Meu nome é WALTER APARECIDO RODRIGUES, inicialmente devo agradecer ao GADU por ter me dado a oportunidade de ser MAÇOM e membro da ARLS Estrela dos Campos Elísios n. 2649 – Oriente de Ribeirão Preto/SP, na qual fui iniciado em 23.05.2006, elevado em 22.05.2007 e exaltado em 29.01.2008.

Tomo neste momento, a liberdade, de em nome de todos os iniciados hoje no grau 33, dizer que sentimos muito orgulho em pertencer a Ordem Maçônica, pois pudemos aprimorar nossos conhecimentos para a lapidação da Pedra Bruta que ainda somos, em prol da nossa perfeição moral, ética, do nosso profissionalismo, e principalmente, para a melhoria no relacionamento com todos àqueles que nos cercam, seja na nossa vida familiar, profissional ou social.

Agradecemos do fundo de nossos corações aos Mestres que nos guiaram no simbolismo maçônico, e também nas Câmaras de Perfeição, Capitular, Kadosch e que juntamente com outros grandes mestres e muita paciência nos conduziram a galgar oposto máximo da maçonaria escocesa – O GRAU 33, e nos regozijamos também como novos Inspetores Gerais, que por nossa dedicação e perseverança chegamos a este grande momento.

Quero dizer, que todos os nossos Mestres nos ensinaram que a FORÇA de um homem/maçom não está somente na BELEZA de suas palavras, mas sim, e principalmente na SABEDORIA de suas atitudes, atitudes estas onde devemos diferenciar o BEM e o MAL.
Esta questão do BEM e do MAL, sempre se constituiu em um problema de difícil solução em todos os sistemas filosóficos e religiosos.

Mas para nós maçons que acreditamos em um Ser Supremo, O GADU, o problema é bastante simplificado diante das qualificações infinitas deste Ser Divino.

Se o Pai Celestial é infinitamente bom, sábio, justo, perfeito, poderoso e misericordioso, ele não criou o mal, em nenhuma de suas formas.

Sua criação é toda voltada para o BEM.
Entretanto, o mal existe e se existe tem uma causa.
E é esta causa que nós devemos combater.
O que nós aprendemos, com nossos mestres, é que não estamos aqui por acaso, mas um dia, quem sabe, seguindo seus ensinamentos alcançaremos a Jerusalém Celeste.
Dos males que afligem a humanidade em todos os quadrantes do globo terrestre, os flagelos naturais escapam ao controle dos homens.

Os terremotos, maremotos, as erupções vulcânicas, as tempestades devastadoras, as inundações são fenômenos próprios da natureza, e não podemos evitá-los, mas com nossa inteligência podemos minimizar suas consequências desastrosas.
As ciências cultivadas e aplicadas melhoram as condições de habitabilidade da Terra, entretanto, os piores males são criados pelos vícios e paixões humanas e, aí estão as respostas das causas do mal: o orgulho, o egoísmo, a cupidez, a ambição desmedida, a vaidade, a incompreensão do semelhante, a opressão do forte contra o fraco, a indiferença com relação ao sofrimento alheio e a ignorância da realidade espiritual.

Todas essas causas estão no homem e nós maçons devemos levantar templos as virtudes e masmorras aos vícios.
Essas causas são responsáveis pelas guerras entre nações e povos, quando uns poucos indivíduos despreparados para o exercício da liderança e do poder, decidem sobre o destino de milhões de criatura.

São também os despreparados os responsáveis pela má organização das sociedades humanas, nas quais predominam o egoísmo feroz, com a indiferença dos ricos e dos poderosos e dos governos comprometidos com as classes dominantes perante as massas humanas carentes de saúde, educação, trabalhos dignos e tudo mais que caracteriza uma pseudo civilização.

A essas causas se deve o mau funcionamento das instituições humanas, políticas, sociais, religiosas, científicas, educacionais e, por mais idealistas que sejam seus propósitos, uma vez que, sendo administradas por homens, estes fazem nelas refletir suas próprias condições intelectuais, morais e espirituais.

Está bem claro, portanto, que o mal não provém do GADU, o que seria um absurdo total.
A origem do mal está no homem e não deve existir no homem/maçom.

Obviamente que este pode escolher agir no bem ou no mal, segundo sua própria escolha, com as consequências naturais das Leis Divinas.

Tomemos como exemplo a Organização Política do Estado:
De todos os sistemas políticos experimentados pelos povos – impérios, reinados, principados, ditaduras civis e militares, repúblicas unitárias e federativas, autocracias diversas, democracias – a experiência mostrou que a democracia é a melhor solução, por se basear na representatividade do povo, através de escolha de representantes dignos, trabalhadores honestos, e conhecedores dos problemas do povo.

Entretanto, o que acontece, na prática é algo decepcionante para o próprio povo que se vê traído em suas aspirações mais justas, pelo despreparo, pela corrupção e pela desonestidade de muitos de seus representantes nas altas esferas governamentais, afetando os poderes executivo, legislativo e judiciário.

Homens imperfeitos, deseducados moral e intelectualmente, comprometem qualquer instituição, por melhor que ela seja.
E a maçonaria nos educa para combater essas imperfeições.

Nos educa na prática do bem, enriquecendo-nos como obreiros úteis e dedicados no caminho da Paz, da Harmonia e da Concórdia, pois sendo o mal resultante das vicissitudes humanas e sendo o homem por sua vez, criação do GADU, argumenta-se que ele criou indiretamente o mal, através do homem.

E, é por isso, que, nós maçons devemos incessantemente, premidos pela necessidade de um progresso intelectual, desenvolver as ciências e aplicar tecnologias e moralidade cada vez mais, em prol de uma humanidade que precisa ser regenerada.

A grande missão do maçom é, bem como, a incumbência dos Grandes Inspetores Gerais da Ordem:
FAZER O BEM, PRATICAR A CARIDADE e VIVER O AMOR em suas diferentes formas, pois quem pratica a benevolência com naturalidade, sem ostentação, sem a busca de reconhecimento, já alcançou boa condição de elevação, sem a necessidade da procura de opções entre o bem e o mal, sendo que já não sente tanta dificuldade em viver o bem pelo bem, pois já se colocou em condições de alcançar estágios mais elevados, neste ou noutro patamar mais evoluído.
Portanto, meus irmãos, novos Inspetores Gerais, busquem cada vez mais novos conhecimentos maçônicos e transmitamo-los aos novos iniciados na Ordem Maçônica, seguindo a máxima do nosso Irmão JESUS CRISTO,
Educai-vos e Instrui-vos.

Sobre o Autor

ARLS Estrela dos Campos Elísios n° 2649 GOB/SP Oriente de Ribeirão Preto

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.