Em nossa vida cotidiana, o tempo parece correr em uma determinada escala e num contexto bem definido.

Se embarcamos num projeto de um a no, geralmente parece tratar-se de um compromisso maior do que algo que possa ser feito em um minuto. Afinal, no tempo de vida de uma pessoa normal, há mais de 39 milhões de minutos. Então qual a importância de se perder um ou dois deles? Mas no trabalho espiritual, a escala de tempo opera de forma bem diferente. Esse ponto é demonstrado por meio de todo o estudo da Cabala, em que tremendas transformações e milagrosas reversões de destino ocorrem num piscar de olhos. Existe uma história, por exemplo, na qual um grande sábio testemunhou a repentina e totalmente inesperada elevação espiritual de um homem.

Quando isso ocorreu, conta a história, o sábio chorou e disse, “Em apenas um momento algumas pessoas alcançam tudo o que as fez vir a este mundo!” Mas por que isso fez com que o sábio chorasse? Não deveríamos nos contentar com o fato de que nossa transformação possa ocorrer em apenas um minuto, ou mesmo em apenas um segundo? E ainda assim esse fato pode realmente parecer muito triste – uma vez que compreendamos todos os incontáveis minutos e segundos que desperdiçamos, e que podemos estar desperdiçando agora mesmo!

Aqui temos um ensinamento realmente capaz de mudar nossa vida, uma lição que podemos colocar em prática literalmente todos os dias.

Muito frequentemente, quando vemos uma oportunidade de estudo, oração ou ação espiritual, que significa compartilhar (seja por um sorriso, um abraço ou uma doação), usamos o tempo como uma desculpa para nos livrar. É realmente nosso lado negativo nos dizendo: “Faça isso mais tarde quando você tiver mais tempo. Você está muito ocupado agora.”

Por outro lado, às vezes podemos sentir que temos tamanha abundância de tempo, que não há motivo para nos preocuparmos com aquilo; e então é nosso lado negativo que diz: “Para que tanta pressa? Você terá montes de oportunidades para realizar seu trabalho espiritual. Dê um tempo e divirta-se.” Se escutarmos qualquer um desses dois maus conselhos, teremos ignorado o poder e a importância presentes em cada segundo de nossas vidas.

Ao invés disso, precisamos de total consciência sobre toda a Luz que podemos revelar em todos esses momentos, e como nossas vidas seriam melhores se agarrássemos essas oportunidades. Vamos tomar a decisão de fazer o máximo desses “só um minuto.” Quando o fizermos, a Luz que iremos revelar será tão infinita quanto o próprio tempo.

Uma resposta

  1. Willian

    Parabéns Ilm.’. Michael pelo entendimento acerca dos fatos concludentes se valendo do tempo para o despreendimento do ser humano em prol de uma interface positiva.

    Willian.’.

    Responder

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.