Suprema Congregação do GOB-2011 teve 17 Grão-Mestres novos e, como diz o dito popular “Vassoura nova varre mais”, este ano os Grão-Mestres recém eleitos e os reeleitos se integraram com muita facilidade e de forma harmônica. A Rede Colmeia mostrará os eventos paralelos que ocorreram durante a Suprema Congregação do GOB-2011.

 

RGF CAPÍTULO IV – DA SUPREMA CONGREGAÇÃO
Art. 191. Compete à Suprema Congregação da Federação:
I – propor a definição da posição do Grande Oriente do Brasil perante as políticas públicas;
II – discutir e propor soluções sobre assuntos maçônicos de interesse regional dos Grandes Orientes Estaduais e do Distrito Federal;
III – discutir e propor soluções sobre assuntos maçônicos de interesse nacional do Grande Oriente do Brasil;
IV – propor métodos para resolução de problemas administrativos da Maçonaria nos Municípios, nos Estados, no Distrito Federal e na Federação;
V – propor o estabelecimento de metas para o crescimento das Lojas incentivando as iniciações;
VI – incentivar a política de assistência social a Maçons e não-maçons;
VII – recomendar a participação da Maçonaria nas entidades representativas da educação, saúde,
segurança, meio-ambiente e infraestrutura;
VIII – recomendar e incentivar a participação da Maçonaria nos movimentos em defesa da vida, da ética, da moral, dos bons costumes, da soberania nacional e contra a miséria, corrupção, drogas e assemelhados.
Art. 192. Nas convocações das reuniões da Suprema Congregação da Federação feitas pelo Grão-Mestre Geral, este elaborará as pautas.
Art. 193. Nas convocações das reuniões da Suprema Congregação da Federação feitas por metade mais um dos seus membros, estes elegerão comissão para elaboração da pauta.
Art. 194. As proposições do plenário da Suprema Congregação da Federação obrigam os vencidos ao seu cumprimento.
Parágrafo único. O quorum exigido para a deliberação sobre as proposições é de dois terços dos membros da Suprema Congregação da Federação.
Art. 195. As proposições e recomendações decididas favoravelmente pela Suprema Congregação da Federação serão encaminhadas pelo Grão-Mestre Geral às autoridades e instituições a que se destinam, respeitadas as competências constitucionais.

À Glória do Grande Arquiteto do Universo – Suprema Congregação do Grande Oriente do Brasil – 2011

A Suprema Congregação do Grande Oriente do Brasil – GOB, sob os auspícios do Grande Arquiteto do Universo, sob a Presidência do Soberano Grão-Mestre Geral, Irmão Marcos José da Silva e com a presença do Sapientíssimo Irmão Cláudio Roque Buono Ferreira, Grão-Mestre Geral Adjunto, do Sapientíssimo Irmão Arnaldo Sóter Braga Cardoso, Presidente da Soberana Assembleia Federal Legislativa, do Sapientíssimo Irmão Henrique Marini Souza, Presidente Supremo Tribunal Federal Maçônico, e pelos Eminentes Grão-Mestres das Jurisdições: Acre – José Rodrigues Telles, Alagoas – Álvaro Mendonça Alves, Amazonas – José Artur Pozzetti, Amapá – Valdim Ferreira de Souza, Bahia – Sílvio Souza Cardim, Ceará – José Anízio de Araújo, Distrito Federal – em exercício Lucas Francisco Galdeano, Espírito Santo – Américo Pereira Rocha, Goiás – Eurípedes Barbosa Nunes, Maranhão – José de Jesus Bíllio Mendes, Mato Grosso – Júlio Tardin, Mato Grosso do Sul – Márcio Lolli Ghetti, Minas Gerais – Amintas de Araújo Xavier, Paraná – Dalmo Wilson Louzada, Pará – Raimundo Farias, Paraíba – Aderaldo Pereira de Oliveira, Pernambuco – Daury dos Santos Ximenes, Piauí – Francisco José de Sousa, Rio de Janeiro – Interventor Paulo Gomes dos Santos Filho, Rio Grande do Norte – Miguel Rogério de Melo Gurgel, Rio Grande do Sul – Jorge Colombo Borges, Rondônia – Juraci Jorge da Silva, Roraima – Divino Carlos Gouvêa, Santa Catarina – Wagner Sandoval Barbosa, São Paulo – Mário Sérgio Nunes da Costa,Sergipe – Lourival Mariano de Santana, Tocantins – Antônio Ernani Martins e pelo Secretário-Geral de Gabinete do GOB e Secretário-Geral da Suprema Congregação, Irmão João Francisco Guimarães, reunida em Brasília-DF, nos dias, 05, 06 e 07 de agosto, aprovaram as seguintes proposições as quais submetemos à apreciação do Soberano
Grão-Mestre Geral:

