A Maçonaria Universal não impõe limites à livre investigação da verdade, sendo Ela acessível aos homens livres e de bons costumes de todas as raças e de todas as crenças religiosas e políticas.

Dos maçons regulares, a Maçonaria exige tolerância diante das imperfeições observadas em seu próximo, além de impor-lhes a condição de jamais tornar-se, voluntariamente, escravo da ignorância, da falsidade e do erro.

Entre as obrigações está a de buscar, incessantemente, pelo exemplo e pela instrução, o aperfeiçoamento Moral e Intelectual do Homem, como meio de sua identificação com o Grande Arquiteto 
do Universo.

O Maçom cultua o respeito à Pátria e a valorização da família, repugnando a violência e o preconceito, reconhecendo a solidariedade como uma obrigação de todo homem, o que para ele, Maçom, é um dever.

Para o êxito de sua missão na busca da Verdade, o Maçom sabe que terá que enfrentar no campo de batalha a falsidade e a dissimulação, tendo como arma de combate a Espada da Razão e o reconhecimento da Virtude.

Entre os obstáculos que terá que enfrentar, o maior deles é a OMISSÃO dos homens bons que, pelo comodismo se calam diante das calúnias, difamações e injúrias, notadamente, as praticadas pelos DISSIMULADOS que, para a conquista de seus objetivos tudo é permitido, onde a prática de difamar alguém, distorcer tudo o que ele diz, e, se isso não for possível, inventar o que ele não disse.

Os dissimulados e hipócritas, para atingirem seus escusos objetivos, divulgam e fazem circular, sem qualquer escrúpulo, a difamação, a calúnia e a injúria contra quem lhes seja oponente, e, pior, esses comportamentos nocivos se tornaram hábitos em nossos dias, sem causar surpresa ou repugnância.

Bons tempos aqueles em que o Maçom preferia ter a garganta cortada a dizer uma mentira, ou quebrar uma promessa.

Concluindo, ser Maçom ou não, é uma decisão pessoal e íntima, entretanto, ao ser admitido na Ordem, livre e conscientemente, compromete-se a combater o vício e a cultuar a virtude, procurando, acima de tudo, combater a omissão, o obscurantismo e os preconceitos.

E como saber se estamos preparados para essa Grande Obra?

Pensando e refletindo, desprovido de qualquer outro interesse que não seja colaborar para a necessária reflexão, apresento, a seguir, alguns questionamentos que induzem respostas sobre os ideais da Maçonaria Universal.

Primeira questão – Você está preparado, mas a Maçonaria não lhe desperta interesse suficiente ou a filosofia praticada não lhe satisfaz?

– Se a sua resposta é SIM, por certo, os nossos líderes ainda não conseguiram mostrar para você o verdadeiro sentido da ritualística maçônica, nem mesmo falaram sobre os nossos reais objetivos. Recomendo que indague um Mestre Maçom de sua confiança e que tenha conhecimentos para orientá-lo adequadamente. Não esqueça: o verdadeiro sentido da Maçonaria deve estar dentro de você, pois somos todos iguais, imperfeitos e falíveis, em busca de um objetivo comum, qual seja, o predomínio do Espírito sobre a Matéria.

Segunda questão – Você está convencido de que todos os seus esforços pessoais, toda a dedicação à Maçonaria, deve ser recompensada com outorga de graus, medalhas e títulos?

– Se a sua resposta é SIM, você poderá se decepcionar em breve, eis que, depois de galgar todos os graus possíveis e receber todas as condecorações pomposas, por certo, descobrirá que seu avental e paramentos “brilhantes” não lhe oferecem nenhuma garantia de conhecimento e predomínio espiritual.

Descobrirá, também, que a Ordem está repleta de Maçons “brilhosos” que perderam precioso tempo na ociosidade e nada conquistaram para valorizar o seu interior.

Terceira questão – Você acredita que para a Maçonaria ser poderosa é necessário ter em seu quadro homens influentes na sociedade? Que para uma Grande Loja ser forte ela precisa ter grande número de Lojas jurisdicionadas? Que para ser forte precisa ter poder político?

– Se sua resposta é SIM, você é um forte candidato a se decepcionar em breve, eis que, a Maçonaria não é poderosa pela quantidade de obreiros e, sim, pelas suas qualidades e disposições de seus membros, que priorizam a Maçonaria para todos e não todos para a Maçonaria.

A Maçonaria poderosa é aquela que possui um projeto de longa duração, discutido e aprovado pelas suas Lojas, sem individualismos e interesses superficiais.
Precisamos de Lojas participativas e fortalecidas, sem preocupação com estatísticas superficiais, sem demonstrar o falso poder pelo número de jurisdicionadas, notadamente, quando são deixadas ao marasmo.

Precisamos, sim, preparar os nossos Maçons para serem líderes, apoiando-os e exigindo, em contrapartida, que retribuam com seus trabalhos e participação ativa para a sociedade em geral.

Quarta questão – Você está preparado para defender os princípios maçônicos, mesmo sabendo que poderá ser caluniado, ridicularizado e humilhado?

– Sua resposta deverá ser SIM, eis que, somente árvores que dão bons frutos recebem pedradas, de igual forma, aqueles que mesmo diante da resistência de muitos, veementemente, defendem a Verdade, por certo sofrerão calúnias e difamações, pois a luz projetada por eles representará agressão aos olhos dos que vivem nas sombras.

Quinta questão – Você tem firme convicção de que a Maçonaria poderá transformar a sua vida e a vida de seus familiares em uma fonte inesgotável de prazer, satisfação e dádivas divinas?

– Se a sua reposta é SIM, você certamente é um bom irmão, mas está equivocado com os princípios da Ordem Maçônica, pois, mesmo sendo a Maçonaria uma ótima opção e oportunidade a ser considerada, a transformação de sua vida e de seus familiares estará condicionada ao seu esforço pessoal, mesmo contando com a Fraternidade e a união entre os Irmãos. Somente pela dedicação e estudo haverá crescimento intelectual e espiritual.

Sexta questão – Você espera que, no final de anos de estudos maçônicos, ao atingir os mais altos graus, você terá alcançado a perfeição?

– Se a sua resposta for SIM, você poderá se decepcionar, eis que, embora a única forma de se buscar a perfeição é através do estudo e aplicação dos conhecimentos, descobrirá que sempre haverá muito ainda para aprender, servindo os graus maçônicos apenas como uma honraria e distinção.

Sétima questão– Você tem desejos de um dia ser um grão-mestre e ser constantemente rodeado e bajulado pelos maçons?

– Se a sua resposta é SIM, o seu desejo poderá se realizar, mas, não se esqueça, o verdadeiro líder maçom é aquele que venceu suas paixões e desbastou a sua Pedra Bruta, irradiando sua luz, sem ofuscar os seus irmãos, praticando a liderança com amor e humildade.

Conclusão – Se depois de ler e entender o acima exposto, você ainda sente um verdadeiro desejo de ser Maçom, ótimo, você poderá, além de continuar cumprindo com os seus deveres e obrigações junto à sua Loja, unir com forças, analisar e discutir buscando soluções em prol da Maçonaria.

Exercite a humildade e una-se aos maçons que cultuam a busca da Verdade, sejam eles Aprendizes ou Mestres, importante é viver o hoje tão intensamente no bem, sem perder oportunidades, como se fosse o seu último dia no corpo.

Junte-se aos maçons, eis que, unidos seremos UM.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.