A Cerimônia de Primeiro Grau significa o nascimento, ou o nascimento de conhecimento. Quando se entra pela primeira vez na Maçonaria, estamos sem o conhecimento oculto da Arte e contamos com a ajuda e orientação de outras pessoas, nossos padrinhos, orientadores e mesmo qualquer outro Irmão, até atingirmos a maturidade no ofício em que, por sua vez, nos faz estender a ajuda para os outros.

Nesta cerimônia em particular, há bem a representação da escuridão e da luz, pois, o candidato à iniciação é tido como que em trevas e ao receber a luz na Maçonaria, recebe a luz do conhecimento, dos mistérios da Ordem, que modificarão sua vida para sempre. É a cerimônia mais importante da Ordem, pois é a entrada de um novo membro, por isso inesquecível.

Um ponto muito importante na Cerimônia de Iniciação é a prova da caridade: –”Tem alguma coisa a dar?”, com um significado muito profundo porque o candidato está deliberadamente impedido de aceitar o desafio. Todos os valores – metais tinham sido retirados antes. Mas isso serve para demonstrar que a caridade vem do coração e é uma forma de vida não apenas um pagamento. A vestimenta e ausência de valores fazem o candidato refletir de que maneira ele pode demonstrar caridade.

É para ser um lembrete constante de sua obrigação a de aliviar o sofrimento dos Irmãos indigentes ou carentes. A caridade, como demonstrada, pode assumir a forma de seu tempo, sua energia, a sua amizade ou assistência financeira, enfim, são diversas as formas de caridade a que o candidato é submetido a refletir. A prática da caridade no seu sentido mais amplo é o fundamento e o trampolim para outras qualidades de vida.

Um detalhe interessante no Sistema de Trabalho Emulação é que, tradicionalmente, o candidato na iniciação, não recebe uma versão impressa do ritual – receberá apenas no terceiro grau, pois o costume é praticá–lo em Loja na forma decorada, e como o Aprendiz não pode exercer qualquer outro cargo que não o de Mordomo, e esse não tem funções ritualísticas, o Aprendiz aprenderá o ritual assistindo às sessões da Loja, ou seja, emulando propriamente dito.

A preparação do candidato e o uso de pijamas – um grande cuidado era tomado da condição pessoal de cada Israelita que entrava no Templo de adoração Divina. O tratado Talmudic, intitulado Baracoth, que contém as instruções para o ritual cultuado entre os judeus, estabelece as seguintes regras para a preparação de todos os que visitam o templo: “Nenhum homem deve ir para o Templo com o seu cajado pessoal, nem com os sapatos nos pés; nem com a sua peça de vestuário, nem com o dinheiro atrelado à sua bolsa”. Existem certos usos cerimoniais na Maçonaria, por exemplo, a Cerimônia de Iniciação, que fornecerão o que pode ser chamado, pelo menos, de muito notáveis coincidências com esse velho costume judeu.

A preparação do candidato para a iniciação na Maçonaria é completamente simbólica. Ela varia em diferentes graus, e, por isso, o simbolismo varia com ela.

Não sendo arbitrária e inexpressiva, mas, pelo contrário, convencional e cheia de significado, ela não pode ser alterada, abreviada, ou acrescentada em qualquer dos seus detalhes, sem afetar a sua concepção esotérica. Nela, na máxima extensão, cada candidato deverá, sem exceção, submeter-se. A preparação de um candidato é uma das mais delicadas tarefas que temos de executar e deve ser tomado cuidado na nomeação do Oficial, o qual deve ter em mente que “o que não é admissível entre cavalheiros deve ser impossível entre Francomaçons” (Albert Mackey).

Pelo Ritual de Emulação Inglês – Emulation Ritual, notamos que se trata de uma tarefa a ser desempenhada pelo Cobridor, o qual deve estar preparado e capacitado para tal tarefa.

Portanto, a preparação do candidato para a iniciação deve ser feita numa sala contígua à Loja e consiste em:

  1. Ser desp. dos met.;
  2. Olhos vend.;
  3. Braço d., p. esq. e j. esq. desn.;
  4. P. d. calçado com ch.; e,
  5. Um l. de c. com n. c. no pescoço.

Existe também um costume antigo nas Lojas Inglesas que é a prática de despir o candidato de suas vestes habituais e vesti-lo com um pijama branco, próprio da Loja, sendo preparado da mesma forma descrita acima, somente diferenciando que nesse caso, ambos os pés são calçados com chinelos.

O sistema especial nas Lojas Inglesas, da vestimenta dos candidatos, conforme tradição antiga tinha três pontos em particular na sua bem conhecida finalidade, o que resultava no sistema assim concebido: (1) possivelmente a fim de garantir que os candidatos não escondam armas de defesa ou delito, uma prática que pode ter significado de centenas de anos atrás; (2) a desvendar o coração, para revelar o sexo, mas, ainda mais provável, tendo em conta a tradição quase universal de que o coração é a sede da alma, para sugerir o fervor do candidato e sinceridade, e por último (3) as provas dos candidatos quanto à humildade, talvez a maior das qualidades que a Maçonaria se propõe a ensinar.

11 Responses

  1. Sérgio Brandão Neves

    Muito contribuiu para o meu conhecimento este escrito. Agradeço, penhoradamente por disponibilizar este artigo, assaz enriquecedor.

    Parabéns pelo texto.

    Responder
  2. Severino aguinaildo de Lima

    Sou um breve iniciante da arte fraterna da maçonaria, este artigo enriquecedor, traz de forma simplis e objetiva novos conhencimentos a quem o busca, principalmente aos prestes a inicialização, obrigado pelo escrito.
    Aguinaildo.

    Responder
  3. FABIO

    Muito elucidativo o texto, me ajudou a retirar algumas ideias erradas sobre a maçonaria… pena que no momento a unica coisa que tenho a oferecer é conhecimento..

    Responder
  4. Jorge José da Silva

    Meus sinceros parabéns pelo lançamento da REVISTA MAÇÔNICA, acredito que que o assina devertá obter uma excelente leitura de conhecimentos da MAÇONARIA,
    Saudações,
    Jorge José da Silva
    Rua 15 de novembro nº. 0003-Centro-Cep-48850-000-Itiúba-Ba-Brasil

    Responder
  5. Jorge José da Silva

    Gostaria de conhecer as condições para a assinatura da revista maçônica, forma de pagamento, modalidade de mensal, trimestral ou semestral, preço da assinatura,
    Saudações,
    Jorge José da Silva

    Responder
  6. Alexandre Oliveira De Almeida

    Irmãos.`.

    Achei muito enteressante o ritual de iniciaçao ,pois para estar apto pelo que percebi tem de estar de corpo e alma ou seja de coraçao aberto acretitar muito no que esta fazendo e principalmente amar acima de tudo G.`.A.`,D.`.U.`.
    Estou no estagio de Aprendiz Maçom ( Estituto Paramaçonico De Estudos e Pequisas )
    Rogo um dia poder ser iniciado em loja .

    Responder
  7. alceu pinto

    Irmão:

    Me ajude a pesquisar se a inicição no rito de york poder ser feita fora do templo, ou seja, em um hotel, com sala sigilosa e dentro do rito.

    Responder

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.