POESIA


Irmãos, encontro-me aqui diante de vós para apresentar-lhes mais esta instrução.
Não vejo, apenas, Corda e Nós.
Vejo uma réplica perfeita do Templo de Salomão.
Na minha 1ª Viagem, entregaram-me a Pedra Bruta,
Para que, com o Maço e o Cinzel e muita labuta,
Pudesse eu , no meu dia a dia, na minha lida,
Torná-la sempre mais bela e Polida.

Armado de Régua e Compasso sigo mais uma Viagem,
Medir e Alinhar minhas ações, não será mais uma Viagem;
Com a Régua medirei meu passo,
E da Razão da Justiça usarei o Compasso.

Afastar-me-ei das Trevas e da Inércia
usando a Alavanca,
Tal qual a Virtude que espanta, para longe
de mim, o Objetivo Fútil;
Tornando assim minha Vida,
muito mais Honrosa e Útil.

Senhor G∴A∴D∴U∴;
Permita que usando uma Régua e Esquadro,
Dentro da Arte, que Eu bem me enquadro,
Encontre no Topo da Escada
algo muito importante,
A verdadeira Luz; a Estrela Flamigera.

Sobre o Autor

M∴I∴ - Gr∴33 ARLS Ordem e Progresso CL 1900 Indaiatuba - GOSP/GOB

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.