Meus caros irmãos, é um grande prazer escrever para vocês, e ainda mais sobre um assunto que eu tenho amor: a maçonaria.

Sou aprendiz maçom apenas há três meses e diversas transformações a maçonaria já fez no meu espírito. Sempre quando ouvia falar sobre a maçonaria ficava, no mínimo curioso como a grande maioria da população.

O primeiro contato rela que tive com a maçonaria foi através do meu hoje padrinho Armindo em que eu notava que além do vasto conhecimento espiritual que tinha era e é uma pessoa centrada e correta no que pensa e faz.

A partir desse momento comecei a pensar na ordem de uma forma mais carinhosa, pois notava que meu padrinho era e é muito especial. E a partir desse momento gostaria de ser como ele.

Fui indicado para a loja Acácia de Vila Carrão e após os trâmites que conhecemos no dia 26 de outubro de 2008 fui iniciado na referida loja. Foi um grande momento, um momento muito especial em que pude me deparar com situações que jamais havia imaginado e sentido e a partir dessa data um grande horizonte se abriu na minha vida.

São vários os momentos marcantes na iniciação, mas o que mais me marcou foram os olhares dos irmãos no momento da luz. Foi um nascimento? Sim. Mas com um diferencial dos nascimentos convencionais de todos os seres humanos, todos os irmãos lembram com exatidão o seu nascimento maçônico e quando assistem a um outro nascimento voltam ao passado um, dois, cinco, vinte anos atrás e sentem a mesma sensação especial.

Em virtude desse momento, como uma criança que acaba de nascer, tudo é novo, mas o acolhimento fraternal de nossa ordem faz com que tenhamos segurança em dar os primeiros passos no mundo maçônico.

Nas sessões que participei encontrei, sob a proteção do G.’.A.’.D.’.U.’., uma ordem, respeito às leis, trocas de informações e principalmente energia positiva e evolucionista. Como hoje maçom, posso verificar que nossa ordem tem pessoas no seu corpo muito especiais e isso só faz com que tenhamos a tranqüilidade de seguir o caminho maçônico, estudando, assimilando o conhecimento e multiplicando esses mesmos conhecimentos com novos irmãos que chegam.

Para não delongar em demasia, o que a maçonaria vem me trazendo é um crescimento de conhecimento e na vida cotidiana não deixando que meu ponto de equilíbrio fique fora do centro e isso minha família e a sociedade que vivo já notou. Conseqüentemente estou lapidando minhas arestas e sendo uma pessoa melhor, posso fazer melhor o motivo determinante da vinda a terra dos seres humanos: fraternizar.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.