A) Desempenho Comportamental
A Loja faz parte de um contexto importante e quando organizada deve ser conduzida para altos desempenhos. Há que ser respeitada sua história e suas tradições. Guiá-la bem, resulta em uma somatória de benefícios para si e para os outros. Dirigir bem a Loja é uma arte cujo desempenho exige muitas qualidades, sacrifícios, privações, renúncias e requer ao mesmo tempo, tato para “desbastar arestas”, ou seja, para evitar a formação de áreas de atrito e descontentamento.

O Venerável é eleito para dirigir a Loja e guiar os Irmãos, ouvindo-os, deve vencer suas paixões e submeter a sua vontade, superando possíveis irritações, ímpeto de condenações aqueles que discordem de suas ideias, vencer os sentimentos negativos que só destroem a personalidade, prejudicam a saúde, corroem relacionamentos e fazem sofrer. Ciente do peso de suas palavras deve usar terminologias inteligíveis, com firmeza e objetividade, ouvir mais do que falar e reflexionar antes de expor sua opinião com convicção e serenidade.

Inicialmente, ele deve conscientizar-se que, eleito para o cargo, está, a partir de sua posse, vulnerável a críticas, favoráveis ou adversas, expressas ou veladamente, deve analisar cada uma e dentro da melhor polidez, procurar sanar as arestas, conter-se não significa alienar-se. Envolvido nos acontecimentos, não ser suscetível as fofocas, porque estas são próprias de agitadores negativistas, camuflados como cordeiros e procurar soluções e não culpados.

Um Veneralato fraco sempre passa em brancas nuvens e, é decepcionante ao quadro. A baixa freqüência e o refúgio de Irmãos no quite-placet serão sintomas da rotina e de desencanto dos que nele confiaram.

Deve lembrar-se que muitos adultos sentem-se feridos com palavras fortes, gestos violentos e olhares severos, por isso, deve amparar e ouvir seus Irmãos, guardar como segredo suas confissões e fraquezas, enaltecendo suas virtudes.

Quando em Loja, principalmente de aprendiz ou companheiro, nunca tolerar depoimentos ou divergências, principalmente de Mestres evitando dos demais o autoquestionamento: “ O que estou fazendo aqui”? E, conseqüentemente, divagar que aqueles momentos poderiam ser melhores aproveitados com a família ou um lazer com amigos.

O Venerável deve praticar a tolerância e a humildade nos momentos certos. A sabedoria está em procurar as causas das falhas e afastá-las.
Elogiar ou criticar a atitude, nunca a pessoa. Evitar comparações e trocar o “não concordo” pelo “o que você acha”?

O Venerável não pode ser radical nem arbitrário nas suas decisões. Nem tampouco, tíbio ou covarde. Tem que ser enérgico, sem descambar para o despotismo; acessível, sem descer à bajulação; tolerante, sem pusilanimidade. Para tanto, deve saber perdoar e muito mais pedir perdão, por entender que as falhas são inerentes à condição humana.

B) Missão do Venerável
Deve ser justo para com todos, como um líder inspirador, incutindo aos Obreiros os direitos e obrigações de cada um, aplicando a retidão da justiça do esquadro, do nível da Igualdade Social, para que cada Obreiro não exija nada além de seus direitos e que cumpra com suas obrigações.

Ser Venerável significa ser sábio, elevado, ter bondade para suportar o peso da responsabilidade. Precisa superar-se intelectual e espiritualmente; conquistar pelo próprio esforço a autoridade de quem já varreu a ignorância, o egoísmo e o medo que mantêm o homem num estado de inferioridade e escravidão.
E que está no cargo por merecimento; independente de títulos, diplomas e honrarias.

Na condição de dirigente e responsável pela Loja, tem o dever de preservar a Loja e de fazê-la crescer. Assim, deve fazer um programa objetivo para seu mandato. Os que ousam em direção a seus sonhos presenteiam o mundo e a si próprio com proezas memoráveis. Os que hesitam e agem timidamente, ao contrário, criam apenas mais frustrações e desilusões à sua volta. Deve ser grande nas pequenas coisas, para não se apequenar nas grandiosas.

