POESIA


O silêncio é a voz da alma,
Ouça, pois essa sinfonia silenciosa do Universo,
Que é o ritmo da vida,
E os ecos do passado…
Mas o silêncio também
Pode ser um grito mudo
Pedindo socorro, perdão,
Amor e compreensão…
O silêncio pode ser um grito
Da solidão que sufoca…
O silêncio pode às vezes
Denunciar a fome que fere um estômago vazio
De um irmão desvalido,
De um andarilho ou quem sabe, um drogado caído
Na sarjeta da vida…
O silêncio pode denunciar uma emergência
Que somente os bons de coração
Sabem e conseguem ouvir…
O silêncio te acalma
E te recolhe à prece e à meditação
Mais profunda sobre a vida…
O silêncio, corre
E percorre ruas, avenidas,
Cidades, dá volta ao mundo
E volta ao seio da alma!
O silêncio reina no sul, no norte e no oriente
Para melhor auscultar o coração
E ao retornar, o seu espírito
Deve estar aberto para ouvir a mensagem
Que ele lhe traz de outras plagas, de outras dimensões
E quem sabe… de outras vidas…
Com o silêncio,
Você aprende e ensina…
Aprende antes de tudo
Que ele não significa solidão abstrata
E, sim, reflexão concreta do cotidiano…
Com ele se aprende a amar, a querer
E ensinar as lições de suas próprias reflexões…
Ensina você a enxergar Deus no Universo…
no Norte, no Sul
No Oriente, no Ocidente,
Em toda a sua dimensão,
Em todas as coisas, em todos os sinais
Em todos os gestos de carinho
E de amor ao próximo…
Silenciar é respeitar a saudade
De quem parte e a dor de quem fica…
Depois de meditares sobre tudo isso,
Verás que o silêncio é a prece mais completa e sublime
Que Deus nos ensinou!

Sobre o Autor

M∴M∴ ARLS Ordo Ab Chao - n° 84 Oriente de Cuiabá - GLEMT

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.