I – CONSOLIDAÇÃO:

Considerando a existência de vários temas distribuídos de forma fragmentada em diversos textos e dispositivos legais, com hierarquias diferenciadas, bem como normas legais que não foram recepcionadas pela nova ordem Constitucional vigente;

Considerando as dificuldades de vigência e aplicabilidade desta legislação e a insegurança jurídica que esta situação gera;

Propõe-se que seja providenciado, urgentemente, anteprojeto de Lei para a atualização, a adequação e a consolidação das normas que compõem a ordem jurídica do GOB, especificamente o Regulamento Geral da Federação, o Código Eleitoral, os Códigos Penal e Processual Penal, Regimento de Recompensas Maçônicas e as demais normas infralegais etc., por intermédio de técnicos especializados da área jurídica;

II – CRESCIMENTO

Considerando que o crescimento qualitativo da Ordem Maçônica pressupõe:
(a) um critério mais rigoroso e apurado para o ingresso de candidatos e o retorno de maçons inativos;
(b) a permanência dos Maçons nas suas Lojas e o seu efetivo comprometimento com a Ordem, contribuindo para o fortalecimento das Lojas, a fim de que possam promover suas atividades de forma sustentável;
(c) a expansão racional do número de Lojas de forma ordenada e planejada;

Propõe-se:
(a) a observação rigorosa da legislação vigente para as iniciações, filiações e regularizações, com a avaliação consciente das Lojas dos seguintes aspectos pessoais: o convívio social, qualificação perante a sociedade, disposição para comportamento das obrigações a serem assumidas, caráter profissional ilibada e comprometimento com
a Instituição;
(b) a implementação de ferramentas e instrumentos aos obreiros das Lojas, de estímulo, de motivação, de cultura, de educação e de dedicação à Ordem;
(c) que o Poder Central e os Grandes Orientes Estaduais liderem e incentivem as Lojas a encontrarem a sua vocação e o seu propósito dentro da Ordem, priorizando Orientes que reúnem condições socioeconômicas para recepcionar uma loja maçônica e que ainda não tenham representação do GOB.

III – CONTINUIDADE

Considerando que a “Carta de Brasília” contém temas de profunda e relevante amplitude para os rumos da Ordem, advindo das autoridades máximas e legítimas do Grande Oriente do Brasil, e que a mesma necessita reunir instrumentos eficientes para a sua efetiva operacionalização;

Propõe-se que:
(a) a Carta de Brasília passe a ser supletivamente normatizadora, isto, é, um documento que contenha procedimentos práticos para a sua execução;
(b) o Grande Oriente do Brasil, manifeste sua opinião junto ao público não-maçom, como palavra de ordem da Federação, sobre os temas relevantes que aflijam o
povo brasileiro;
(c) sejam difundidos junto à opinião pública os projetos elaborados e em execução, no âmbito da Federação do GOB;
(d) seja instituída, no âmbito do GOB, uma comissão para o acompanhamento da implementação das decisões emanadas durante a Suprema Congregação;
(e) sejam exortados os membros das Mesas Diretoras das Lojas, que incentivem seus Obreiros a integrarem-se à comunidade de seus respectivos âmbitos, prestando serviços e participando ativamente dos Conselhos Municipais e grupos de trabalhos que elaborem ou acompanhem a efetivação de políticas públicas;
(f) sejam revistos os critérios legais, aplicáveis à análise de documentos referentes às Iniciações e fundação de Lojas;
(g) que as Lojas incentivem a criação e manutenção das Entidades Paramaçônicas, como um dos objetivos principais para o desenvolvimento efetivo das Oficinas e consequente inserção na comunidade, além do real comprometimento de suas responsabilidades sociais;
(h) que seja definido, pelo plenário da Suprema Congregação, um tema com objetivo macro, a ser trabalhado no âmbito da Federação do GOB;
(i) que seja avaliada a pertinência da realização de um censo, em cada unidade da Federação do GOB, obedecendo a parâmetros a serem estabelecidos pelo Grão-Mestre Geral.

