Grão-Mestre do Grande Oriente de São Paulo, Eminente Irmão Mário Sérgio Nunes da Costa, assim como o seu Grande Secretário Estadual de Cultura e Educação Maçônicas, Poderoso Irmão Valter Sérgio de Abreu, que aprovaram e incentivaram, desde o início, o projeto, dando o indispensável apoio logístico (espaço físico para os ensaios), na atual gestão têm prestigiado a peça teatral, comparecendo por duas vezes na sua apresentação e cedendo horários no palácio maçônico para as reuniões e ensaios dos atores.

O grupo teatral conta hoje com 18 atores, todos mestres maçons (a maioria mestres instalados). Todos são amadores, porém desempenhando seu papel com muita garra, empenho e entusiasmo.

A peça já foi apresentada, sempre a convite de Irmãos ou de Lojas, em 46 templos maçônicos do GOSP, da GLESP e do GOP, na capital paulista e em inúmeras cidades do estado de São Paulo.

Importantíssimo é ressaltar que, graças à improvisação, criatividade e empenho de todos os seus participantes, o custo de produção e apresentação da peça é zero para as Lojas que queiram assistir a essa belíssima encenação em seus Templos.

Todo o trabalho desenvolvido é voluntário, sem fins lucrativos e tem como única patrocinadora a Grande Secretaria de Cultura e Educação Maçônicas do Grande Oriente de São Paulo.

As lojas e os Irmãos que tiverem interesse em trazer a peça teatral para as suas cidades devem contatar o Irmão Carlos Brasílio Conte.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.