Durante os trabalhos em Loja, pude notar um formigamento na mão esquerda, uma câimbra que, de início, remeteu-me a um alerta sobre uma possível enfermidade.

Pude perceber que este formigamento era mais intenso em determinados momentos da ritualística, como na abertura do L∴ L∴ e na oração final pelo V∴ M∴.
A repetição deste evento, justamente em pontuais momentos, justamente em precisos momentos da ritualística, levou-me à investigação.

Feita estas acepções, cediço que nada no mundo está parado. Tudo está em movimento, tudo oscila, tudo vibra.
E cada pessoa (corpo vibratório), vibra de um modo, emitindo energia de acordo com seu modo de pensar e agir (positividade, negatividade, dinamismo, passividade, preferências).
Necessário então, em Loja, nivelarmos as vibrações energéticas para que a sessão transcorra justa e perfeita.

Aí entra a ritualística!
O ritual é um conjunto de procedimentos objetivando a minimização destas diferenças, nivelando a vibração energética. Todos agem com um só corpo vibracional. Assim, a posição dos Oficiais e Luzes no Templo, o percurso sempre destrogeno no Ocidente (ou dextrogiro, quer seja, em sentido horário, da esquerda para a direita), os símbolos [que são representações (eXoterismo, com X), que detém vibrações com poder oculto (eSoterimo, com S), manifestados através de palavras e posições adequadas) e ainda os mantras (vibrações sonoras repetidas que, aliada a atitude mental, auxiliam na concentração) como a bateria, a aclamação Huzé, o bater repetido de malhetes, tudo está posicionado para melhor nivelar as vibrações energéticas.

Aliás, quanto ao mantra da aclamação, parceiros vibracionais de outra realidade a utilizam para fazerem uma leitura vibracional de cada, percebendo como estamos no momento.
E como o pensamento é quem precede o verbo, a mente igualmente emite vibrações, ondas energéticas que mudam a todo instante de acordo com o nosso momento.
Sim, o pensamente também emite ondas vibracionais (medidas inclusive em eletroencefalogramas).

Sabemos que atitudes desequilibradas individuais e coletivas geram energias negativas sobre a mente das pessoas comuns.
Então imperioso que os IIr∴ não rebaixem suas frequências, sendo perseverantes, pacientes e vigilantes, para que a harmonia e concórdia reine em suas mentes, carreando equilíbrio ao corpo vibracional.

Importante não se deixar conduzir pelas condições negativas do cotidiano, mas sim viver em estado de plenitude e harmonia, em sintonia com a Era Dourada, recebendo e enviando boas energias. Esta sintonia de vibrações iguais é o que chamamos de ressonância.

E os pensamento são, pois, ondas vibratórias lançadas (projetadas) a um destino ou objetivo. A cabeça humana é uma caixa craniana que amplia a projeção da energia (uma das atribuições da ressonância). Como experiência podemos ampliar o alcance do controle remoto de nosso veículo, colocando-o encostado na cabeça ou abaixo do queixo, mais que dobrando o seu alcance.

E, em nosso corpo vibracional, há redemoinhos de energia que giram em sentido horário (sentido destrogenico ou dextrógiro), conhecidos no hinduísmo como Chacras.
Há um chacra (redemoinho energético) que se localiza na posição da garganta, especificamente na tireóide e, quando estimulado carreia ao indivíduo grande capacidade mental e discernimento. Estimulamos este chacra com o sinal à ordem do aprendiz, fazendo-o girar à direita com o descarregamento (saudação) do sinal.

Há outros chacras: um localiza-se na posição do coração, chacra cardíaco, cujo elemento é o ar, e tem ligação com o amor incondicional, compaixão, equilíbrio, harmonia e paz. Aqui sentimentos materiais e egoísticos desaparecem e começam a surgir uma canalização para o caminho da consciência.

Há um chacra localizado 4 dedos acima do umbigo, que é o chacra do plexo solar, que é a porta de entrada para as energias externas. Quando sentir que está em um ambiente pesado, com energias de baixa vibração, proteja a região com as mãos entrelaçadas e dedos esticados. É um escudo repelente de energias negativas, função aqui atribuídas ao avental de aprendiz, com sua abeta levantada.

Há outro chacra (chacra esplênico) cuja localização é abaixo do umbigo, cujo elemento é a água e se harmonizado, ajuda na captação energética e assimilação de novas idéias, bem como no aumento da compreensão e tolerância.

Enfim, toda energia é “burra” e há de ser direcionada pela frequência que é emitida.
Daí trabalhar com energia exige muita responsabilidade e não pode estar a disposição de qualquer um.
Só assim agindo nossas sessões serão justas e perfeitas, bem como nos tornaremos menos individualistas, mais completos e em estado de unicidade com o Todo, transmitindo, onde passarmos, amor, saúde , alegria e harmonia.

Bibliografia
– CARDOSO JÚNIOR, Petrônio. Instruções do grau de Aprendiz e Companheiro. Loja Tiradentes,
1204. Or∴ Campo Belo, G∴O∴B∴, 2014
– CASTELLANI, José. Liturgia e Ritualística do grau de aprendiz maçon. A São Paulo: A Gazeta Maçônica, 1985
– FIGUEIRA, Ir∴ José Calazans Prado. Estudos Maçônicos: O avental do grau. Revista Universos Maçônicos. In < http://www.revistauniversomaconico.com.br/tempo-de- estudos/estudos-maconicos-o- avental-no- grau/ >, acesso em 30/10/2014.
– GRANDE ORIENTE DO BRASIL. Ritual. 1º grau. Aprendiz Maçom.São Paulo: Grande Oriente do Brasil, 2009
– SANSÃO, Ir∴ Valdemar. Aventais Maçônicos. In http://www.masonic.com.br/trabalho/vs02.pdf>, acesso em 08/11/2014.
– SIDOTI, Marcelo Margiglio. O poder da palavra e as palavras sagradas na maconaria, in www.maconaria.net. Aacesso em 06/03/2016.
– Site Wikipédia, in www.wikipedia.com.br.
– TANUERE, Antônio Cartlos.. Energia: Frequência, vibração e TLDC. Portal Pegasus, in www.pegasus.portal.nom.br, acesso em 06/03/2016.

Sobre o Autor

ARLS Tiradentes, n ̊ 1204 Oriente de Campo Belo • GOB/MG

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.