A Tatuagem é uma técnica milenar de marcação definitiva, originalmente feita perfurando-se a pele com espinhos ou ossos, e aplicando-se tinta sobre os furos, para que penetrasse por baixo da camada epidérmica. No Egito (4000 a 2000 A.C.) era prática usual e exclusiva para membros da realeza, como símbolo de status e com função religiosa.

“Ötzi”, a múmia de um homem congelado, datada de 5000 anos, foi encontrada nos Alpes europeus, entre a Itália e a Áustria. O corpo, bastante preservado no gelo, mostra uma série de tatuagens ao longo da coluna, com padrões de pontos e linhas simples, somando, ao todo, 57 sinais.

Os Incas, Astecas e Maias, nas Américas, também conheciam a técnica de tatuar, usada em sacerdotes e reis. O clima desértico preservou diversos corpos tatuados Os índios amazônicos também conhecem a tatuagem, que é feita normalmente perfurando a pele com espinhos e usando tinta de jenipapo Modernamente a tatuagem teve grande divulgação através de países polinésios e asiáticos.

Nativos do Tahiti, Chineses e Japoneses alteraram o conceito original da tatuagem e a popularizaram como manifestação artística. Marinheiros, presidiários, até mesmo nazistas, foram responsáveis pela má fama adquirida pela tatuagem. Grande parte da sociedade ainda aconsidera um tipo de contravenção, ou algo a ser criticado e evitado. No entanto, jovens em todo o mundo passaram a utilizá-la de forma artística, tornando-a um item da moda e do bom gosto.

“O primeiro funeral maçônico registrado na Califórnia ocorreu em 1849. O morto era um maçom que afogou-se no mar. Tinha uma marca de Mestre tatuada. No seu braço esquerdo havia um E.A. e no direito um F.C. No seu peito esquerdo as luzes da Maçonaria, e no direito um pote de incenso. Em outras partes do seu corpo havia um coração, espada, o olho que tudo vê, ampulheta, sol, lua, cometa, 3 degraus, a Virgem Lacrimosa, e o deus Chronos com sua foice” Anúncio num Jornal Londrino em 1900.

O tatuador oferece, entre outras coisas, serviços de tatuagens de jóias maçônicas, símbolos e desenhos emblemáticos.

Fatos Recentes

Yasha Beresiner, Ex-Venerável da Loja Quatour Coronati (Inglaterra) publica um artigo sobre Tatuagens Maçônicas e propõe a criação de uma Tatto Lodge.

O Jornal The New York Times publica uma entrevista com o Ir.’.Savini, representante daGrande Loja de Nova York onde ele informa que a Maçonaria não obriga seus membros a se tatuarem, mas que ele mesmo tem uma tatuagem maçônica.

Algumas Considerações

A tatuagem é uma manifestação estética como outra qualquer. Tem milênios de existência e tradição. Ao longo do tempo teve seu conceito alterado diversas vezes, sem nunca deixar de ter profundo significado simbólico. Hoje é largamente aceita e utilizada por grande parte da população mundial. As tatuagens maçônicas não são comuns no Brasil, o que não ocorre em outros países como Inglaterra e Estados Unidos. Nessas sociedades, a tatuagem maçônica demonstra muito mais o orgulho de ser maçon, do que o desejo de publicidade.

2 Responses

  1. Felipe Chagas

    Olá, meu nome é Felipe Chagas e sou estudante, tenho 17 anos atualmente e me interesso pelo assunto – a Maçonaria. Recentemente um professor de História na escola onde estudo colocou em questão a participação da maçonaria no Brasil, inconfidência mineira, cisão com a Igreja Católica e Independência. Gostaria de saber se posso receber algum auxilio na resposta a essa questão, que acabou tornando-se um seminário a ser apresentado. Novamente, o assunto me interessa e é instigante para o aprendizado.

    Obrigado pela atenção,

    Felipe Chagas

    Responder
  2. Alexandre Modesto Braune

    Existem duas abreviaturas no texto que gotaria de entendê-las. São “No seu braço esquerdo havia um E.A. e no direito um F.C.”

    Aguardo retorno

    Responder

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.