Observaremos aqui, o significado dos trabalhos de Hércules e estes em relação aos signos presentes no templo maçônico nas colunas zodiacais, numa perspectiva de compreensão como estes símbolos nos informam e orientam o caminho que devemos percorrer para exercer nossa tarefa de lapidação, aparando as arestas de uma pedra bruta para que ela possa, cada vez mais, ser polida.

O primeiro ponto que devemos perceber nesta abordagem é que o número 12 está presente em muitas das simbologias em diversas culturas. O que este número nos informa? Que carga energética e esotérica este número carrega?

O número 12 sempre esteve presente na história dos povos em vários aspectos da vida, tanto na cultura como na arte. Historicamente, em vários povos o número 12 está associado a um ciclo completo, ou seja, uma trajetória a ser cumprida para encontrar a plenitude. Na Cabala o número doze carrega vibrações positivas e seu simbolismo é interpretado como significado da renúncia pessoal. Na tradição judaico-cristã o número doze é considerado harmônico e sagrado, eram doze os apóstolos, doze as tribos de Israel, doze as pedras preciosas do peitoral do sumo sacerdote, doze as portas da cidade de Jerusalém, a mulher celestial levava uma coroa com doze estrelas.
Na música ocidental ela está formada por doze graus cromáticos (do, do#, re, re#, mi, fá, fá#, sol, sol#, lá, lá#, si), são sete notas, cada nota com seu meio tom, contudo de mi para fá e de si para dó não existe meio tom. Na música ocidental, deste modo, está apoiada em uma escala de 12 tonalidades.
Como já vimos o número 12 é muito profundo e abarca vários ramos do conhecimento. Na mitologia grega existe uma história que envolve um ciclo do número 12. O que esta história vem nos ensinar ? O que representa? Qual a relação destes trabalhos com o fazer Maçônico? Como esta história está integrada a uma percepção maior da realidade e do universo que estamos inseridos?
Vamos, pois, a história: Conta -se que Zeus, o rei dos deuses olímpicos, engravidou sua amante, Alcmene, e ele proclamou que o próximo filho a nascer da casa de Perseu, pai de Alcmene, seria coroado rei de Micenas. Hera, esposa de Zeus, ao descobrir a traição, fez com que Euristeu, sobrinho de Alcmene, nascesse prematuro de sete meses, antes de, Hércules. Zeus enfureceu-se ao saber do que ela havia feito, porém nada pode fazer; sua proclamação continuou em vigor. Anos depois, já adulto, Hércules foi provocado por Hera a ter um ataque de fúria e insanidade, que o levou a matar sua esposa Mégara e seus três filhos. Quando se deu conta do que havia feito, isolou-se, fugindo para o campo e vivendo sozinho. Foi encontrado por seu primo Teseu, que o convenceu a visitar o oráculo em Delfos, para lhe mostra um caminho. O oráculo lhe disse que recuperaria a honra se ele executasse uma série de trabalhos, e que ao final dos trabalhos ele se tornaria imortal.

Os 12 Trabalhos

1 – LEÃO DE NEMÉIA – Este trabalho visava matar um leão gigante que devastava a região de Neméia, Hércules tentou matá-lo com sua clava e com seu arco, mas não obteve sucesso. Então, conseguiu encurralar o animal e o estrangulou até a morte. Ele tirou a pele do leão e passou a usá-la como manto. Este trabalho está associado ao signo de Leão que representa aprender a utilizar o poder e a coragem. O que indica ao maçom: O Leão simboliza a personalidade inferior e selvagem, que destrói a paz. Aqui, o maçom precisa matar o Leão da sua personalidade, o egoísmo, a vaidade, e colocar nesse lugar a fraternidade e o altruísmo.

2 – HIDRA DE LERNA – Na cidade de Lerna, existia uma enorme serpente com nove cabeças, uma delas imortal. Hércules em uma luta constante conseguiu decepar as oito cabeças e Iolau, seu sobrinho, queimou as feridas para elas não nascerem mais. A cabeça imortal foi enterrada num buraco fundo. Ao molhar suas flechas no sangue da Hidra, ele as tornou venenosas. Tarefa associada ao signo de Escorpião que representa o controle e a superação dos desejos, representados pelas cabeças em formato de serpentes. A luta de Hércules contra a Hidra representa a luta pelo nosso autodomínio. Três delas representam os apetites associados ao sexo, ao conforto e ao dinheiro. Outras três simbolizam as paixões, o ódio e o desejo de poder. As três últimas representam os vícios da mente não iluminada: orgulho, segregação e crueldade. O que indica ao maçom: Essa é a luta do maçom, lutar contra a personalidade emocional e material.

