Sabe-se que o santo patrono da maçonaria é São João, mas qual deles foi o eleito, já que conhecemos três santos com este nome: São João Batista, São João Evangelista e São João Esmoleiro, conhecido também como São João da Escócia ou ainda São João de Jerusalém?

Sobre o assunto, Claudio Blanc esclarece, ipsis literis, que “Por ter sido dedicado com tanto afinco à causa da Igreja, foi canonizado com o nome de São João Esmoleiro ou São João de Jerusalém. Os maçons que lutavam nas cruzadas, tocados pelo exemplo de São João Esmoler, acabaram por acolhê-lo como patrono. No entender desses maçons é São João da Escócia com sua abnegação e sacrifício em prol de uma causa maior que melhor espelha seu mais findo ideal.ˮ (autor citado – Grande Livro da Maçonaria –pag. 69 – ON Line-Editora).

Portanto, esta corrente doutrinária histórica maçônica, considera São João de Jerusalém, conhecido como São João da Escócia ou ainda São João Esmoler, como patrono da Sublime Ordem. Entretanto, outra vertente histórica sustenta que os verdadeiros patronos da maçonaria são os Santos João Batista e João Evangelista, pois o entendimento do Oriente Médio considerou sua região esquecendo as passagens bíblicas mencionando João Batista e João Evangelista com grande aceitação na Europa onde se desenvolveram as guildas e corporações de artícifes.

Prossegue o historiador: “A única relação entre São João, o Hospitaleiro ou Esmoler, e os maçons operativos, é um fato relatado por Rohrbacher. Lê-se, com efeito, nesse autor, que São João Esmoler, Patriarca de Alexandria, enviou imensos recursos a Modesto, abade de São Teodoro, na Palestina, para reconstruir as igrejas destruídas pelos árabes em 615. Na verdade, os santos patronos da Ordem Maçônica são São João, o precursor (Batista) e São João Evangelista, estando um e outro em estreita relação com Janus, Deus dos romanos, Deus das corporações de artífices ou Collegia fabroram que celebravam em sua honra as duas festas solsticiais do inverno e do verão.” (Jean Palou – A Franco –Maçonaria Simbólica e Iniciática – pág. 68 – Editora Pensamento – 2009)

Vê-se, assim, que o tema é controvertido sobre o verdadeiro patrono da Instituição Maçônica e não conheço qualquer manifestação oficial de qualquer Potência que tenha se posicionado. E é por isso que nos rituais as perguntas são feitas ao Ir∴ visitante sem que este especifique qual São João se refere:
– Meu irmão de onde vindes?
– Da Loja de São João, Venerável Mestre.
– Que se faz na Loja de São João?
– etc.

De toda exposição, podemos concluir que na ausência de especificação oficial da Ordem Maçônica, é lícito considerar-se todos os três santos como patronos, como só um deles ou só os dois, Batista e Evangelista ou ainda outra dupla que se desejar!

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.