O GIZ, O CARVÃO E A ARGILA

Compreendidos os temas envolvendo símbolos, signos, alegorias e o próprio Painel em que esses elementos são veiculados, abordar-se-ão o Giz, o Carvão e a Argila.
À vista disso, (BORGES E CAVALCANTE, 2008) esclarecem: é dever do aprendiz maçom servir a seu Mestre com Liberdade, Fervor e Zelo:

• GIZ: Sinônimo de liberdade, pois o mais leve toque deixa um rastro;
Note-se que um dos objetivos da maçonaria, devidamente registrado por Boucher (BOUCHER, 2001) é: a Arte de Construir o templo ideal. E esse templo é, primariamente, o Homem que inicia sua atividade desbastando sua pedra bruta. Ora, para se construir qualquer edificação, quer seja real, quer seja alegórica é imprescindível traçar um plano. Figuradamente ou literalmente, tal tarefa pode ser levada a cabo com a ajuda do giz.

Por outro lado, há uma característica peculiar desse elemento: sua utilização como fundente em metalurgia, ou seja, facilita a fusão de metais.

• CARVÃO: Significação de Fervor, fervoroso. Uma vez que, adequadamente aceso, o metal mais rijo funde-se.
Convém mencionar que, diretamente ou indiretamente, pode existir, ao menos em sentido alegórico, uma relação com o enxofre da alquimia (BOUCHER, 2001), elemento esse que simboliza o ardor e que, por outro lado, é um dos constituintes dos metais. Neste item, uma vez mais, há menção a metais. O carvão tem, fundamentalmente, o propósito de aquecer, senão para fundir, ao menos para refinar os metais.
Desse modo, pode-se depreender que esse fervor deve estar relacionado ao entusiasmo que deve residir no aprendiz maçom ao servir o seu mestre.

• ARGILA: Símbolo de zelo, relacionada à terra que nunca se mostrou inamistosa ao homem, pelo contrário, sempre gentil e benigna.
Desperta interesse o relacionamento da argila com a terra no contexto observado nos outros elementos: provedora não apenas de metais, mas também dos refratários capazes de suportar as elevadas temperaturas impostas pelo carvão. Por essa razão, a argila pode ser o fator de equilíbrio entre os outros dois elementos.

Há de se convir a possibilidade de existir uma relação simbólica entre a argila, o carvão e o giz e a metalurgia. Porém, nem o ritual do aprendiz faz essa alusão, embora seja entregue ao candidato uma moeda. O candidato, por sua vez, é despojado desse e de outros metais por ocasião de sua iniciação nos augustos mistérios da maçonaria. Entretanto, em um sentido estrito, não foi possível determinar a relação existente entre esses elementos com a técnica de elaboração de metais, a saber: metalurgia. O próprio texto encontrado no Volume da Lei afirma, em relação à construção do templo do Rei Salomão, em 1 Reis Capítulo 6, versículo 7:
“E ao ser construída a casa, ela foi feita de pedras lavradas trazidas da pedreira, de tal forma que nem martelo, nem machado, nem nenhum outro instrumento de ferro se ouviu na casa quando a construíam”

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.