3 – JAVALI DE ERIMANTO – Um grande javali causava terror no monte Erimanto, na Arcádia. Enorme e feroz, ele matava qualquer um que cruzasse o seu caminho. O trabalho de Hércules era capturá-lo vivo. O animal foi cercado e, quando se cansou, foi dominado por Hércules. Tarefa associada ao signo de Libra. Hércules exercitou o equilíbrio mental para dominar a fera. Libra é um signo que precisa caminhar na direção do equilíbrio. O que indica ao maçom: Libra tem como símbolo a balança, que pode pender para a justiça ou injustiça, da ignorância à sabedoria. Essa dualidade deve ser desfeita através do autodomínio (a captura do javali) seja cumprida. Este trabalho, simboliza que o maçom tem de controlar o desejo através da força do pensamento.

4 – CORÇA CERINÉIA – No monte Cerineu havia uma corça com chifres de ouro e pés de bronze. Ela era muito veloz e tinha que ser capturada viva. Hércules a perseguiu por um ano em todos os cantos do mundo conhecido, até que a capturou durante a travessia de um rio. Tarefa associada ao signo de Câncer onde há o desenvolvimento da intuição. O que indica ao maçom: Neste quarto trabalho, acorça simboliza a intuição, processo final da transmutação do instinto, cujo estágio intermediário é o intelecto. Este trabalho refere-se, acima de tudo, à necessidade do maçom desenvolver a intuição.

5 – AVES DO ESTÍNFALE – Ás margens do lago Estínfale, escondiam-se aves que devoravam as colheitas da região, e atacavam os homens. Para matá-las, Hércules primeiro usou um címbalo (antigo instrumento de cordas) para atraí-las. Assim que as aves saíram do bosque, ele, às atingiu com suas flechas venenosas. Tarefa associada ao signo de Sagitário onde o homem acaba com as tendências do uso do pensamento destrutivo. Hércules utiliza-se de flechas, semelhante ao símbolo que identifica o signo, o Centauro. O que indica ao maçom: O maçom deve se libertar da ilusão da mente inferior e apropriar-se da mente superior para libertar-se.

6 – CAVALARIÇAS DE ÁUGIAS – Áugias, rei da Élida, tinha grandes rebanhos de cavalos, mas não cuidava de seus estábulos, que acumularam uma colossal quantidade de estrume ao longo dos anos. Hércules os lavou num só dia, usando a água de dois rios, que ele desviou com sua força descomunal. Tarefa associada ao signo de Aquário onde há o serviço de limpeza e assim a purificação. O que indica ao maçom: Destruir velhos conceitos, antigos padrões arraigados em nossas mentes e emoções. Limpar os estábulos é a limpeza que devemos fazer em nossas estruturas humanas, tanto no nível mental quanto no físico e emocional. A Lei de vida do maçom é baseada na iluminação espiritual, na percepção intuitiva e no amor fraternal, que é a capacidade de se identificar com toda forma de vida em cada um dos reinos da natureza.

7 – TOURO DE CRETA – Poseidon, deus do mar, irritado por Hércules ter desviado os rios, havia deixado louco um lindo touro pertencente ao rei de Creta, uma ilha grega. O animal devastava os campos da região e Hércules foi até lá para dominá-lo. Após controlar o touro, Hércules precisou nadar de Creta até o continente levando a fera consigo. Tarefa associada ao signo de Touro onde Hércules soube controlar os instintos. O que indica ao maçom: Este trabalho representa a luta entre o espírito e a matéria e a estabilidade entre eles. O Touro representa os desejos sensuais, além do aspecto inferior e descontrolado da natureza humana e seu domínio

8 – ÉGUAS DE DIOMEDES – Diomedes – filho de Ares, deus da guerra, tinha quatro éguas ferozes e carnívoras, que alimentava com os estrangeiros que apareciam em suas terras. Hércules capturou as éguas e, notando que elas estavam famintas, serviu-lhes Diomedes como refeição. Tarefa associada ao signo de Áries, onde Hércules teve o aprendizado sobre o controle da mente. Essas éguas simbolizam nossos pensamentos errôneos e descontrolados. O que indica ao maçom : O Maçom deve obter autocontrole, que parte do controle de seus pensamentos, para conseguir a autonomia que pretende em sua vida.

