Em primeiro lugar estou muito agradecido ao editor da Revista Universo Maçônico, que me ofereceu a oportunidade ímpar, para tornar público fatos por mim vivenciados durante os meus 17 anos de moradia neste maravilhoso país, chamado Brasil. Efetivamente, sou um arquivo vivo da historia maçônica das Ordens de Aperfeiçoamento Maçônico e sua chegada ao Brasil.

Untitled-2.1Durante estes 17 anos que aqui estou já escutei verdades, inverdades e versões interessadas. Muitas vezes pensei em escrever a verdade vivida, mas sempre pensei que algum dia apareceria. Agora mudei de opinião e estou confessando à Revista Universo Maçônico, a “verdade vivida”, pois diante de egos incríveis, méritos incertos, infundados e referências depreciativas à minha pessoa, vou expor para o conhecimento geral dos maçons brasileiros a realidade de alguns fatos desconhecidos para a maioria.
A história não pode mudar, pois sempre aparecerá a verdade. Sempre haverá um investigador sério que a descobrirá. Agradeço a todos aqueles que estão juntos comigo, pois foram graças a eles, que as ideias e as intenções se transformaram em fatos. Ninguém faz nada sozinho; o sucesso é do grupo, nunca individual.

Antes de 1998, eu visitava o Brasil frequentemente por motivos familiares. Quando eu e minha esposa decidimos morar permanentemente no Brasil, já conhecia bastante a Maçonaria Regular brasileira e, por este motivo, sempre me surpreendeu a não existência de Ordens Maçônicas no Brasil, como Arco Real, Templários, Marca, Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa (CBCS), Sacerdotes Cavaleiros Templários (KTP) e tantas outras, das quais eu fazia parte e que já estavam fortemente implantadas, tanto na Europa como nos Estados Unidos e em outros países.

Por causa do meu sentido de Quixote, que às vezes me deu grandes alegrias, mas também em outras situações, foi de tristeza. Solicitei ajuda ao M.R.G.M. da G.L. da Espanha Ir∴ T. Sarobe para que, se as Obediências Regulares brasileiras aceitassem, fosse possível aportar algumas das Ordens Maçônicas complementares do Simbolismo. E assim foi como tudo começou a caminhar.
Naquela época, não podia ser membro do Grande Oriente do Brasil (GOB) por não estar reconhecido pela maioria do Mundo Maçônico Regular. Afiliei-me à Grande Loja do Estado de São Paulo, que na época estava reconhecida. Hoje sou membro regular do GOB, com muita honra. Para ser mais específico na Loja Madras, 3359.

Em 1999, celebrou-se em Honolulu (Hawaii) a reunião mundial de Grandes Lojas, a qual acudiu, entre outras, a GLESP e o GOB. Nesse evento houve dois fatos transcendentais. O primeiro foi uma reunião com o Grande Secretário da G.L. Unida de Inglaterra, R. Ir. J. Daniels, o M.R.G.M. da G.L. da Espanha, o S.G.M. da GLESP e eu mesmo, quando o G.M. da GLESP solicitou o reconhecimento da Inglaterra com a ajuda da G.L. da Espanha. O outro fato ocorreu no quarto do hotel, onde se alojava o Sob∴ Grão Mestre do GOB, que estava doente. Reunimo-nos com o Soberano Ir∴ Francisco Murilo Pinto, também o G.M. da G.L. da Espanha e eu mesmo, para tratar da possibilidade de um Tratado de Amizade entre o GOB e a GLESP.

O Soberano Murilo Pinto respondeu muito positivamente e solicitou ajuda da G.L. da Espanha para obter os reconhecimentos mundiais, pois o GOB possuía muito poucos. Ele teve o mérito de abrir o GOB ao mundo. Queria o melhor para os IIr∴ do GOB, que naquele tempo não podiam visitar a maioria das Obediências mundiais. A G.L. da Espanha, em fevereiro de 2000, cumpriu com sua palavra e apresentou a solicitação na reunião anual das GG. LL. da América do Norte.

