Opiloto Ingo Hoffmann, um dos grandes ídolos do automobilismo nacional, apresentou, em agosto de 2007, seu mais recente desafio: o Instituto Ingo Hoffmann, entidade beneficente e sem fins lucrativos, que tem como missão inicial proporcionar maior oportunidade de cura para crianças em tratamento de câncer. Entre os colaboradores do Instituto, destaque-se o Ir.’. Paulo Peres da ARLS Francisco Glicério – Nº 1522 – GOSP/GOB.

Em clima de muita emoção, o piloto Ingo Hoffmann apresentou, na cidade de São Paulo, o Instituto Ingo Hoffmann, entidade beneficente e sem fins lucrativos, que tem como missão inicial proporcionar maior oportunidade de cura para crianças em tratamento de câncer. O evento, realizado no Bun Café Salão de Eventos contou com várias personalidades do automobilismo, entre outros.

O projeto, denominado Casa de Apoio à Criança e à Família, é fruto de uma parceria do Instituto Ingo Hoffmann com o Centro Infantil Boldrini, hospital filantrópico localizado em Campinas, referência mundial em tratamento de crianças com câncer. Nessa primeira fase, o Instituto Ingo Hoffmann vai construir e administrar 30 chalés para abrigar crianças em tratamento intensivo de câncer juntamente com um familiar.

Durante a apresentação, Ingo anunciou com grande satisfação que o Instituto já angariou fundos para a construção de 22 dos 30 chalés previstos, através de 11 doadores: Mitsubishi Motors, Stock Car, Action Power, Gil de Souza Ramos, Família Camilo, Tintas JD, Incorbase Construtora, Línea Mobili e Valor Florestal (móveis), Pozzani (louças), Disal (editora). Além desses, parceiros do Boldrini – BioLab Famacêutica e McDonalds – também doaram recursos.

“Esse não é um trabalho meu, é de um grupo de pessoas. Em 2003, quando fiz minha primeira ação beneficente, percebi que através da minha pessoa e credibilidade tinha certa facilidade para angariar fundos. Eu gostaria que todas as pessoas do meio automobilístico, através do Instituto Ingo Hoffmann, usassem seu nível de relacionamentos para reverter em benefícios às pessoas necessitadas. Gostaria que todos se sensibilizassem. Estou realmente muito feliz por tudo que já conquistamos e as obras já começam em setembro”, disse Ingo, bastante emocionado.

A Dra. Silvia Brandalise, presidente do Centro Infantil Boldrini comentou: “Caiu do céu o Ingo Hoffmann. Temos uma demanda muito grande por alojamentos para crianças em terapia intensiva, transplantados de medula óssea ou aquelas que não têm mais cura. Foi um casamento de idéias extremamente feliz. Recebemos uma dádiva”. Desde 1983, essas crianças têm encontrado abrigo no Núcleo de Apoio, que o Centro Infantil Boldrini mantém com auxílio de associações, do grupo de voluntariado e da comunidade. No entanto, esses Núcleos são distantes do hospital e não atendem adequadamente as necessidades das crianças e seus familiares, especialmente as crianças em terapia intensiva.

Por isso a necessidade de instalação de um novo modelo de moradia temporária, que privilegia o pronto atendimento médico, assim como apoio emocional e social das crianças. Esse novo modelo será concretizado com a implantação das Casas de Apoio à Criança e à Família, que serão viabilizadas pelo Instituto Ingo Hoffmann e vem suprir a necessidade de manter a privacidade dos pacientes e seus familiares em momentos de dificuldade, sofrimento e dor. A proximidade com o hospital facilita muito o acesso das intercorrências clínicas e aumenta consideravelmente as chances de cura dessas crianças.

Centro Infantil Boldrini

O Centro Infantil Boldrini é um hospital filantrópico localizado em Campinas – SP (fundado em 1978) que atende há 27 anos crianças e adolescentes com câncer e doenças do sangue. Atualmente estão em tratamento 6 mil pacientes, sendo 80% pelo Sistema Único de Saúde e 20% pelo sistema privado de saúde, vindos de várias cidades do Brasil e também de países da América Latina.

O Centro Infatil Broldrini é especializado e referência mundial em tratamento de crianças com câncer. Através de parcerias com outras organizações nacionais e internacionais, o Boldrini está em constante aprimoramento científico e tecnológico. Isso tem gerado inúmeras conquistas como a construção de hospital próprio, ampliação de serviços oferecidos, implantação de novos leitos e instalação de novas unidades como a de Transplante de Medula Óssea e de Biologia Molecular.

A presidente do Boldrini, doutora Silvia Brandalise é a responsável pelo Protocolo Brasileiro de Leucemia – principal tipo de câncer infantil -, e Secretária-Geral (cargo maior) da Sociedade Latino Americana de Oncologia Pediátrica (SLAOP).

É crescente o número de crianças oriundas de outras cidades e estados, que buscam no Boldrini sua chance de cura. Em sua grande maioria, esses doentes não têm condições de se manter fora de seu domicílio.

O Começo

Segundo Ingo, tudo começou no Rally dos Sertões de 2003, com o projeto Mitsubishi Racing Pro Brasil, que arrecadou 54 toneladas de cestas básicas. No ano seguinte a arrecadação foi de 72 toneladas. Em fevereiro/04, Ingo juntamente com Regina Barsotti, advogada e amiga pessoal do piloto, iniciaram a idéia de desenvolver alguma ação social, que culminou com a criação do Instituto lançado oficialmente na noite de ontem. Regina Barsotti é a coordenadora geral do Instituto Ingo Hoffmann.

“Eu sempre quis fazer mais. Em cada carro que pilotei, em cada prova que participei, em cada curva e reta de chegada eu sempre quis ir além. Com o passar dos anos é natural que cada um de nós faça uma auto-avaliação do que temos sido, do que construímos e do que ainda podemos fazer.

Já há algum tempo comecei a fazer este “balanço”, relembrando sucessos, vitórias, derrotas e conquistas. Felizmente o resultado até aqui tem sido positivo, com lembranças mais fortes de coisas boas e de sucessos, especialmente pelo fato de ter conseguido transformar em profissão minha maior paixão, que é pilotar carros de corrida. Mas junto a tudo isto, descobri que estes momentos de vitória só existiram graças a minha determinação, ao apoio da minha família, esposa, filhos e de meus amigos.

Também descobri que várias pessoas não possuem tantas “boas lembranças” por não terem recebido o mesmo tipo de apoio e de oportunidades na vida, e que, sim, temos a possibilidade de ajudar. Acredito que isto seja responsabilidade social.

E por ter a consciência de que todos nós temos este compromisso para com a sociedade e, tendo conquistado tudo o que já conquistei, resolvi fazer mais, ir além.

Através do INSTITUTO INGO HOFFMANN, desejo retribuir um pouco do muito que a vida me reservou, com a humildade dos que reconhecem nada ser possível sem a participação e apoio de outros que, como eu, sabem que podem fazer mais”.

Maiores informações através do site

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.