O Sentido Simbólico das Joias dos Oficiais de uma Loja Maçônica

VENERÁVEL MESTRE

A joia do Venerável Mestre é o Esquadro. Sendo o Esquadro o símbolo da Retidão, como joia distintiva do cargo de Venerável, indica que ele deve ser o maçom mais reto e mais justo da Loja que preside.

Como símbolo da retidão, todo Maçom deve subordinar suas ações. Como símbolo da virtude, devemos retificar nossos corações. O Esquadro é materialmente o instrumento empregado nas construções. Simboliza para o Venerável a grandeza, a sabedoria de seus julgamentos e ensinamentos aos membros da Oficina. É dessa sabedoria e discerni- mento da Justiça que devem brotar seus julgamentos, suas sentenças.

Pelo Venerável se conhece a Oficina, isto é, sendo ele o resultado da vontade dos Irmãos do Quadro, é constitucionalmente o responsável direto e indireto pela atividade ou inatividade, pelo brilho ou pela mediocridade, pela participação ou desunião, pela igualdade ou complexo, pela prepotência ou pelo ambiente de harmonia, enfim pelo fracasso ou pelo retumbante sucesso.

VIGILANTES

Denominam-se Vigilantes os dois Oficiais de uma Loja atual, que, por ordem hierárquica, seguem ao Venerável Mestre, os quais, embora contrariando algumas tradições, sucedem-no na presidência dos trabalhos durante os impedimentos. Esses três oficiais são denominados “Os Três Principais Oficiais”.

Os Vigilantes são os colaboradores diretos do Venerável Mestre para ministrar instruções aos Aprendizes e Companheiros. Sendo pela ordem hierárquica, o segundo Oficial da Loja, cabe ao 1º Vigilante ministrar instrução aos Companheiros e o 2º Vigilante, terceiro da hierarquia, instruir os Aprendizes.

1º VIGILANTE

O Nível é a Joia distintiva do cargo. E o emblema da Igualdade. O Nível maçônico é formado por um Esquadro de hastes iguais, de cujo ângulo desce uma Perpendicular. O Nível simboliza a Igualdade social, base do Direito Natural e a Perpendicular significa que o maçom deve e precisa possuir uma Retidão de julgamento que nenhuma afeição – de interesse ou de família – deve impedir. O que pode distinguir os maçons e conduzi-los aos Altos Cargos é o mérito e também as virtudes e o talento.

O Nível lembra ao maçom que todas as coisas devem ser consideradas com serenidade igual e que o seu simbolismo tem como corolário noções de Medida, Imparcialidade, Tolerância e Igualdade, bem como o correto emprego dos conhecimentos.

2º VIGILANTE

A Joia do Cargo é um Prumo ou Perpendicular. Essa joia sugere que não se deve parar no aspecto interior das coisas, mas que se deve penetrar o sentido oculto das alegorias e dos símbolos. Ele representa o Símbolo da Pesquisa da Verdade nas profundezas onde se oculta; assim como da elevação dos sentimentos maçônicos em direção das alturas. No alto como em baixo, descobre-se a beleza do Espírito e do Coração.

O Prumo ou Perpendicular na Maçonaria é fixado no centro de um Arco. Ele é o emblema da busca, da pesquisa, da investigação da Verdade. E, aproximando-o da verdade, do equilíbrio, ele parece mostrar o caminho que conduz à perfeição. Aliado ao Esquadro, ele permite a correta e perfeita construção do Templo.

DIÁCONOS

As joias dos Diáconos é um conjunto de Esquadro, Compasso e um Sol (1º Diácono) e Esquadro, Compasso e uma Lua (2º Diácono). São mensageiros dos Principais Oficiais da Loja.

1º DIÁCONO

Recebe e passa as ordens ou orientações do Venerável Mestre para o 1º Vigilante.

2º DIÁCONO

Recebe e passa as ordens ou orientações do 1º Vigilante ao 2º Vigilante. Da mesma forma recebe e passa as mensagens do 1º Vigilante ao Venerável Mestre.

CAPELÃO[2]

A Joia do Capelão é um Livro Aberto, que simboliza O Volume da Lei Sagrada. O Capelão é o responsável pelas preces ao Todo Poderoso para as atividades da Loja.