Em outubro desse mesmo ano, foi assinado o Tratado entre o GOB e GLESP, onde tive a honra de assinar por último na representação da G.L. da Espanha. Foram negociadores pelo GOB o Emin∴ Ir∴ Rubens Barbosa de Mattos (OE) e pela GLESP o Resp∴ Ir∴ William Boucheb. No meu caso, realizei os labores de intermediação. A seguir, o GOB obteve os reconhecimentos mundiais e a GLESP da G.L. Unida da Inglaterra, que assim foi alcançado o objetivo fundamental.

Em novembro tive a honra de aportar ao Brasil à primeira Ordem fora do Distrito da Inglaterra, que foi a do Santo Arco Real, ao consagrar e constituir o Supremo Grande Capítulo da Espanha, três Capítulos e o Supremo Grande Capítulo do Estado de São Paulo, jurisdicionado à GLESP. Ajudei na cerimônia, do Supremo Grande Capítulo da Espanha, celebrada na cidade de São Paulo, como Segundo Grande Principal. Em 05 de fevereiro de 2003, a Inglaterra constituiu o Supremo Grande Capítulo do Arco Real do GOB.

Estou muito honrado do título de Primeiro
G. Principal Passado do S. G. Capítulo do GOB, que me outorgou o G.M. e Primeiro G. Principal S. e M. Ex. Cp. Q. Ir∴ Marcos José da Silva, por haver sido Primeiro G. Principal do Supremo Grande Capítulo do Estado de São Paulo.

Chegamos a março de 2003. Em Madri, o E. e S. G.M. do Grande Priorado da Espanha outorgou Cartas Patentes de quatro Preceptórios Templários e Priorados de Malta, para o Brasil: Hugo de Payns nº 9,  Duque de Caxias nº 10, Barão de Mauá nº 11 e Dom Pedro I nº 12, e consagrou a Província do Brasil designando ao que subscreve que era G. Senescal Passado da Espanha, como primeiro G. Prior Provincial, realizando a Armadura a Cavaleiros Templários e Malta de Companheiros do Arco Real, membros do GOB a seguir:

• Sapientíssimo Ir∴ Cláudio Roque Buono Ferreira, na época E. Grão-Mestre do Grande Oriente do Estado de São Paulo, federado ao GOB, que logo seria Sapient∴ Grão-Mestre Geral Adjunto do GOB.
• E. Ir∴ Fernando Tullio Colacioppo Jr., Grande Secretário de Relações Exteriores do GOB.
• P∴ Ir∴ Manoel Oliveira Leite, logo G.M. do Grande Priorado do Brasil das Ordens Unidas, entre outros cargos.
• E outros cinco IIr∴ – sendo todos instalados como Preceptores e Priores.
Nesse mesmo mês, em São Paulo/SP, tive a honra de armar Cavaleiro Templário o Soberano G∴M∴ Geral do Grande Oriente do Brasil, Q. Ir∴ Laelso Rodrigues, sendo-lhe outorgado pelo G.M. da Espanha o título de Grande Senescal Passado e G. Capitão Geral de Malta do G.P. da Espanha. Igualmente receberam honras o Sap∴ Ir∴ Claudio Roque Buono Ferreira e o E. Ir∴ Fernando Tullio Colacioppo Junior, como Comendadores do Templo e Tenentes Gerais de Malta.
A Ordem do Templo havia chegado ao Brasil.

Em 2004, o G. Priorado da Espanha tinha a intenção de constituir um G. Priorado Nacional no Brasil, com base nos Preceptórios e Províncias existentes, mas tendo notícia de que a Inglaterra também pretendia criar outro somente para o GOB, propus ao E.S.G.M. E.S. do G.P. da Espanha que visse a possibilidade, com a Inglaterra, de constituir um único G. Priorado. Havendo sido aceita a ideia, reuni-me no Rio de Janeiro com o logo E. e S. Cavaleiro Francis McCormick, OMS, que, infelizmente para todos, e especialmente para a Maçonaria brasileira, recentemente voltou ao O.E. Eu lhe fiz essa proposta, tendo como testemunha o G.M. de Distrito R. Ir∴ Colin V. Foster e outros Grandes Oficiais do Distrito inglês, de que ele fosse o R.G.M. de apenas um G. Priorado. A ideia foi imediatamente aceitada e me foi oferecido o cargo de G. Senescal. (Em meu poder encontra-se a carta demonstrativa do G.M. do G.P. da Espanha ao E. e S. Cav. McCormick, datada 13 de março). Sem entrar no mérito, a proposta não chegou a um bom fim.

