Os passos que até há pouco ecoavam pelas galerias, silenciam.

A postos, no átrio, no refúgio da consciência os iniciados.

Despem­-se todos ali, de vaidades, orgulho, intolerância,
de toda profana roupagem.

A mente se concentra se aquieta; fundo ressoar de águas subterrâneas.

O intelecto sereniza.

Dulcíssimos, finíssimos sons de harpa.
Harmoniza­se o espírito.

Forma­se o cortejo
de entrada.

A inteligência é convocada.

A luz da sabedoria emanada das sendas, montanhas e entranhas magnificentes do Divino.

O sol da fraternidade, que perfuma o dia com seus raios vivificantes, inocula de vida e coreografias todo o santuário.
Uma só energia – mística, universal sinergia – enlaça todo o corpo templário.
O equilíbrio entre o lógico e o cósmico,
o primor da razão e da emoção.
Pórticos adentrados, transcendidos
pilares e colunas a serem mística,
simbolicamente trabalhados
tronos cinzelados
o burilar o próprio ser,
o querer, o ousar, o saber, o calar­se, o iluminar­se.

Sobre o Autor

ARLS Cavaleiros de São Tiago Nº 155 - São Tiago GOMG/COMAB

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.