Em 1782, no Congresso de Wilhelmsbad, surgiu na Alemanha a ideia de elaborar um novo ritual, procurando eliminar os erros e dúvidas decorrentes do que era então utilizado. No ano de 1783, foi constituída uma Comissão para reerguer a Maçonaria de acordo com sua origem Inglesa. Em 1788, o Irmão Friedrich Ludwig Schröder foi convidado para integrar esta comissão, iniciando por reunir as antigas exposições e fazendo anotações gerais.

Fez também, contato com o Irmão Fessler, em Berlim, que estava empenhado em tarefa semelhante. Como na Inglaterra não existissem rituais escritos para tomar-se como base, foi solicitado ao Irmão von Gräfe para que, de memória, escrevesse os procedimentos adotados pelas Lojas de Londres.

Em agosto de 1790, uma comissão de doze Irmãos, entre os quais figurava Schröder, reuniu os Usos e Costumes em vigor e, em 1791, o novo ritual foi apresentado ao Grão-Mestre Provincial, Irmão von Exter. Porém, como o texto não correspondeu a sua opinião, o G. M. não o aceitou.

Em 12 de abril de 1799, com o falecimento do Grão-Mestre Provincial, o caminho finalmente ficou livre para a introdução de um novo ritual, o que aconteceu em 29 de junho de 1801, na Assembléia Geral dos Veneráveis Mestres da Grande Loja Provincial da Baixa Saxônia e Hamburgo quando, já sob o malhete do G. M. Friedrich Ludwig Schröder, o texto foi oficialmente aprovado. No outono de 1816, após nova revisão feita por Schröder, foi impresso o manuscrito final.

Em 8 de outubro de 1816, através de carta à Grande Loja de Londres, o novo Grão-Mestre comunicou o falecimento do seu antecessor dizendo: “Schröder considerava a Constituição Inglesa e o velho Ritual Inglês, como as únicas fontes da finalidade e da essência da Maçonaria. Ele informou as Lojas da Jurisdição da Grande Loja de Hamburgo e muitas outras sobre isto e, em 1801, ele as induziu a adotar o Velho Ritual”.

Em 1853, após um estudo do Deputado do Grão-Mestre, a Grande Loja de Hamburgo fez uma nova revisão e liberou um ritual para uso oficial. Segundo a opinião atual, este texto continha alguns erros e inutilidades, mas com pequenas correções introduzidas no período, ficou em uso até 1935. Esta versão serviu de base para novas edições, especialmente através das Lojas “Absalom zu den Drei Nesseln N0 1 (Absalom das Três Urtigas)”, do Or. de Hamburgo, “Friedrich zum Weissen Pferd Nr. 19 (Frederico ao Cavalo Branco)” e “Zum Schwarzen Bär N0 79 (Ao Urso Preto)”, ambas do Or. de Hanover.

Estas revisões fizeram com que existam na Alemanha atual rituais Schröder com grandes diferenças (dois oficiais e mais dois admitidos). Posteriormente, em 1958, a Comissão Ritualística da Loja Absalom Nr. 1, tomando por modelo o ritual de 1853, fez uma nova edição com as alterações e adaptações consagradas nos Usos e Costumes da Loja. Surgiu assim, o ritual de 1960 da Grande Loja dos Maçons Antigos, Livres e Aceitos da Alemanha – GL AFuAMvD, posteriormente revisado pela GL em 1992, 2005 e 2008, embora as 5 Lojas originais de Hamburgo continuem adotando o Ritual de 1960, com base na tradição e na Constituição da GL AFuAMvD que lhes garante este direito.

No Brasil:

Em 1957, o Ir.’. Wigando Schmidt da Loja Mozart N0 8 de Joinvillle – SC, traduziu e sua Loja publicou a 1a versão em Português do ritual Schröder de 1853. Este ritual tem grande valor histórico, sendo uma excelente fonte de pesquisa, embora baseado em um ritual (vide acima) com grandes divergências do pensamento original de Schröder.

Em 1982, o ritual de 1960 da Loja Absalom N0 1 foi traduzido pelos Irmãos Gerhard Ludwig Richard Reeps, M.I., e Kurt Max Hauser, P.G.M., para a Loja “Concordia et Humanitas” N0 56 e, posteriormente, homologado pela G.L.M.E.R.G.S., para uso de todas as Lojas da sua Jurisdição. Este é o Ritual base dos rituais adotados pelas demais Grandes Lojas brasileiras.

Em 1996 a Comissão Ritualística da Loja “Harmonia IV – Zur Eintracht, 1874”, do Or. de Porto Alegre, fez uma nova tradução dos Rituais de 1960, que foram homologados pelo G.O.R.G.S. Estes rituais têm sido revisados e reimpressos em edição bilíngue nos idiomas Alemão e Português.

O Ritual Schröder original é dividido em 5 partes: os rituais para os Graus de Aprendiz, Companheiro e Mestre Maçom; o ritual Festivo: “Loja de Mesa” ou ”Banquete Ritualístico” e o ritual “Loja de Funeral” ou “Noite de Exéquias”, ambos no Grau de Aprendiz Maçom.

Em 1999, 2000 e 2007, a Comissão do Colégio de Estudos do Rito Schröder de Florianópolis – SC, em nova tradução do original de 1960 da Loja Absalom N0 1, elaborou os rituais dos 3 Graus que foram homologados pelo Grande Oriente do Brasil, unificando assim o pensamento Schröder no Brasil.

Em 2007 e 2008, a Grande Comissão de Liturgia do Rito Schröder da MRGLMERGS, em um amplo trabalho de pesquisa e consulta às Lojas do Rito, revisou os Rituais que foram aprovados em Assembléia Geral e homologados por Decreto do Sereníssimo Grão-Mestre, sendo as edições atualmente em vigor (2007: A.M.; 2008: C.M. e M.M.) e de uso obrigatório para as Lojas do Rito na Jurisdição da nossa Grande Loja.

• Os Rituais foram traduzidos dos originais revisados em 1960 pela Loja “ABSALOM DAS TRÊS URTIGAS” N0 1 para a Grande Loja dos Maçons Antigos, Livres e Aceitos da Alemanha- GL AFuAMvD, integrante das Grandes Lojas Unidas da Alemanha – Fraternidade dos Maçons. A “ABSALOM” N0 1, fundada em 1737 ao Or. de Hamburgo, é uma das mais antigas Lojas em atividade no mundo e adota o Ritual de Schröder desde 1801.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.