Por meio da iniciação simbólica, simples imagem e encenação da Iniciação real, a Maçonaria facilita ao Iniciado os meios indispensáveis para fazê-lo entrar na posse de todas as suas faculdades, objetivando a iluminação interior, através da qual poderá alcançar a verdade divina, a verdade de Deus e da alma e possivelmente a natureza e a essência tanto de um como de outra. E é tudo isso que constitui a meta principal do ensinamento maçônico.

Por infelicidade, porém, a grande maioria dos Maçons preocupa-se muito mais com as simples questões administrativas da Loja e dedica-se inteiramente à solução dos problemas que surgem à sua frente valendo-se apenas dos conhecimentos adquiridos no mundo profano.

E assim, por falta de estudo, o espírito maçônico e os costumes tradicionais são geralmente esquecidos quando não são mesmo tachados de obsoletos, e os conhecimentos dos Maçons limitam-se quase que exclusivamente na matéria contida nos Rituais Constituições, regulamentos e outras publicações oficiais quase sempre de fundo administrativo.

Tomamos a liberdade, no entanto, de relembrar a esses Irmãos que as atividades sociais, filantrópicas, administrativas, litúrgicas, ritualísticas e outras não passam de meros instrumentos utilizados pela Maçonaria para motivar e vitalizar as Lojas, mas, de modo algum, porém, representar-lhes os objetivos da instituição maçônica.

No ato da iniciação, os oficiais apenas conduzem a ritualística, quem realmente se inicia é o próprio neófito, imantando sua vida, com os princípios iniciáticos ou apenas se rotula externamente, ostentando o título de Maçom.

Por isso temos nas Lojas maçônicas o comportamento Esotérico e Exotérico.

Uma resposta

  1. Aquiles Xavier

    Será que algum Maçom aqui de Brasília poderia me convidar para visitar uma loja?Tenho uma grande curiosidade e sede de conhecimento.Por favor,sei que ´pe difícil,mas se tiver alguém que possa ajudar esse irmão,eu agradeço!

    Responder

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.