A reunião maçônica é sem dúvida um dos atos mais significativos e importantes na Maçonaria, e isso nos faz crer que, antes de dirigirmos a esta reunião, necessário se faz nos prepararmos física – psíquica e emocionalmente para que tudo aconteça dentro da nossa expectativa.

Esse preparo se assemelha ao mesmo que fazemos quando vamos a uma festa na vida profana, ou seja, com o coração e a mente receptivos aos acontecimentos alegres, interessantes e no nosso caso específico, esclarecedores.

Do mesmo modo que cuidamos do nosso interior, devemos dar atenção à nossa vestimenta, evitando o uso de tênis, alpargatas e valorizando o uso do sapato preto, que é sem dúvida o mais adequado.

A partir do momento em que nos encontramos em Loja, unidos em pensamento e com nossa intenção voltada para o mesmo objetivo, fazemos uma corrente positiva, e, logicamente atraímos do Mais Alto inspirações que nos levam a nos unir cada vez mais para o bom andamento do nosso trabalho; propiciando um ambiente leve, saudável e uma perfeita união de amor fraternal.

Todos nós seres humanos comuns, somos frágeis, sensíveis, mas temos forte em nosso coração a fraternidade que é um dos nossos lemas; por essa razão meus Irmãos é de suma importância passarmos nossas palavras pelo crivo da razão e da generosidade, pois, as palavras salutares elevam aqueles que a ouvem, entretanto, quando proferidas impensadamente, com inflexão agressiva, sem o raciocínio e a devida prudência magoam e ferem como lâminas afiadas.

A Maçonaria é uma instituição filantrópica, filosófica, que tem o objetivo de agrupar seres humanos que possuem planos futuros que se coadunam aos demais Irmãos. São homens de todas as formações profissionais, científicas, liberais, braçais, em suma, engloba todas as atividades exercidas pelo homem. O trabalho tem como meta beneficiar a todos e tem seu fundamento na amizade, na boa intenção de quem o fez, razão pela qual necessita-se abster-se de comentários não éticos.

Esse fato, no meu entender, é o mais importante e explico por quê.

São apresentados trabalhos de todos os quilates. Ao apresentarmos um trabalho que tem em mente apenas a nossa contribuição em relação à nossa vivência e com nossos conhecimentos aguardamos comentários a respeito do trabalho apresentado, comentário esse que nos oriente e que nos incentive.

Cada um de nós possui seu pensamento e sua maneira própria de agir e interpretar. Somos diferentes; alguns possuem facilidades de expressão; outros de escrita e, os mais sábios, que conseguem tirar proveito de todos os conhecimentos apresentados.

Não raros os trabalhos apresentados são longos, o que nos impossibilita de podermos tirar todos os ensinamentos apresentados. Isso é natural, porém devemos em nosso próprio lar examiná-lo e absorver na íntegra as questões nele inseridas.

No meu modo de ver somos modernistas e não donos da verdade; de tudo o que nos é oferecido, devemos aproveitar ao máximo o conteúdo desse; dar uma palavra otimista sobre o trabalho apresentado é de suma importância, pois, dessa maneira, creio eu, o apresentador terá mais motivação para apresentar outros tantos trabalhos.

Essa é minha maneira de ver as coisas, o meu modo de pensar, sentir e agir; não fazer perguntas capciosas; se a dúvida aparecer falar in off com o Irmão ou então estudar a respeito.

É óbvio que todos nós precisamos ler e estudar as bases da filosofia maçônica para possuir conteúdo quando abordar algum ensinamento. Temos Irmãos que apresentam brilhantes trabalhos e sempre procuram nos indicar o norte, com a finalidade de adquirirmos uma orientação segura. Nossa Sublime Ordem é a única organização que transforma em Irmãos pessoas de crenças religiosas diferentes, pois nela convivem harmonicamente espíritas, católicos, protestantes, budistas, maometanos, judeus e etc.

Deus, nosso Pai, sempre Se lembra de nós, suas criaturas e nos proporciona direção segura por meio de pequenas estórias que nos indicam o caminho do bem; como esta que passo a narrar-lhes.

