POESIA


Primeiros Dias…
Meu filho que coisa é esta em que você está 
se metendo?
Maçonaria? Isto será bom para você?
Após seis meses…
É verdade que você não vai mais à Igreja? 
Por quê?
É verdade que tudo que você vai fazer tem que pedir autorização a eles?
Cuidado que eles estão de olho no seu dinheiro!

Após um ano…
E sua esposa, está contente com isto?
Ela não se importa com sua ausência toda 
terça-feira?
Tem tido muitas festas?

Após 1 ano e 8 meses…
Filho, lembra daquele brinquinho com aquelas duas folhinhas que você me deu, como era o nome mesmo…??? Ah! Acácia. Sabe que no outro dia, quando fui ao médico fazer meus exames de rotina, o Dr. Ricardo me disse: “que brinquinho bonitinho, foi o seu filho quem lhe deu? Vem cá que não vou deixar a senhora esperando aí na fila, eu vou lhe atender agora! Não entendi, mas estou achando que você pediu a ele para me atender logo. Vocês estão se falando?
De tarde, no mercado, também estava com os brincos e vi quando um pai falou para o filho dele: “vai lá dar um beijinho na vovó.” Nunca tinha visto o menino muito menos o pai do menino, mas mesmo assim fiquei muito contente naquele dia com aquele beijo carinhoso do menino.

Após Dois anos…
Filho, eu tenho que reconhecer que esta tal de Maçonaria está te fazendo bem. Você está mais tolerante comigo, com sua irmã, com sua sogra e com os tios que contam sempre a mesma história para você.
Perguntei para sua esposa se ela tinha percebido essas mudanças em você e ela me disse que mesmo com o medo do desemprego, medo de ser assaltado, você está aceitando melhor, as ideias contrárias dos outros, não está mais comprando tudo que vê pela frente como fazia e depois ficava desesperado como pagar a conta do cartão de crédito, você está mais caseiro, dando atenção aos bichos, pássaros, cachorro e os peixinhos, já percebe o crescimento das plantinhas da varanda e, principalmente, tem dado mais atenção a ela. Tem até escutado música clássica e não mais só aquela barulheira, tem conversado mais com as pessoas no prédio, tem se interessado com os problemas de seus funcionários. Quem diria… Só mesmo essa tal de Maçonaria para mudar você desta maneira, e eu achava que ia ser ruim para você.

Resposta do Filhão
Mãe, não é nada disto, só estou mais velho, e só agora estou praticando o que você me ensinou durante toda a vida e eu nunca quis aprender.
Perdão por não te ouvir, mas nunca é tarde para começar a te amar.
Se você não me tivesse trazido ao mundo eu não poderia estar feliz como estou agora. Sou infinitamente grato por ter-me gerado.
Mãe, a Maçonaria não “roubou” seu filho querido para um mundo à parte, ela apenas trouxe para o mundo da senhora um montão de filhos que a senhora nem sabia que existiam. O Dr Ricardo, o estranho do supermercado e outros que a senhora ainda vai encontrar, são todos meus irmãos, isto é, são todos seus filhos.
Viva as Mães de todos os Maçons.
Viva nossas Mães.
Viva nossas Esposas, as Mães de nossos filhos.
Viva a Mãe Maior.
Viva a Maçonaria.

 

Sobre o Autor

ARLS Cavaleiros de São João n° 2903 Or∴ de Curitiba - GOB/PR

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.