Acácia: a planta símbolo por excelência da Maçonaria; representa a segurança, a clareza, e também a inocência ou pureza:. A Acácia foi tida na antiguidade, entre os hebreus, como árvore sagrada e daí sua conservação como símbolo maçônico:. Os antigos costumavam simbolizar a virtude e outras qualidades da alma com diversas plantas:. A Acácia é inicialmente um símbolo da verdadeira Iniciação para uma nova vida, a ressurreição para uma vida futura:

“Conduziram-no, ao cair da noite, para o monte Moriah, onde o enterraram, assinalando a sepultura com um ramo de acácia” – Sobre o assassinato de Hiram (Ritual de M.’.)

“Os mestres que foram à procura do Mestre Hiram Abif, encontraram um monte de terra que parecia cobrir um cadáver, terra recentemente removida, e para distinguir o local, plantaram ali, um ramo de acácia” – Sobre o assassinato de Hiram (O Livro de Hiram – Christopher Knight e Robert Lomas – Editora Madras)

POESIA

 

Acácia Amarela,
planta bíblica e sagrada.
Estás bem guardada, tal cinderela,
E ilumina-te
ao coração do mestre.

És cultuada,
e pela vida eterna: serás amada!

Acácia Amarela,
és pura!
Nasceste talhada em madeira dura: indestrutível.
Caminhastes junto à imortalidade,
Fostes sim, madeira de cetim, a coroa de cristo,
o símbolo da sabedoria.

És universal
Imputrescível, incorruptível,
e abraça-te à tua sorte.
És inatacável pelos elementos do mal
e decide-te, enfim, por tua própria morte.

Quem és tu, Acácia Amarela?
Uma leguminosa a gerar teus frutos,
um cometa a inventar arbustos,
ou uma planta mágica
(shitat, em hebraico)?

Exaltada pela história
és o símbolo dos sustentáculos,
lapidada em mãos,
transportada em arcas, mesas e tabernáculos.

És tradição.
És incompreensível.
Onde estará a chave dos teus segredos?
Na ritualística da ressurreição de Hiram
ou na serenidade do espírito e da alma?

Mais do que planta, és riquíssima!
És a consagração de Deus,
a espiritualidade da conduta pura,
da qualidade moral
e da pureza da vida.

Mais do que teu silêncio
simbolizas o disco solar em teus limites.
És parceira de frutos raros, como a romã.
Tuas folhas, fecham-se junto à noite escura,
abraçando-se umas às outras como irmãs.
Mas novamente
abrem-se plenamente ao beijarem a luz do sol,
pelas manhãs.

Oh! Acácia Amarela
declara-te culpada.
Pois és espírito, inocência e filosofia.
És o nosso interior,
nossa personalidade
e pura poesia.

 

Sobre o Autor

ARLS Mount Moriah Nº 3327 - GOSP/GOB

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.