–”Existia um maçom ilustre que sempre ministrava palestras, ilustrando-as com palavras bonitas, sábias e com muito exemplo de vida. Como seu ouvinte assíduo havia um Irmão que em silêncio assistia a suas palestras e nenhum comentário fazia. Permanecia sempre quieto em seu lugar, com sua atenção voltada para os ensinamentos que eram passados.

Alguns anos se passaram e chegou o dia do retorno de ambos para o oriente eterno.

Nosso Pai os recebeu.

O palestrante famoso, falante, foi recebido de maneira simples, entretanto, na sala ao lado aquele que apenas ouvia as palestras era recebido com grande alegria e muita festa. O orador famoso reivindicou seus direitos, pois fora ele quem ensinara tudo a todos que o ouvia. Deus apenas respondeu: ‘– Meu filho, enquanto você pregava, ele ouvia com atenção, e, no dia seguinte enquanto você não se lembrava mais do que dissera, ele os colocava em prática.'”

Nós, maçons, temos a mania de criticar a Maçonaria, que não trabalha mais como antigamente; será que estamos certos? Vamos nos basear nessa estória acima descrita, ou seja, falar menos e trabalhar mais, sem cair no saudosismo, pensar e agir no hoje tendo consciência de que tudo depende de nós, e somos nós que faremos da Maçonaria o que achamos que deve ser feito. Se adequarmos as realizações atuais de muitos Irmãos, trabalhando juntos, lado a lado, atentos ao que podemos fazer o que é necessário realizar para que nossos Irmãos tenham no futuro boas recordações de nossas realizações, acredito que tudo será como antes.

Temos em Loja aprendizes brilhantes, é nosso dever fazer o máximo para encaminhá-los adequadamente; se conseguirmos que esses Irmãos tenham em seus corações a Maçonaria, continuando com esse amor e interesse por ela, com certeza sentiremo-nos felizes e realizados.

Nossos aprendizes possuem, além de seus interesses e competências pelas questões da Maçonaria, um excelente orientador que é o Irmão Segundo Vigilante.

Essa é a minha palavra e que Deus continue iluminando nossos caminhos.

17 Responses

  1. Rodrigo Fernandes Germino

    É um excelente texto, do mesmo modo que cuidamos do nosso interior, devemos dar atenção à nossa vestimenta.

    Responder
  2. jefferson

    Excelente texto.Descobri esse site e achei surreal.
    Grato pela atenção..
    ps:(Como faço para assistir a cerimonia de batismo )
    jef

    Responder
  3. AELSON

    Muitas verdades nesse trabalho, verdadeiros ensinamentos.
    PARABENS IRMAO!!!
    ABRAÇOS.
    AELSON DANTAS
    ORIENTE: MISSÃO VELHA- CEARA

    Responder
  4. Neudo Kelson Lima Verde

    Não sou maçom, mas acho admiravel o comportamento de um maçom, e acho maravilhoso o lema da maçonaria e amor fraterno pelo próximo e os ensinamentos, se todos pensassem assim, a humanidade seria bem melhor.
    Que Deus ilumine a todos a nós.

    Responder
  5. Marco Antonio

    Não sou maçon, mais gosto muito de ler os ensinamentos postados, tem me ajudado muito a melhorar a minha visão quanto aos que me cercam e amar o meu proximo.

    Responder
  6. ocimar

    Parabens Ir.´. Claudino,

    Sou V.´.M,´, da Loja Rei Salomao 52, Oriente Castanhal-Pa.
    Difícil uma Loja Maçonica nao se identificar com suas palavras.
    Parabens por esse grande trabalho.

    Responder
  7. Celio de Oliveira Ferreira

    Mano , parabens pelas colocações das palavra ao adentrar para participar da Sessão onde devemos deixar todas arestas.

    abraços .

    Responder
  8. Paulo Sérgio de A. Pereira

    Parabéns pelo artigo. Sou Ap.’. da Loja Harmonia e Fraternidade, Or. Petrolina-PE Os artigos muito me ajudam no crescimento. Um T.’.F.’.A.’.
    Ir.’.Paulo Sérgio de A. Pereira

    Responder
  9. Augusto cesar pires da Silva

    parabéns pelo belissimo trabalho
    Augusto Cesar Pires da Silva – Luzilandia – Piaui – Brasil

    Responder

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.