AFraternidade, sob o aspecto teórico, é um conceito de filosofia profundamente ligado às ideias de Liberdade e Igualdade. Com esses três elementos, forma-se o tripé que caracteriza um dos mais importantes conceitos em que se baseia a Maçonaria. A ideia de Fraternidade mostra que o homem, na vida em sociedade, estabelece, com seus semelhantes, uma relação de igualdade, pois, em essência, não há nada que hierarquicamente os diferencie. São como irmãos, ou seja, fraternos.

Esse conceito é a peça-chave para o pleno estabelecimento da cidadania entre os homens, pois, por princípio, todos os homens são iguais. Um fato importante a realçar é que Fraternidade, por muitas vezes, é confundida com caridade, embora elas tenham significados radicalmente diferentes. Enquanto a Fraternidade expressa a dignidade de todos os homens, considerados iguais e assegura-lhes plenos direitos (sociais, políticos e individuais), a ideia de caridade nos mostra exatamente o oposto, a desigualdade entre os homens, na medida em que faz crer que alguns deles possuem mais direitos e são superiores e portanto são generosos quando os compartilham com os demais.

A Fraternidade, certamente, não é independente da Liberdade e da Igualdade, pois, para que cada uma delas efetivamente se manifeste, é preciso que as demais também estejam presentes. Elas agem como componentes de uma equação, em que a presença dos três elementos é necessária e obrigatória para que o resultado esperado seja obtido. Tal resultado nada mais é do que a humanidade viver e contemplar a virtude de se ter uma vida em perfeita harmonia e paz. Diante desses conceitos, pergunto: quais as consequências de uma sociedade sem a Fraternidade?

As respostas são claras: as drogas, a violência, a impunidade, a ganância, o poder, a fome, a falta da educação e do conhecimento, em suma o mal.

Com a falta da Fraternidade temos, consequentemente, a falta da Igualdade e da Liberdade. Assim, a equação não se resolve e a humanidade permanecerá à mercê do caos.

Para deter o caos, necessariamente precisamos de uma Força que seja capaz de neutralizar todos os efeitos daninhos do mal.

E que força é essa?

Outra vez a resposta é clara: a inteligência, o amor, a vontade de fazer o bem, não como caridade, mas como elemento componente daquela equação, como alavanca que leva a instrução e o saber ao homem, que leva o aprendizado e a capacidade de autossustentação e da erradicação das doenças e da fome a todos os povos.

Aí entra a Maçonaria com toda sua universalidade, com sua enorme força, com seus homens imbuídos da vontade de fazer e de edificar. A presença de nossa Ordem deve ser constante, em todos os cantos de nossa sociedade. Ela deve atuar conforme seus próprios princípios, de forma ativa e vibrante. Em um certo momento do nosso caminho, encontramos a pergunta:

Para que nos reunimos aqui?

E a resposta vem:

Para combater o despotismo, a ignorância, os preconceitos e os erros. Para glorificar a Verdade e a Justiça.

Para promover o bem-estar da Pátria e da Humanidade, levantando-se Templos à Virtude e cavando-se masmorras ao vício.

É com a simples, porém rigorosa, execução do que diz essa resposta e com tudo mais que ouvimos e dissemos no dia de nossas iniciações, que a Maçonaria pode, e com certeza vai, desenvolver a Fraternidade na sociedade.

5 Responses

  1. Marcela Ortiz

    Olá!
    Utilizei algumas idéias do artigo para um trabalho acadêmico, seria possível me enviar o nome do autor para que eu possa colocar as devidas referências?

    Obrigada!

    Responder
  2. Lourdes Amancio

    Gostei muito desses artigos relacionados à fraternidade e filantropia na maçonaria.
    Faço parte da Fraternidade Feminina Paz e Harmonia da Loja Maçônica Paz e Harmonia de Patos de Minas
    Vou levá-los para uma reflexão em nossas reuniões mensais, pois o nosso forte é o trabalho filnatrópico.
    Abraços fraternos
    Lourdes Amancio

    Responder
  3. Antonio Pereira

    Prezados senhores,

    Vejo na maçonaria, sua maneira de trabalho ao bem da humanidade e como mostra aqui texto “Fraternidade mostra que o homem, na vida em sociedade, estabelece, com seus semelhantes, uma relação de igualdade, pois, em essência, não há nada que hierarquicamente os diferencie. São como irmãos, ou seja, fraternos”.
    Isso muito me fascina e me enche de desejo de pertencer a Fraternidade, mas tem um impedimento, é que tem uns dois anos e meio que entreguei uma proposta em uma loja e até hoje não deu para mim pagar a taxa de inscrição no valor de R$. 1.400,00 para eu poder ser iniciado em loja coisa que eu muito desejo mas o tempo vai passando e já vou fazer 52 anos não sei se vai dá tempo de acompanhar o estudos nessessário para uma projeção elevatória dentro da Ordem.

    Um grande Abraço Fraterno.

    Antonio

    Responder
  4. Adelena Sousa

    Gostaria de saber o nome do autor do artigo em questão para que eu possa colocar como referência em uma discertação acadêmica. Desde já obrigada.

    Responder

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.