INTRODUÇÃO

A Ordem DeMolay é a maior organização juvenil do mundo, amparada e patrocinada pela Maçona- ria. Foi criada em 1919, nos EUA, pelo maçom Frank Sherman Land e segue uma estrutura inici- ática, através de cerimônias de Iniciação, Eleva- ção, entre outras, além de conter Ritual próprio. No mundo, mais de quatro milhões já iniciaram em suas leiras, aprendendo lições e virtudes para ma- nifestar uma liderança consagrada.

Como toda Ordem Iniciática, ela guarda princí- pios, valores e condutas que são substrato da Ordem de modo que, sem elas, esta não existiria. Esses valores são os canais que a mantêm viva e que a guiarão através dos anos, instruindo milhões de meninos de acordo com os mesmos preceitos.

Ao longo dos anos de estudo e comprometimen- to, em todos os níveis, com a Ordem DeMolay, me vi cercado por diversos conceitos, pontos de vista, conhecimentos e aprendizados e percebi que algu- mas daquelas vivências tinham correlação entre si, do mesmo modo que experiências comuns de tantos demolays advinham de uma mesma origem, do mes- mo mapa que delineava os limites da Ordem. A cada tentativa de reunir essas ideias, novas dúvidas me chegavam, forçando o recomeço e a realocação das experiências. As dúvidas só começaram a se dissipar quando, tomado por um insight, consegui relacionar as informações visíveis no Ritual à estrutura organi- zada por Land e Marshall.

Amparado por esses conhecimentos, só me restava reuni-los em forma de pergunta, para que, em seguida, pudesse respondê-la. Certa vez o poeta brasileiro Mário Quintana declarou: “A resposta certa, não importa de nada: o essencial é que as perguntas estejam certas.”. Pois bem, então, façamos a pergunta certa.

QUAISSÃOOSFUNDAMENTOS DA ORDEM DEMOLAY?

Entre tudo que se lê e se ouve sobre Ordem De- Molay, é preciso saber discernir aqueles pontos substanciais, dos pontos que a acrescentam sem fundamentá-la diretamente. Nesta caminhada elucidaremos questões necessárias para se en- tender como se mantêm essa Ordem que todos partilhamos. Eu poderia dizer que esses funda- mentos são divididos de três formas claramente distintas. A primeira delas diz respeito ao ter- ritório, base de trabalho sem o qual muito não poderia ser feito; a segunda forma diz respeito à qualidade dos valores cultivados; a terceira é a capacidade de legado e tradição que se estabele- ce, impossibilitando que os ensinamentos se per- cam ou se modifiquem com as mudanças sociais. Apresentemo-los:

Fundamentos:
1. O território: A Maçonaria 2. As virtudes e os baluartes 3. Tradição e Legado
O primeiro fundamento é o que eu gosto de cha- mar de território, é o solo que a Ordem DeMolay criou raízes e do qual jamais sairá. Façamos uma bre- ve analogia a uma conhecida parábola:
Disse ele: Um semeador saiu a semear. E, se- meando, parte da semente caiu ao longo do caminho; os pássaros vieram e a comeram. Outra parte caiu em solo pedregoso, onde não havia muita terra, e nasceu logo, porque a terra era pouco profunda. Logo, porém, que o sol nasceu, queimou-se, por falta de raízes. Outras sementes caíram entre os espi- nhos: os espinhos cresceram e as sufocaram. Outras, en m, caíram em terra boa: deram fru- tos, cem por um, sessenta por um, trinta por um. Mateus 13:4-8

Land semeou em terra fértil suas sementes e por esse motivo, elas prosperaram. O território tem duas características principais, uma decorrente da outra: a primeira é a Ordem DeMolay estar dentro da estrutura maçônica e, portanto ser guiada, protegida e orienta- da por esta Ordem milenar; ou seja, todos os excessos dos jovens estariam sobre os olhos atentos de ma- çons com capacidade de direcionar-lhes nas melhores ações; além disso, a criação da estrutura dos Grandes Conselhos (Estrutura composta por maçons e gestora da Ordem DeMolay em âmbito Estadual/Nacional) realoca a responsabilidade, tirando-as unicamente das Lojas Patrocinadoras e criando cargos próprios para maçons que devem ser ainda mais cuidadosos nos rumos da DeMolay. Voltemo-nos ao “Hi, Dad!”, que conta a respeito do compromisso inicial rmado pelo primeiro Grande Conselho:

