Em 7 de fevereiro de 1717, Jean-Theophile Desaguliers consegue reunir quatro Lojas metropolitanas para traçar planos referentes à alteração da estrutura maçônica. Nessa ocasião, é convocada uma reunião geral destas quatro Lojas para o dia 24 de junho de 1717, dia de São João Batista, sendo realizada uma assembleia de Maçons livres e aceitos, na Taberna “O Ganso e a Grelha”, na Praça da Catedral de São Paulo, com os membros dessas quatro Lojas Londrinas: Loja da Adega “Goose e Gridiron” (“0 Ganso e a Grelha”) da Catedral de São Paulo, Loja da “Adega da Coroa” (Coroa) na Avenida Parker, perto da Avenida Drury, Loja “Taberna Macieira”, à Rua Charles Street, Convent-Garden e a Loja “Rummer e Grapes” (“Taberna Caneca de Vinho”), em Channel-Row, Westminster. Reunidos juntos pela primeira vez, elegeram, com a mão levantada, o nobre Anthony Sayer para Grão-Mestre dos Maçons, sendo imediatamente investido nos adornos de seu ofício pelo mestre mais antigo, e instalado, sendo felicitado pela assembleia que lhe rendeu homenagens. Jacob Lamball e Joseph Elliot foram investidos como Grandes Vigilantes. Esta reunião se tornou histórica, onde procuravam soluções para suas situações, cada vez menos prósperas. Decidiram por agrupar-se, criando a Grande Loja de Londres, “Grande Loja dos Modernos”, unificando a Maçonaria Inglesa. A Franco-Maçonaria torna-se especulativa. Esta Grande Loja de Londres cresceu e multiplicou-se vertiginosamente. Das quatro Lojas originárias, em 1721 já eram 16,
e em 1723, 30.

Em 1723, após a conclusão da comissão composta por 14 Maçons, o atual Grão-Mestre da Honorável e Antiga Fraternidade de Maçons Livres e Aceitos, o Deputado do Grão-Mestre, os Grandes Vigilantes, os Veneráveis Mestres e Vigilantes das Lojas particulares, com consentimento dos Irmãos de dentro e de fora da cidade de Londres e Westminster, havendo também examinado essa obra, aderiram aos nossos louváveis predecessores, em solene Aprovação.

Aprovação da Constituição de 1723. Assinaram:
Felipe, Duque de Wharton – Grão-Mestre, J. T. Desaguliers, Doutor em Leis e membro da Real Sociedade – Deputado do Grão-Mestre Joshua Timson e Willian Hawkins – Grandes Vigilantes, Veneráveis e Vigilantes de mais de 20 Lojas. Após a aprovação, com pequenas modificações, James Anderson publica e apresenta, solenemente, o livro: “As Constituições dos Franco-Maçons”, contendo a História, Obrigações, Regulamentos, etc., da muito Antiga, Reta e Venerável Fraternidade, para uso das Lojas.

O livro continha: uma dedicatória de Desaguliers; uma curta história da Maçonaria, desde a criação do mundo; os Antigos Deveres, ou Leis Fundamentais (Old Charges); as 39 Antigas Obrigações ou Regulamentos Gerais de 1721, reunidos por George Payne; a aprovação do livro e os quatros Cantos Maçônicos; hino dos Vigilantes, hino dos Mestres, hino dos Companheiros e hino dos Aprendizes.

Em 1726, a 12 de junho, o lorde, Derwent-Water, que recebera da Grande Loja de Londres plenos poderes para constituir Lojas na França, constitui a Loja “São Tomas” em nome da Grande Loja de Londres.Em 1730, a 23 de abril, é fundada a Grande Loja de Massachusetts, nos Estados Unidos, dando início à Maçonaria na América.

No ano de 1732, quando foi Grão-Mestre Lord Visconde de Montagne, a Grande Loja de Londres teve um progresso franco e somente em Londres foram constituídas 18 Lojas e mais 7 no resto do reino. No ano de 1733, o Grão-Mestre Visconde de Montagne nomeia Henry Price Grão-Mestre da América do Norte. No dia 30 de julho, na Taberna dos Cachos de Uva em Boston, Henry Price organiza a Grande Loja Provincial de São João, criando uma Loja que recebeu o registro de número 126, da Grande Loja de Londres. No ano seguinte, constitui-se outra Loja na Filadélfia, da qual o primeiro Venerável Mestre é Benjamin Franklin.

