O presente trabalho tem como objetivo desumidificar a maçonaria, trazendo as famílias maçônicas e profanas, conhecimentos básico, para quebrar mitos e sofismas criados a partir da ignorância e falácias de alguns profanos. Dessa forma, o trabalho foi desenvolvido para ser apresentado como discurso ou instrução em sessões “brancas” ou abertas, para associações paramaçônicas e candidatos a nossa ordem. Como forma didática, pontuamos sete parágrafos, sendo seis quebrando mitos e o sétimo para revelar um dos pilares da Ordem Maçônica, conforme passaremos a apresentar abaixo.

1º. A maçonaria é uma religião ou seita? Não, a Maçonaria é uma associação de direito privado, formada pela sociedade civil, sem fins econômicos, filantrópica e filosófica, e não uma religião ou seita, com algumas pessoas pensam e pregam. Ela é formada por homens, maiores de 21 anos, idôneos e virtuosos, acessíveis a todas as classes sociais, de todas as crenças religiosas ou políticas, salvo aquelas que restrinjam o ser humano da liberdade, de seus direitos e da dignidade humana. Possuímos em nossa instituição universal, cristãos de diversas igrejas evangélicas e católica, judeus, kardecistas e espiritualistas. Defino a Maçonaria como uma escola filosófica da virtude. Ela divide seus membros como Aprendizes, Companheiros e Mestres, no constante estudo e aperfeiçoamento das virtudes e crescimento interior. Os Aprendizes são os recém-iniciados que estão aprendendo a filosofia maçônica, os companheiros estão em um estágio intermediário, já possuem parte do conhecimento, mas ainda estão estudando para chegar a mestre, e por fim os Mestres, que são os maçons com maior conhecimento que ministram instruções aos aprendizes e companheiros e dirigem suas Lojas. Comparando a Maçonaria com uma Escola convencional, aqui o Aprendiz é o estudante, o Companheiro um estudante já em fase de estágio e o Mestre é o Professor.

2º. Somos uma instituição “Secreta”? Não! Durantes muitos séculos os maçons sofreram perseguições e preconceitos, necessitando até mesmo ter quer reuniões escondidas. Daí veio a expressão que maçonaria é uma Instituição Secreta. Maçonaria NÃO é uma instituição “Secreta”, mas sim “Discreta”. Nossos estatutos e atas de fundação e eleição estão registrados em Cartórios de Títulos e Documentos da sua jurisdição, sendo documentos públicos para qualquer cidadão. Ademais, hoje se compram livros sobre maçonaria em qualquer livraria física ou virtual, além do que, na internet encontramos vários artigos e vídeos maçônicos; lembrando que nem tudo que está postado na internet é verídico, como em qualquer outro assunto, existem conteúdos maravilhosos e também lixos.Dentro dessa discrição, ressaltamos que o Maçom não faz caridade ou filantropia para mostrar, mas sim para fazer o bem.

3º. O GADU é o nome do Deus do Maçom? Esta dúvida é um equívoco provocado por pessoas desconhecedoras do assunto e preconceitos, pois GADU significa Deus, mas não é um nome específico, mas sim, um nome genérico, uma vez que não somos uma religião e temos a obrigação de respeitar todas as demais religiões, assim foi adotada essa expressão para não ter conflitos. Vejamos, o católico denomina Deus de Javé, outras religiões cristã denomina como Jeová e os judeus chamam de Yahweh e assim por diante. Nós respeitamos todos e nossa ordem é aberta para todas as religiões, então, para não haver conflito de filosofia religiosa, denominados Deus como GADU.

4º. O Maçom é ateu? Não, este é o maior absurdo que possa perguntar para um maçom, pois para entrar na maçonaria, o primeiro dos requisitos é acreditar em um Deus. A Maçonaria ainda incentiva os seus membros a frequentar uma Igreja e ao estudo bíblico, buscando assim o seu crescimento espiritual. Importante mencionar, que toda reunião maçônica, em qualquer lugar do mundo, somente inicia-se com a abertura da Bíblia e uma breve leitura, em deferência a importância da religião e religiosidade para o homem.

5º. A Maçonaria tem posição político partidária? Não, ao contrário, dentro de Loja e em nome da ordem, é proibido qualquer debate político partidário. No entanto, a maçonaria, através de seus membros, luta para defender a liberdade, a livre investigação da verdade e da ciência, e especialmente para a igualdade. Existem maçons que participam de política partidária, inclusive tivemos diversos governantes, líderes partidários e revolucionários que eram maçons, dentre eles, no Brasil destacamos: Tiradentes, Frei Caneca, Dom Pedro I, José Bonifácio, Gonçalves Dias, Marechal Deodoro da Fonseca, Dr. Mário Covas e outros importantes nomes que contribuíram para Inconfidência Mineira em Ouro Preto, independência do país, abolição da escravatura e proclamação da república.

6º. O maçom após iniciar fica rico? Essa é a falácia mais popular e falsa de todas. O maçom pode ficar rico com seu trabalho, ou recebendo herança ou mesmo retirando a sorte grande (como por exemplo, a Mega Sena acumulada). No entanto, a maçonaria pode ajudar o homem a caminhar pela retidão, disciplina, buscar nos estudos o conhecimento; ainda coloca em primeiro lugar Deus, em segundo a família e em terceiro o Trabalho, ou seja, teoricamente, o maçom deve ser estudioso, trabalhador e disciplinado, estando longe de vícios e desídia, consequentemente, aumentando sua renda e patrimônio adquirido pelo esforço laboral e intelectual.

7º. O grande pilar da maçonaria é o Amor Fraternal, unindo as pessoas numa grande família, que a constituem (sendo seus membros Irmãos entre si, suas esposas nossas Cunhadas e os seus filhos nossos sobrinhos), sustentando-lhes a sede de verdade, paz, de esperança e de amor, cumprindo o dever a que se acham vinculados todos os Maçons da terra, no constante crescimento interior pelo caminho da virtude. Por fim, citamos o famoso lema da maçonaria universal: “liberdade, igualdade e fraternidade”, legado este, oriundo da revolução francesa.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.