30 de Junho de 2004 – Sendo naquele momento, o que subscreve Primeiro G. Principal do S. G. Capítulo do Estado de São Paulo e havendo a Inglaterra constituído um S. G. Capítulo para o GOB, e sempre com a idéia de unidade, fiz a proposta ao GOB e à GLESP para fusionar os dois Supremos e criar um nacional, comum para GOB e GG.LL. regulares e reconhecidos por ambas as partes, celebrando-se uma reunião na GLESP com a presença do S.G.M. Geral Q. Ir∴ Laelso Rodrigues e do E. Ir∴ Fernando Tullio Colacioppo Jr. por parte do GOB, e do S. G.M. Ir∴ Pedro Ricardo Gallardi e R. Ir∴ Giulio Cesare Cortese por parte da GLESP, e eu mesmo. Todas as partes aceitaram a proposta (em meu poder encontram-se os documentos demonstrativos), chegando-se a consagrar o novo Corpo Nacional, mas outra vez, e sem entrar no mérito, o assunto não foi adiante.

Nesse mesmo ano, em 14 de novembro, o G. Priorado da Espanha, pelo seu E. e S.G.M., constituiu e consagrou o G. Priorado do Brasil das Ordens Unidas, outorgando Carta Patente em 13 de novembro. Foi assim consagrado em São Paulo o G. Priorado do Brasil, com jurisdição nacional, sendo instalado como primeiro G.M. este que subscreve Santiago Ansaldo de Aróstegui de Lerín y de Contreras, GCT, na presença de diversos GG. MM. estrangeiros.

Mais tarde, em 18 de janeiro de 2005, em São Paulo, capital, foi consagrado o G. Priorado do GOB pelo E. e S.G.M. do G. Priorado da Inglaterra, sendo instalado como seu G.M. o Q. Ir∴ Francis McCormick, GCT, e como Grande Senescal o Ir∴ Fernando Tullio Colacioppo Junior, GCT. Esteve presente em todos os atos, a convite do G.M. Geral do GOB, Sob∴ Ir∴ Laelso Rodrigues, e do G.M. da Inglaterra, M. E. e S. Kt. Leslie Felgate Dring (OE), GCT, com a presença do G. Senescal da França, MADE Cav. André Bassou, GCT.

O Grande Priorado do Brasil consagrado pela Espanha obteve todos os reconhecimentos mundiais, inclusive o da Inglaterra, comunicado em 13 de junho de 2006, com o qual a Inglaterra reconhecia dois GG. Priorados no mesmo país.
O Soberano G.M. Geral do GOB, Ir∴ Laelso Rodrigues, em 2006, e logo com minha sugestão, tive o mérito histórico de conceder Cartas Constitutivas Provisórias para Lojas Simbólicas do Rito Escocês Retificado, um novo Rito no GOB. Outra meta conseguida também graças à ajuda do M. Rev. Cav. Ir∴ Nuno Nazareth Fernandes de Cerqueira, G. Prior e GM Nacional do G. Priorado Retificado de Lusitania. Este Rito não existia no Brasil. Descende da Ordem da Estreita Observância Templária da Alemanha, com antiguidade de 1760, consolidando-se em 1782.