Deve deixar que o resultado de seu desempenho fale com ele.
“O ingrediente mais importante na fórmula do sucesso é saber como se dar bem com os outros”. Uma parte dos Irmãos age sem pensar; a outra, pensa sem agir.
O Venerável age sob o comando da razão, refreia os impulsos, sem o gelo da lógica racional e a frieza da emoção, cérebro e coração atuando juntos em busca do equilíbrio e do comedimento. A avaliação não deve ser ocasional, mas uma prática constante e frequente.

Aqui vale citar: O sucesso não deve ser medido pelas culminâncias que o Venerável atinge, mas pelos obstáculos que teve de transpor para alcançá-lo. Não há vitória sem conflitos, nem arco-íris sem nuvens e temporais.

Deve contribuir para o crescimento da lealdade na Loja demonstrando verdadeira preocupação com a vida dos Irmãos fora da Loja.

C) O seu maior aliado=Deus
Há uma coisa certa com que pode contar na vida: OS DIAS DIFÍCEIS VIRÃO! A paciência da adversidade é o sinal de um coração sensível. No inverno e na dor, quase sempre esquecemos que a vida é uma série de começos e fins – então vem a primavera.

Verdadeiramente sábio, dá de sua sabedoria, de sua fé e de sua ternura, pois no orvalho das pequenas coisas o coração encontra sua manhã e sente-se refrescado.
Sua consciência incluirá o amor, a paz, o riso e a harmonia; sabe que para ter amor, é preciso dá-lo antes, se quer alegria, precisa dar alegria aos outros. As mãos servem para colocar em prática nossos princípios de Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Use a verdade com o objetivo de ajudar, jamais como uma arma de agressão ou revide. Conserve o amor como conquista mais valiosa de sua vida, repartindo-o com todos, pois tudo nesta vida é efêmero.

Dizem que o homem perfeitamente realizado é aquele que gerou um filho e plantou uma árvore. Eu me reservaria à possibilidade de acrescentar a essas verdades, o designativo: ser maçom é a realização do homem livre e de bons costumes. A excelência é ser Mestre-maçom. Porém, a glória é: ser Venerável Mestre de sua Loja!
Que os parâmetros do cargo não sejam como uma vistosa vestimenta do mais alto cargo de sua Oficina, e sim, como um lembrete de suas responsabilidades em aprender e utilizar a força, beleza e a sabedoria em defesa da Loja, a Ordem, da Pátria, e principalmente, em favor dos Irmãos. Assim, para o Venerável Mestre, cada dia será uma nova benção que Deus lhe concede, dando-lhe provas de seu amor, onde a vida se expressa, multiplicando as oportunidades de crescer, contribuindo para o progresso e a felicidade de toda a Humanidade.

Para bem desempenhar a missão e satisfazer seus compromissos, deve antes, cuidar daquilo que lhe foi confiado e que terá que passar ao sucessor em melhores condições daquelas que recebeu.

Prezado Venerável Mestre, ao assumir seu novo cargo, ame verdadeiramente a vida e ao seu próximo como a si mesmo.
Que o Grande Arquiteto do Universo lhe dê à benção, o amor, a paz e a tolerância para fazer sua parte em prol do todo, motivando o irmão a trabalhar harmoniosamente com o mesmo objetivo.

Desejamos todos acompanhá-lo com nossas preces fraternas para que conte com a colaboração de todos os Obreiros de sua Loja, e seja largamente abençoado pelo Grande Arquiteto do Universo. Pelas suas mãos, Deus fala e através de seus sonhos, sorri para o mundo. Não se ausente um minuto da presença DELE!

Sobre o Autor

ARLS Prof. Raimundo Rodrigues nº 726 GLESP/CMSB Oriente de São Paulo

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.