Veja o vídeo pelo link www.youtube.com/redecolmeia

Assinado por todos os GM´s.

Supremo Conclave e Conselho do Brasil firmam Tratado

Na quarta-feira, 03 de agosto, foi firmado o Tratado Maçônico de Aliança, Fraternal Amizade e Estreita Colaboração entre o Supremo Conclave do Brasil para o Rito Brasileiro de Maçons Antigos, Livres e Aceitos e o Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o R∴E∴A∴A∴ (Campo de São Cristóvão), destinado a aumentar a área de fraternidade maçônica para que todos os maçons brasileiros se reconheçam como verdadeiros Irmãos.

O Tratado foi assinado pelo Grande Comendador, Soberano Irmão Enyr de Jesus da Costa e Silva e pelo Grande Primaz do Rito, Soberano Irmão Nei Inocencio dos Santos.

Para visualizar o Tratado acesse: www.gob.org.br/gob/download/Tratado.pdf

FRAFEM – Fraternidade Feminina – 2011

05 de agosto de 2011, começou o VII Encontro da Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul. A mesa estava composta pelo Secretário Geral de Entidades Paramaçônicas, Eminente Irmão Juvenal Antunes Pereira; pela Presidente Nacional da FraFem, Cunhada Lígia Castro da Silva e pela Vice-Presidente da Nacional da FraFem, Cunhada Flora Rios.

Na ocasião, todas cantaram o hino da Fraternidade; posteriormente, a Cunhada Flora Rios conduziu a abertura e agradeceu pela presença de todas as Fraternas. O Eminente Irmão Juvenal deu as boas vindas, às 17 novas cunhadas eleitas no cargo de Presidentes Estaduais e a Cunhada Lígia Castro deu inicio ao VII Encontro Nacional. A Cunhada Flora Rios apresentou da Lei nº 0081/2005.

No período da tarde, foi trabalhado em Grupo, a Lei nº 0081/2005, onde houve apresentação de resultados e debates.

A Fraternidade Feminina foi criada pela Constituição do GOB em 1967, normatizada pela Lei nº 030 de 09/10/96 aditada e alterada pela Lei nº 0081 de 23/06/2005. É uma associação paramaçônica, patrocinada pelo Grande Oriente do Brasil, vinculada a uma ou mais Lojas Maçônicas da Federação.

A Diretoria Nacional, as Diretorias Estaduais e os Grão-Mestres Estaduais, estão desenvolvendo todo o apoio necessário para o fortalecimento das Fraternidades Femininas. Entendem que uma Loja Maçônica será sempre mais alegue, pacífica e trabalhadora, com a presença e participação das mulheres. Somos instrumentos de integração e fortalecimento da Família, instituição considerada a mais importante pela Maçonaria.

Então, ao cadastrar a sua Fraternidade, emitir o seu relatório, poderemos identificar e somar toda a atividade feminina paramaçônica do país, pleiteando novos apoios.

As atividades femininas numa Loja Maçônica, conscientizam os maçons do nosso papel de mulher na educação, saúde, união e presença cristã em nossos lares.

Então, nós mulheres devemos organizar a Fraternidade Feminina dentro da Loja Maçônica, sempre apoiadas e em consonância com o Venerável e os membros do Quadro, passando a dar suporte e motivação ao trabalho das causas sociais, como APJ, Maçonaria Contra as Drogas, assistência social e beneficência.

OBJETIVOS

A Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul tem por objetivo:
I – Desenvolver trabalhos de natureza cultural, promovendo debates, encontros, seminários, conferências e outros eventos que valorizem a participação da mulher na comunidade social;
II – Desenvolver outras atividades de caráter social, cultural, bem como cívicas e filantrópicas;
III – Coadjuvar e apoiar atividades sociais, culturais e filantrópicas de entidades congêneres, particularmente da Ação Paramaçônica Juvenil;
IV – Promover por todos os meios a seu alcance, o bem estar da família das associadas, incentivando sua integração na comunidade;
V – Apresentar ao Grande Oriente do Brasil, por meio das Lojas federadas, propostas de efetiva participação da Fraternidade Feminina nas atividades comunitárias em comum com os obreiros;
VI – Estimular a prática da fraternidade entre as famílias associadas, dando ênfase às famílias dos maçons falecidos e inválidos, por meio de encontros, certames e visitas.

