Graças Te rendemos, oh! G∴A∴D∴U∴ e pedimos a Vossa intercessão em nossas vidas, na vida de nossas famílias e em todo planeta Terra. Exaltamos os nossos pensamentos e Lhe pedimos que a energia da Egrégora que formamos possa nos acompanhar em nossos passos como uma centelha viva do Vosso Espírito que nos emana a paz, o equilíbrio, a ligação ao metafísico que nos proporciona certos esclarecimentos. Que possamos ser norteados por nossas convicções, que a cada degrau da Escada de Jacob possamos nos dar as mãos em sentido vertical em direção ao topo, ou seja, à Caridade. Que a cada dia, possamos nos conscientizar do nosso dever como obreiros de Vossa Sublime Obra, que a Arte Real sempre seja a nossa verdade, nosso oriente, que possamos nós sermos as Vossas ferramentas para edificar tamanha Obra.

Que no meio desta grande P∴B∴ em que vivemos chamada terra, com as suas intempéries e arestas cada vez maiores e pontiagudas, geradas pelo próprio gênero humano, possamos, nós humildes obreiros, nos espelhar nos Vossos grandes Filhos na luta incessante contra a ignorância e seus males.

Um dia, despertaremos enfim dos sonhos penosos duma vida atormentada, a obra de nossa prova estará acabada, seremos bastante fortes contra a dor para sermos imortais. Então viveremos no G∴A∴D∴U∴ com a vida mais abundante, e desceremos em Suas obras como a luz de Seu pensamento, sendo levados no infinito pelo sopro de Seu amor. Seremos, sem dúvida, os mais velhos duma raça nova; os anjos dos homens futuros.

Mensageiros celestes, vagaremos na imensidade e as estrelas serão nossas alvas barquinhas. Nós nos transformaremos em agradáveis visões para repousar os olhos que choram; colheremos lírios irradiantes […]