SECRETÁRIO

Como o Secretário representa a Memória da Loja, sua joia são duas penas cruzadas indicando que ele assegura a tradição da Ordem e da Oficina, com o registro de todos os fatos passados bem como o presente.
O Secretário e, na ordem hierárquica, o quinto oficial; pede a Palavra diretamente ao Venerável.
O Secretário é o grande responsável pela História da Maçonaria. Os historiadores do futuro basear-se-ão no que ele registrar. Se ele deixar de registrar, ou registrar mal os fatos ocorridos, a História, nesse caso, ficará truncada ou será mal contada.

TESOUREIRO

As duas chaves cruzadas, usadas como joia do Tesoureiro da Loja, significam que ele é o depositário das reservas monetárias da Loja e seu manipulador. A chave é um símbolo forte e marcante dentro da Maçonaria, muito especialmente nos chamados Altos Graus. Ela é considerada como símbolo do Silêncio, da Circunspeção, da Inteligência, da Prudência e da Discrição.

O Tesoureiro, assim como o Secretário da Loja, ocupam cargos de cunho profano, até mesmo na sua nomenclatura. No entanto, seu valor dentro da administração é de suma importância.

MARECHAL[3]

A joia do Marechal são dois bastões cruzados em forma de cruz de Santo André. Simboliza a organização. O Marechal é um organizador, preparador dos trabalhos antes e após trabalhos da Loja. Ele também exerce outras funções a critério do Venerável Mestre, tais como conduzir as comitivas de maçons e profanos.

COBRIDOR

A Joia do Cobridor é uma espada. Ao ser empossado como Cobridor, o Venerável Mestre Instalador diz estas palavras: “Cabe lembrar-vos que estas Espadas Cruzadas indicam que só deveis dar ingresso em nossa Loja aqueles que têm direito a tomar parte em nossos trabalhos. Simbolicamente os ferros cruzados, em guarda para o combate, nos ensina a nos pormos em defesa contra os maus pensamentos e a ordenarmos moralmente as nossas ações.

Armado de Espada, o Cobri dor fica à esquerda de quem entra, ao lado da porta cuja guarda lhe é confiada e que deve manter fechada. Por esse motivo é que, em determinadas potências, é também chamado o Guarda do Templo, representando o traço de união entre o mundo profano e a Loja, só ele pode abrir ou fechar a porta.

A prova da grande importância desse cargo, se verifica na Maçonaria Inglesa. Lá as Lojas elegem apenas o Venerável, o Tesoureiro e o Cobridor Interno, por considerarem tais cargos os de maior responsabilidade, devendo, por isso, merecer o voto de todos os Irmãos da Loja. O Venerável é que nomeia os ocupantes de todos os outros.

ORGANISTA[4]

A Lira é um instrumento musical, de corda, em número variável, parecido com uma harpa, porém em menores dimensões, sendo um dos instrumentos mais antigos de que se tem notícia.
Se considerarmos os efeitos dos sons musicais durante as nossas Sessões, preparando o ambiente, tomando-o mais harmônico, mais solene, inspirador e belo, compreenderemos que a execução de uma seleção musical será o complemento indispensável para uma boa sessão.

MORDOMOS

A Joia do Cargo é a Cornucópia que simboliza a fartura, a abundância.

1º MORDOMO

É o responsável pela preparação do candidato à iniciação, passagem ou elevação.

2º MORDOMO

Auxilia os titulares nas suas funções.

  1. [1] Rito York
  2. [2] Não confundir com o cargo de Orador no REAA.
  3. [3] É comum também, em algumas jurisdições, o cargo de Mestre de Cerimônia. Há ainda jurisdição que além do Mestre de Cerimônia existe o adjunto, ou seja, o 2º Mestre de Cerimônias. A joia do Mestre de Cerimônia são duas espadas cruzadas em forma de cruz de Santo André.
  4. [4] Pode também ser denominado de Mestre de Harmonia, ou ainda Musicista.

Autor

Enviado pelo Ir.’. Moreno • Grau 33

  • rodrigo peirera de melo

    A revista é muito esclarecedora para todos quanto quererm caminha na senda do conhecimento mistíco e filosófico.Parabéns pelo trabalho

  • Sjabh

    mt interessante;;;

Editora Domínio

(11) 2099-9299 - Rua Dr. Zuquim, 576 - 02035-020 - Santana - São Paulo - SP