PRINCÍPIOS GERAIS

A Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul tem por princípios gerais:
I – A defesa dos deveres básicos de amor à família, fidelidade e devotamento à Pátria, cumprimento da lei e dedicação à comunidade;
II – O trabalho nobre e dignificante, como direito inalienável;
III – A livre manifestação do pensamento e a prática da tolerância, princípios basilares das relações humanas, respeitadas as ideologias e a dignidade de cada uma;
IV – A promoção do reconhecimento e das prerrogativas relativas aos direitos universais da Mulher.
Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul – Diretoria Executiva Nacional – Presidente Lígia Castro da Silva, Vice-Presidente Flora Rios Mendes, Diretora Financeira Maria da Glória G. Leão, Diretora Secretária/Executiva Káthia Luzia C. V. Santos, Diretora Social/Cultural Vera Lúcia Brandão Barbosa.

Conselho Federal do GOB realiza Sessão de nº 311

A reunião foi presidida pelo Sapientíssimo Ir∴ Cláudio Roque Buono Ferreira e contou com a presença de 24 (vinte e quatro) Conselheiros Federais e 10 (dez) Irmãos visitantes.

O Conselho Federal do GOB realizou nesta sexta-feira, dia 05/08, a sua 311º reunião, presidida pelo Sapientíssimo Irmão Cláudio Roque Buono Ferreira, contando com a presença do Soberano Irmão Marcos José da Silva, Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil e de diversas outras autoridades maçônicas.

Na abertura dos trabalhos o Presidente do Conselho Federal deu boas-vindas aos presentes e solicitou ao Poderoso Irmão Mauro Alves Ferreira, Decano do Conselho Federal, que evocasse uma prece ao Grande Arquiteto do Universo. Informa o falecimento do Poderoso Irmão Romeu Bonini solicitando que todos os presentes fizessem, em silêncio, uma prece em homenagem à alma do falecido Irmão, ocorrido no dia 04.08.2011, na cidade de Itápolis-SP, cabendo ao Poderoso Irmão Duarte Vaz proferir algumas palavras acerca do Poderoso Irmão Romeu Bonini.

Após a aprovação da ata da sessão anterior, o Presidente do Conselho concedeu a palavra ao Soberano Irmão Marcos José da Silva que agradeceu aos Conselheiros pelo apoio que tem dado à administração do GOB. Informou sobre a programação de 2012 quando o GOB completará 190 anos, falou sobre a construção do novo conjunto de templos, museu e salão de eventos no Grande Oriente do Brasil.

O Presidente do Conselho solicitou ao Eminente Irmão Ruy Ferreira Borges, vice-presidente do Conselho Federal, que procedesse a posse do Poderoso Irmão Antônio Nami, como Conselheiro Federal, em substituição ao Poderoso Irmão Edvaldo Ferreira da Silva, nomeado para o cargo de Ministro do Superior Tribunal Eleitoral Maçônico do Grande Oriente do Brasil.

O presidente da Comissão dos Normativos do GOB, Poderoso Irmão Lindemberg Castorino da Costa apresentou o relatório da Consolidação de Leis, Decretos, Atos, Portarias, Mensagens e Circulares do GOB, referente ao período de janeiro de 1930 até 1974, constando de 929 decretos, 2.433 atos, 4 portarias, 59 leis, 10 circulares, 3 mensagens, e 1 tratado, perfazendo um total de 3.439 documentos, correspondendo a 2.406 páginas digitadas.

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Poderoso Irmão Raymundo Regner, apresentou relatório dos trabalhos de revisão das Constituições Estaduais visando a adequá-las à Constituição do GOB, naquilo que esteja divergente.

Na Ordem do dia foi promovida a eleição e posse da Administração do Conselho, para o período de agosto de 2011 a julho de 2012, bem como de suas Comissões Permanentes.

O Conselho Federal, nesta sessão, analisou 24 (vinte e quatro) processos de alteração e revisão de estatutos, 02 (dois) balanços do GOB dos meses de maio e junho de 2011, a proposta orçamentária do GOB para 2012, um processo de quebra de juramento, um processo de criação de medalha e 5 (cinco) processos de Garante de Amizade.

No encerramento da Sessão o Sapientíssimo Ir∴ Cláudio Roque Buono Ferreira agradeceu a presença de todos e desejou um FELIZ RETORNO AOS SEUS LARES COM AS BENÇÃOS DO G∴A∴D∴U∴, extensivos a seus familiares.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.