Ainda, por incrível que pareça, existe grande confusão entre Altar e Dossel do Venerável, que são duas coisas distintas. O Altar é o lugar onde o homem entra em contato com Deus. É a materialização do espiritual. A posição do Altar varia de conformidade com os ritos, mas sempre é colocado em lugar de destaque, preferivelmente no centro e defronte ao Dossel. Há os que afirmam que sua colocação deverá obedecer à Constelação Austral, tanto que o Altar também é conhecido com o nome de Ara.

Ainda, infelizmente, pelo menos no Brasil, não se conseguiu uniformizar a construção e uso do Altar. Uns o constroem em forma de triângulo, outros, quadrado, e por fim há os que apenas o apresentam como uma pequena coluna com caneluras.

No Templo de Salomão era quadrado, tendo em cada canto, na parte superior do cubo, um pequeno corno e sobre ele o Livro Sagrado aberto onde descansam o esquadro e o compasso entrelaçados. Nos cantos, três luzes, permanecendo um ângulo vazio ao Norte, onde não há luz.

Já entre nós é mais usado o Altar triangular, onde são colocados a Bíblia, um compasso e um esquadro.

Outros ritos colocam em cada face do triângulo um candelabro; no centro uma pequena almofada com franjas de ouro e sobre ela o Livro Sagrado, quando aberto, o compasso entrelaçado pelo esquadro e a espada Flamígera.

Os altares sempre foram locais onde o homem apresentava sacrifícios a Deus. Para os cristãos, considerando o Senhor o último Cordeiro dado em sacrifício, queimam incenso.

Espiritualmente representaria o desconhecido e materialmente, o túmulo.

Mas o seu significado mais coerente diz respeito apenas aos juramentos. Sobre o Altar somente devem ser colocados o Livro Sagrado; quando aberto sobre ele, o esquadro com o compasso entrelaçado.

Não se poderia emprestar ao Altar o significado de uma tumba, eis que o túmulo é representado pela Câmara
das Reflexões.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.