A Grande Loja Unida da Inglaterra publicou regras para os maçons que são liados a mesma sobre como se portar nas mídias sociais. Segue livre tradução do documento feita pelo Irmão Luciano Rodrigues e Rodrigues e depois nossas conclusões.

POLÍTICA DE MÍDIAS SOCIAIS
Plataformas de mídias sociais se tornaram canais cada vez mais populares para comunicação no século XXI. Eles fornecem maneiras de compartilhar o conteúdo com uma visibilidade ampla, e como tal, são excelentes ferramentas para compartilhar informações sobre atividades da maçonaria e dos maçons.

Contudo, como acontece com qualquer ferramenta poderosa, mídias sociais precisam ser usadas com cautela, pois o uso incorreto pode ter um impacto negativo sobre a imagem pública da Maçonaria, e, portanto, sobre a Maçonaria em si. Esta deve ser uma questão de bom senso. Esta política foi escrita para aconselhar os maçons sobre como usar a mídia social dentro do compasso do decoro.

1. EMBAIXADOR DIGITAL

É importante comentar que toda a interação que o ma- çom tem em uma mídia social pode ser visível para qualquer pessoa no mundo: enquanto é possível limi- tar a visibilidade de um posts, não é possível controlar como os outros vão reagir a elas. Um post privado pode ser facilmente compartilhado e divulgado publicamen- te por qualquer pessoa que tenha acesso a ela. Mesmo que um post original seja excluído ou editado, alguém já poderia ter compartilhado na sua forma original. No que diz respeito às mídias sociais é preocupante, tudo o que se faz ou diz é gravado de forma permanente, e não há um post realmente privado.

Atuar como um embaixador para a Maçonaria Online é parte do dever de um maçom, e está den- tro do âmbito do artigo 179 do Livro de Constitui- ções que a rma que um maçom “… tem o dever de não se envolver em atividades que podem trazer descrédito a Maçonaria”. Regras (civis e maçôni- cas) e expectativas que se aplicam a sua conduta diária aplicam-se igualmente dentro da esfera di- gital, pois comentários podem ser citados fora de contexto e usados como representatividade da vi- são da Grande Loja Unida da Inglaterra.
Abaixo está uma lista de comportamentos e tópicos para se evitar ao postar em mídias so- ciais. Estes se aplicam para contas pessoais, bem como a contas que maçons individuais po- dem gerenciar em nome de uma loja, delegacia, secretaria ou outra entidade maçônica. Eles se aplicam a qualquer maçom que é identificável como um maçom on-line, se ele está postando em canais maçônicos ou não. Esta lista não é exaustiva, mas destina-se a atuar como um guia introdutório aos tópicos ou comportamentos que não são adequados para postar a qualquer públi- co em mídia social.

Ao postar em plataformas de mídia social, um maçom não deve:

2. MELHORES PRÁTICAS
Um maçom pode compartilhar publicamente qual- quer conteúdo maçônico que contribui para uma ima- gem pública positiva da maçonaria, como o trabalho de caridade e eventos, boas causas apoiadas por Ma- çons, e informações sobre a história maçônica. Canais de mídia social também podem ser usa- dos para compartilhar informações relevantes apenas para os maçons, mas o cuidado deve ser exercido para usar um canal mais restrito, como um grupo fechado ou “secreto” no Facebook. O quadro ao lado mostra tópicos que podem ser discutidos aqui: Ao postar sobre assuntos não-maçônicos, é im- portante lembrar a aderir as orientações escritas na seção Embaixador Digital acima.

CONCLUSÕES
É muito legal ver um corpo importante como a Gran- de Loja Unida da Inglaterra tomar esse tipo de ati- tude, de forma a resguardar a imagem da instituição e evitar con itos desnecessários. Na hora de postar algo sobre qualquer assunto, eu sempre realizo aque- le exercício que já virou “chavão” nas redes sociais. Caso queiram realizar a mesma re exão antes de pu- blicarem algo, deixo as indagações para vocês tam- bém: É verdade? É útil? Vai Ofender Alguém?

Fonte: SITE MAÇONARIA TUPINIQUIM

Referências: Site Freemasons For Dummies. Disponível em Acesso em Setembro de 2016.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.