Esta Associação está formada pelo propósito de formação de uma união perfeita e fraternal, estabelecendo ordem e tranquilidade, proven- do e promovendo o bem-estar geral e servindo aos melhores interesses da Ordem DeMolay através do mundo; O propósito do Grande Conselho da Ordem DeMolay, é promover o bem estar social e moral na passagem de jo- vens de 16 e 21 anos de idade, ensinar o dever com Deus, ao semelhante e a si próprio; exigir de todos uma vida pura, de alto respeito pelos pais, respeito ao sexo feminino e amor ao País e às instituições livres; e fazer toda e qualquer coisa necessárias e apropriadas para que os jo- vens desenvolvam-se para alcançar uma vida adulta inteligente, moral, autossustentável e obediente a lei. (DUNCAN,1994 p. 88

Deste compromisso nasceu a responsabilidade maçônica para com os demolays, tão essencial para o bom funcionamento da Ordem.

A segunda é o fato de a Ordem ser iniciática e, por- tanto, ter uma dimensão fraternal (decorrente do patro- cínio da Maçonaria). É certo que todos somos lhos de Deus, o que nos faz irmãos aqui na Terra; porém por este ser um conceito diluído e pouco e caz nas relações humanas cotidianas, faz-se necessário a rea rmação desse laço fraterno através de uma Iniciação: ao nascer- mos novamente em uma ordem iniciática, nos tornamos irmãos. É esse laço que nos torna distintos dos outros e que nos faz perceber um sentimento de intimidade com um irmão que acabamos de conhecer, de outro capítulo, de outra cidade, de outro estado. O sentimento de que somos uma família, nos une e nos fortalece. Talvez essa força familiar justi que a ênfase dada por Dad Land à família e aos pais.

Porém não basta que o terreno seja iluminado e fértil para que a plantação dê frutos, é preciso que a semente seja boa, ou seja, o conteúdo, os ensinamentos devem ser valiosos e bem escolhidos. Estes ensinamentos são, portanto, a base do segundo fundamento.As sete virtudes cardeais: Amor Filial, Reve- rência pelas coisas Sagradas, Cortesia, Compa- nheirismo, Fidelidade, Pureza e Patriotismo e os três baluartes, representam, como instrui com agu- çada percepção a Cerimônia da luz: “[

À ênfase na família re ete a força, a união da célula mais antiga da sociedade; tomados como átomos soltos na sociedade estamos sujeitos a qualquer coisa, porém quando nos entendemos e fazemos parte de uma família, então se espera que tenhamos uma estrutura capaz de enfrentar as di – culdades do nosso lado.

O respeito e reverência ao sagrado (e todos os ensinamentos divinos, que são elencados ao longo da trajetória) é outra questão essencial. Em primeiro plano ensina o respeito àquilo que lhe possa parecer estranho e o respeito às próprias pessoas que tem um entendimento espiritual diferente; em segundo plano, ela nos ensina que algo é sagrado, ou seja, existe algo além da matéria e se existe algo além da matéria, é preciso dar cada vez mais importância às questões superiores, da integridade moral e do espírito….] os sím- bolos de tudo o que é correto e bom no mundo. São os modelos sobre os quais, nós, como DeMolays, prometemos basear nossas vidas.”

A cortesia é o elemento que nos traz generosida- de e dá um caráter civilizacional às nossas relações, principalmente em relação ao sexo feminino. Companheirismo e delidade representam a res- ponsabilidade moral integral diante ou dos seus ir- mão e amigos ou da promessa feita. Um dos maiores escritores da história, o russo Fiódor Dostoiévski, escreveu certa vez: “o inferno é não con ar”, de- monstrando a dúvida e incerteza nefasta que se ins- tala naquele que descon a. Em um mundo onde é cada vez mais difícil encontrar alguém que se pode con ar, um jovem que tem palavra, responsabilidade e é con ável, é um porto seguro inabalável para seus amigos, um exemplo de honra e caráter indissolúvel, que guarda qualidades de extrema importância para seu desenvolvimento.