9 – CINTO DE HIPÓLITA – Hipólita era rainha das amazonas, Ela tinha um belo cinto, desejado pela filha de Euristeus. A mando do rei, Hércules convenceu Hipólita a lhe entregar o objeto, mas Hera incitou as amazonas à guerra contra ele e neste embate teve que matar a rainha. Tarefa associada ao signo de Virgem. O que indica ao maçom: O signo de Virgem deve proteger, nutrir e, finalmente, revelar a si mesmo sua oculta finalidade espiritual. Esse é o trabalho mais importante no processo evolutivo de todos os maçons.

10 – BOIS DE GÉRION – Gérion, um gigante de três cabeças, vivia na ilha de Erítia e possuía um numeroso rebanho de bois. Os animais eram guardados por um pastor monstruoso, Eurítion, e seu cão, ambos com diversas cabeças. Após matar a dupla, Hércules acabou com Gérion, usando sua clava, e entregou os bois a Euristeus. Tarefa associada ao signo de Peixes. Hércules deparou-se com a transcendência da animalidade e teve a lição do desapego. O que indica ao maçom: O homem de três cabeças simboliza os desejos inferiores de todos nós. O pastor é a mente e o cão de duas cabeças, a matéria e as dificuldades psicológicas. Hércules mata o cão de duas cabeças, a natureza psíquica e emocional, representando ao maçom a transcendência aos apegos materiais.

11 – POMOS DE OURO – As maçãs de ouro ficavam num jardim desconhecido, Hércules andou pelo mundo atrás delas, porém para encontrá-las precisou da ajuda de Atlas que havia recebido de Zeus o castigo de carregar o mundo nas costas. Enquanto Atlas foi atrás das maçãs, Hércules sustentou o mundo em seu lugar. Tarefa associada ao signo de Gêmeos. O que indica ao maçom: Este trabalho de Hércules nos mostra que o sacrifício nunca é em vão e disto vem a recompensa. O maçom que aprende que a compreensão da totalidade e o equilíbrio vêm por meio do serviço ao próximo através da verdadeira fraternidade.

12 – GUARDIÃO DO HADES – Cérbero, um cão de três cabeças e cauda em forma de serpente, guardava a entrada do Hades, o mundo subterrâneo, ele permitia a entrada de todos, mas não deixava ninguém sair. Hércules o capturou e, após mostrar Cérbero a Euristeus, devolveu o cão guardião ao Hades. Tarefa associada ao signo de Capricórnio. O que indica ao maçom: Nesse trabalho, três coisas foram necessárias ao herói: purificar-se, ou seja, libertar-se da irritabilidade e do egoísmo. A simbologia deste ato mostra que ao descer aos infernos para salvar a humanidade, ele antes disso, precisou salvar a si mesmo dos próprios infernos interiores.

Nos trabalhos referentes aos signos de Leão, Escorpião e Libra, Hércules teve que enfrentar violência e os vícios, e isto o ajudou na construção de limites. Em Câncer, Aquário e Sagitário, Hércules iniciou sua purificação física e mental com a transformação dos instintos em intuições. Em Touro, Áries e Virgem, Hércules lidou com a sexualidade, a arte de amar. Por fim, em Peixes, Gêmeos e Capricórnio, Hércules lida com o desapego e a conquista da espiritualidade. No templo maçônico a existência das colunas zodiacais tem um sentido e este é o de mostrar o caminho que os maçons devem percorrer durante o ano para sua ascensão moral, intelectual e ética. As colunas, dão sustentação a um princípio, ou essência moral que os signos, como forças inconscientes do ser, carregam em si, e estas forças vêm das energias poderosas do Grande Arquiteto do Universo.

Sobre o Autor

ARLS Arca da Aliança n° 172 GLMEBA - CMSB Oriente de Salvador

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.