Esta reunião se tornou histórica, onde procuravam soluções, para suas situações cada vez menos prósperas. Decidiram por agrupar-se, criando a Grande Loja de Londres

No ano de 1736 é constituída, pelo lorde Harnouester, uma Loja de direção francesa sob o nome de Grande Loja Provincial da Inglaterra, sendo presidente o lorde, Derwent-Water, e Orador o Irmão Ramsay. A formação dessa Grande Loja é feita pelos Mestres das Lojas: “São Tomas”, “Luis de Prata”, “Artes Santa Margarida”, “Aumont”, “A Perfeita União”, “São Martinho”, “São Pedro”, “São Paulo” e algumas outras. O novo Grão-Mestre provincial fez decretar que, no futuro, as Lojas que quisessem se constituir na França, teriam de se dirigir, diretamente, à Grande Loja Provincial da Inglaterra, não à Grande Loja de Londres.
No ano de 1738 é publicada a segunda edição do Livro das Constituições dos Franco-Maçons, por James Anderson.
No ano de 1753, na Inglaterra, os Antigos censuram os Modernos, por não estarem seguindo os mandamentos da Santa Igreja, Igreja Anglicana, e, para poder combatê-los, os Antigos formam em Londres a Grande Loja dos Antigos Maçons, sob o título de Grande Loja da Inglaterra. Segundo as Velhas Instituições, é eleito seu primeiro Grão-Mestre, Robert Turner.

No ano de 1756 ocorre a cisão da Maçonaria inglesa e francesa. A Grande Loja Provincial da Inglaterra, que se intitula Grande Loja Inglesa da França, se separa da Grande Loja de Londres, tomando o título de Grande Loja da França.

No ano de 1771, o Duque Philipe de Chartres torna-se Grão-Mestre da Grande Loja da França e tenta unificar as Lojas francesas, havendo reuniões destinadas a preparar uma nova organização. A 24 de dezembro, com as assembleias das Lojas, especialmente convocadas para esse fim, declarou extinta a Grande Loja.

A 9 de março de 1772, a mesma assembléia das Lojas que declarou extinta a Grande Loja da França, declara criada uma nova Grande Loja, a Grande Loja Nacional da França.

A 22 de outubro, reúne-se em assembleia geral a Grande Loja Nacional da França, e intitula-se Grande Oriente da França, o primeiro Grande Oriente do mundo que introduzia uma maneira nova e racional de administração maçônica.

No ano de 1777, a 27 de abril, os membros da Grande Loja dos Antigos Maçons, sob o título de Grande Loja da Inglaterra, tendo à frente o duque de Athol, baixaram instruções em que foi dito não poderem ser considerados Maçons os que trabalhassem sob os auspícios da Grande Loja de Londres.

No ano de 1813, com a reconciliação da Grande Loja de Londres e Grande Loja da Inglaterra, os Modernos e Antigos uniram-se formalmente, formando daí em diante a Grande Loja Unida da Inglaterra (United Grand Lodge of England), que passou a ser o corpo governante da Maçonaria especulativa nesse país, que decidiu trabalhar de acordo com o Rito dos Antigos, habituados a intitular-se Maçons de York, dando origem ao nome de “Rito de York, Maçonaria Inglesa ou de São João, e Rito dos Maçons Antigos, Livres e Aceitos da Inglaterra”, que reconhece os três Graus simbólicos, incluindo o Santo Real Arco. Com a unificação, é adotada a legenda “Audi, Vide, Tace”: “Ouça, Veja, Cale”.

Em 1992, consta que nos EUA existiam 51 Grandes Lojas, com 13.935 Lojas e 2.547.778 Obreiros, sendo que a metade se denomina Maçons Antigos Livres e Aceitos e os demais Maçons Livres e Aceitos. A diferença entre estas duas denominações se deve ao fato de as Grandes Lojas terem recebido, quando de sua criação, Cartas Constitutivas da Grande Loja da Inglaterra e Grande Loja da Escócia.

No ano de 1996, o cadastro da Grande Loja Unida da Inglaterra comporta o total de 8.057 Lojas, das quais 7.026 em atividade, sendo que somente na cidade de Londres funcionam 1.697 Lojas.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.