A pureza, em nível mais substancial representa o sentimento verdadeiro da bondade e da caridade, a transparência de ações e de sentimentos, jamais dese- jando em segredo aquilo que em discurso critica e ataca violentamente. Em sentido corpóreo, retrata aquilo que nos fala com clareza a Cerimônia das Flores:
Em nome de tudo que z/ Lembre-se de mim na vida, Oh lho./ /Mantenha este corpo altivo, belo e honrado: / Ele é um monumento à minha vida.

Manter o corpo altivo, belo e honrado signifi- ca também se afastar de tudo aquilo que o debi- lita fisicamente ou enervam sua mente, tornando a alma envelhecida.Por m o Patriotismo. É necessário ao jovem De- Molay exercer sua cidadania, sempre defendendo a soberania de seu país e os baluartes da liberdade ci- vil, religiosa e intelectual como mecanismos capazes de manter um regime democrático. Essa análise, com certeza, não abarca a totalidade e a profundidade do que se pode dizer a respeito das virtudes, mas dá uma ideia parcial da grandeza e im- portância destas em nossas vidas. Apesar de não bastar esse setenário místico para conter tudo de que um jovem necessita, Frank S. Land fez um juízo de valor, elencando essas características e princípios como os essenciais, aqueles em que ele crê sinceramente que ajudarão no crescimento do jovem. Caso nos perguntemos se essas são as melhores virtudes a serem transmitidas aos jovens, podemos encontrar a resposta com os resultados que vemos dia-a-dia no desenvolvimento dos jovens e na sua aptidão à liderança em todos os campos da vida. É a rmação literal daque- la citação bíblica já consagrada: “Não existe árvore boa que dê frutos ruins, nem arvore ruim que dê frutos bons; porque toda árvore é conhecida pelos seus frutos (Lucas 6: 43-44)”. O discernimento de que aqueles valores escolhido por Dad Land são os melhores, não se dá pela crença cega em um dogma da Ordem, mas simplesmen- te por ver seus resultados na prática, na vida das pessoas.

Pois bem, se entendemos o que foi dito, aceita- mos dizer que o lugar onde a semente foi plantada é sólido e fértil e a semente traz em si ensinamentos maravilhosos que nos engrandecem. Porém é pos- sível que venham di culdades, problemas, intrigas, tempestades que arranquem, modi quem destruam todo um bom trabalho começado há décadas. Toda Ordem, por certo, pode sofrer com mudanças destru- tivas. Mas por que então a Ordem permanece rme, altiva e intocada?

Porque nós temos um Ritual.
Rituais que nos foram legados. Legado é tudo aquilo que se pode transmitir às gerações que se seguem. E este foi o presente mais simbólico que nossos fundadores conseguiram nos transmitir: a sa- bedoria condensada em movimentos, falas e sinais.

A existência do ritual é a garantia da perpetuação da mesma mensagem onde quer a DeMolay se instale.
Ali estão as diretrizes gerais não apenas para gerir uma reunião, mas também para viver a Ordem De- Molay. O Ritual é a linha perene que integra perfeita- mente a Ordem ao jovem. Fazer parte de uma cultura só é possível se você entende sua maneira de falar, seus gestos, suas palavras de passe, sua ritualística, seus costumes e etc. e para que isso seja feito há um manual de instruções: o Ritual. Este é o último, po- rém não menos importante fundamento no qual a Or- dem é constituída.

1. Ver em: http://sis.demolaybrasil.org.br/downloads/downloads000003.pdf
2. Ver em: http://sis.demolaybrasil.org.br/downloads/downloads000007.pdf

Referências Bibliográficas
DeMolay Brasil, Cerimônia das Flores.
Disponível em: Acesso em: 15 de Maio de 2015.
DUNCAN, H. E. Hi, DAD! Uma história sobre Frank S. Land e a Ordem DeMolay. 1o edição: Brasília.
Bíblia Online. Disponível em: Acesso em: 27 de Julho de 2015.

Sobre o Autor

Membro do Capítulo Guardiões do Cruzeiro do Sul n° 772, patrocinado pela Loja Maçônica Luz e Sabedoria no Oriente de Vitória da Conquista/BA. Mestre Conselheiro Estadual Adjunto da Ordem DeMolay no Estado da Bahia.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.