POESIA

1-Sobre o Painel da Loja
Podemos esclarecer
Para ser justa e perfeita
Deve assim proceder
Três que a governem
Sete, completem, cinco acompanhem.
Para melhor entender
2-Os três ha se conhecer
O venerável que guia
E 1° e 2° vigilantes
O acompanham com alegria
O secretário e o orador
Contando com o cobridor
O M∴ de cerimônia com maestria
3-Assim a Loja é composta
Dentro da conformidade
Sendo a Loja regular
Obedece a potência com lealdade
Tendo a carta constitutiva
E com a prática construtiva
Nos princípios da irmandade
4- Os trabalhos na verdade
Sendo visível a carta
Para não ser irregulares
Seu símbolo não aparta
Porque os antigos mistérios
São chaves e critérios
Que auxilia de forma farta
5-O costume não se descarta
Pois auxilia a memória
Seus ensinamentos revelam
Como condiz a história
Para trabalhar os obreiros
Firmes e verdadeiros
De forma meritória
6-Sem haver divisória
Mas como um recruta
Os Ap∴ Maçons
Trabalham na Pedra Bruta
Em três anos este operário
Ganha aumento de salário
Conforme a sua labuta
7-Suas ferramentas de luta
São o maço e cinzel
Escalando a escada de jacó
Como a abelha produz mel
O maçom que não erra
Deixa os degraus da terra
E sobe rumando ao céu
8-Como escudeiro fiel
Fica no primeiro degrau
Representando a fé
Que é a prova fundamental
De alcançar à esperança
E na forma da confiança
A caridade universal
9-A Maçonaria é sem igual
Para termos conhecimento
Nas Lojas em seus interiores
Existem os paramentos
Tudo isso são preparos
Sem haver qualquer reparo
Tem as joias e os ornamentos
10- Esses são os paramentos
Livro da Lei e Delta Luminoso
Inicia o telegrama sagrado
Com o supremo glorioso
Um representa a luz maioral
Outro o código moral
Num ato cerimonioso
11-No rito brasileiro
O livro é a Bíblia Sagrada
Nunca podendo esta
Ser do altar, retirada.
Mas respeitando as opções
Sem descriminar religiões
Assim a Maçonaria é formada
12-Sobre os ornamentos
Aqui direi neste espaço
A corda de oitenta e um nós
Que traduz entrosamento dos laços
O piso de mosaico,
a harmonia.
Unidade para
viver em sintonia
A justiça é o esquadro
e compasso
13-As joias são
três fixas,
Três móveis, adornando
o venerável.
Esquadro, nível e prumo
Deste é inseparável
As fixas são: Pedra Bruta
Pedra Cúbica da Labuta
E a Prancha que é indispensável
14-A Espada Flamejante
Ou pode ser ondulada
Que por ela o neófito
Ao escutar as pancadas
Recebe a bateria do grau
Na Maçonaria universal
Tem sua vida iniciada
15-Nas Lojas são encontradas
Duas colunas no ocidente
Dando total sustentação
Da forma do onipotente
As letras ʻBʼ e ʻJʼ são eternos
Representam verão e inverno
Defronte para o oriente
16-Nestas colunas são guardadas
Ferramenta de aprendiz e companheiro
E também em cima delas
As romãs são verdadeiras
Com suas sementes unidas
Mostrando como deve ser a vida
Dos maçons no mundo inteiro
17- Entre o ocidente e oriente
Quatro degraus são encontrados
Força, trabalho, ciência.
Com a virtude sempre ao lado
E mais três pra o altar
Mas estes só podem galgar
Sendo mestre ou mestre instalado
18-Estes são representados
Com toda a sua beleza
Simbolizando a luz
A verdade e a pureza
Oferecendo o que é bom
E isso qualquer maçom
Deve ser por natureza
19-Os pilares de uma Loja
Dotados de muita grandeza
Sapientia, salus e stabilitas.
Sabedoria, força e beleza.
Nos veneráveis e vigilantes vemos
São minerva, hércules e vênus.
Guiando-nos com firmeza
20-No teto da Loja existe
Uma abóboda celestial
Junto com o Sol e a Lua
Corpos celestes sem igual
Servindo de decoração
Os ancestrais guiavam-se então
E seguimos o mesmo sinal
21-Os quatro cantos da Loja
Lembram as quatro virtudes
A temperança e a justiça
Coragem e prudência nos ajude
Que norteiam sem enganos
E diferente dos profanos
Devemos ter tais atitudes
22-Espero ter demonstrado
Com pouco do que eu fiz
Estudando o nosso rito
Isso me deixa feliz
Não sou nenhum doutor
Apenas aqui estou
Como um eterno aprendiz

Sobre o Autor

ARLS José Mesquita Da Silveira, nº 2548 - Oriente de Itabaiana • GOB/SE

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.