Ordem dos Sacerdotes Cavaleiros Templários (KTP). Tenho a honra de ser o mais antigo da América do Sul. Fui membro do Kingsway Tabernacle em Londres e, por esse motivo, também tive a honra de trazer a Ordem ao Brasil com a ajuda de um numeroso grupo de Cavaleiros Templários. Em 2006 foram consagrados dois Tabernáculos em São Paulo, sendo o primeiro High Priest (Presidente) de um o S.G.M. Geral Adjunto Claudio Roque Buono Ferreira e do segundo Tabernáculo este que subscreve, sendo os dois instalados pelo M.E.G. High Priest e empossados ambos como III G. Pilar Passado do G. Conclave da Inglaterra. Hoje a maioria dos fundadores não pertence mais, pois não podemos depender de um Distrito comandado por alguém que foi expulso do G. Priorado do Brasil, em transito julgado e suspenso por onze anos no GOB.

Chegamos a 2008. Seguindo com minha proposta de união, propus ao G.M. Geral do GOB, Soberano e Q. Ir∴ Marcos José da Silva, para conversarmos e estudarmos a possibilidade de uma fusão dos dois GG. Priorados Nacionais das Ordens Unidas. Declaro que a ideia foi aceita de imediato. O G. Priorado consagrado pela Espanha aportou todos os reconhecimentos mundiais, e todos os registros de marcas, patentes e domínios de internet. O Soberano Ir∴ Marcos José da Silva me solicitou que continuasse como G.M. e assim ocorreu durante um tempo, sucedendo-me o G. Senescal, na época, MADE Ir∴ Manoel Oliveira Leite, GCT; logo depois  o E. Ir∴ Mario Sergio Nunes da Costa, GCT, e a seguir o E. Ir∴ Wagner Veneziani Costa, GCT, atual E. e S. G.M. Todos foram eleitos por unanimidade da Assembléia, instalados e empossados na presença, dos EE. e SS GG MM. De Honra do Grande Priorado do Brasil, Soberano Ir∴ Marcos José da Silva, GCT, do Sapientíssimo G.M. Geral Adjunto Cav. Claudio Roque Buono Ferreira, GCT, e do E. Secretário de Relações Exteriores Cav. Fernando Tullio Colacioppo Jr., GCT, de GG.OO. da Inglaterra, inclusive o R. E. G. Prior para América do Sul Cav. John Collakis, e do G. Superintendente para América do Sul, M. Ex. Cp. Malcom Leo Curtis.

O G. Priorado do Brasil das Ordens Unidas e o G. Priorado Retificado do Brasil dos CBCS são pessoas jurídicas com Estatutos registrados, desde 2004, e respectivamente desde 2008, e aprovados por unanimidade das Assembléias, possuem CNPJ. São entidades sem fins lucrativos.

Seguindo com meu desejo de ajudar o GOB e como G. Representante permanente, na época, da GL. da Espanha na Confederação Maçônica Interamericana-CMI, e com a sua autorização, apresentei a candidatura do GOB como membro na reunião do Conselho em Montevidéu acompanhado pelo E. Ir∴ Tullio Colacioppo Jr∴. Foi admitida.
Tenho a honra de haver recebido do GOB a Estrela da Distinção Maçônica e de Grande Benemérito da Ordem, e da GLESP sua Comenda.

Como continuação da minha meta de aportar novas Ordens ao Brasil, em 2008, tomando como base nove Lojas de Santo André, Grau IV, e três Prefeituras, Grau VI, foi constituído o Grande Priorado Retificado do Brasil – CBCS pelo G. P. Independente de Helvetia, mãe do mundo, sendo instalado como seu  primeiro G. Prior e G.M. Nacional este que subscreve. As Cartas Constitutivas dos GG. Priorados Retificados são outorgadas pelo de Helvetia e assinadas pelos MM. RRev. GG. Priores e GG. MM. Nacionais do Mundo. Fomos apadrinhados pelo G. Priorado Retificado da Lusitânia, cuja ajuda foi fundamental.
Em 4 de junho de 2010, o S.G.M. da G.L. do Estado de São Paulo criou um G. Priorado Templário e CBCS espúrio, por ninguém reconhecido. Em 21 de outubro, por este motivo, o Supremo G. Capítulo do Arco Real do GOB rescindiu o Tratado de Amizade com o S. G. Capítulo da GLESP.

2011 é o ano em que o Grande Priorado Retificado de Brasil – CBCS assina Tratado de Amizade com o Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito, e aqui agradecemos de forma muito especial ao Soberano Grande Comendador, Enyr de Jesus da Costa e Silva. Também se assina o Tratado de Amizade pelo Grande Priorado Retificado de Brasil – CBCS com o G. Priorado do Brasil das Ordens Unidas. Agradecemos igualmente aos EE. e SS. GG. MM. Mario Sergio Nunes da Costa, GCT, e Wagner Veneziani Costa, GCT.

No mês de fevereiro de 2012, foi instalado como G. Prior e GM Nacional, meu sucessor, o M. Rev. Cavaleiro Wagner Veneziani Costa, GCCS, MH, tive o mérito de que pela primeira vez e no mês de outubro celebrar em São Paulo, a Reunião Mundial dos GG. Priorados Retificados – CBCS. No mundo existem até a data de hoje 11 GG. Priorados.
No mês de setembro de 2012, em Avignon (França), celebrou-se a Reunião Trienal dos Grandes Priorados das Ordens Unidas do Mundo, sendo eleito por unanimidade o Brasil para sediar a próxima Reunião em 2015. Este é um mérito especial do E. e S. G.M. Cav. Wagner Veneziani Costa, GCT, sempre prestigiando ao GOB em qualquer lugar do Mundo, como testemunha durante todos estes anos, recebeu a Espada Templária, símbolo da Sede Mundial.

Pela primeira vez na História uma Potência Regular brasileira, consagrou fora de seu território nacional outro Corpo também nacional. Grande honra para o Brasil, pois é um fato pouco comum no século XXI. Tudo começa quando, em 2012, a pedido de Irmãos peruanos e com o consentimento da G.L. do Peru, o Grande Priorado do Brasil das Ordens Unidas constitui três Preceptórios Templários no Peru e, a seguir, uma Província.

Foi no dia 19 outubro de 2013, que o G. Priorado do Brasil das Ordens Unidas, por meio de seu E. e S. G.M. Cav. Wagner Veneziani Costa, GCT, sempre lutando pelo Brasil, consagrou o G. Priorato del Perú de las Ordenes Unidas na Cidade de Lima, instalando o seu primeiro E. e S. G.M. Cav. Carlos Iván Tantaleán Rojas, GCT. Hoje, reconhecido pelos Grandes Priorados Mundiais, inclusive a Inglaterra.

Para finalizar, dou conhecimento de que o Grande Priorado Retificado do Brasil – CBCS, em 2012, pelo seu M. Rev. Cav. Wagner Veneziani Costa, GCCS, MH, outorgou três Cartas Patente de Lojas Escocesas de Santo André, Grau IV, e de uma Prefeitura, Grau VI, para o Peru. No futuro, pela segunda vez, uma Potência brasileira, neste caso o G. Priorado Retificado do Brasil – CBCS consagrará um Grande Priorado Retificado, e será no Peru.

Tudo o que antecede ao que aqui está ninguém pode negar ou mudar, pois está tudo documentado. É fato!

Muito obrigado Ir∴Santiago Ansaldo de Aróstegui de Lerín y de Contreras, GCT, GCCS, PGPP, PGM, PGPrior e PGM Nacional, PIIIGP, por nos conceder esta entrevista, mostrando-nos os caminhos percorridos para trazer ao GOB, o Grande Priorado do Brasil das Ordens Unidas Maçônicas e complementares do Simbolismo. Desejamos que a Fraternidade, exercida com muito Amor, leve cada Irmão a refletir sobre o futuro da Maçonaria Gobiana nos próximos anos, deixando em sua direção Irmãos realmente comprometidos com o GOB, que dedicam diuturnamente ao seu crescimento, não só pela divulgação de sua doutrina, mas principalmente pelo exemplo de sua conduta.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.