Peço a vossa sabedoria que providencie a troca para que as luzes do Átrio não fiquem em desarmonia, tendo uma de suas lâmpadas sem função nenhuma.

– Venerável Mestre, peço a palavra.

– Podeis falar, Irmão Cobridor.

– Venerável Mestre, Irmão 1º Vigilante, Irmão 2º Vigilante, Irmão etc., etc., etc., etc., etc.,…

– Irmão Cobridor, podeis falar, por favor!

– Venerável Mestre: há tempos notei, mais precisamente há um ano, que uma das lâmpadas do Átrio está queimada. Peço à vossa sabedoria que providencie a troca para que as luzes do Átrio não fiquem em desarmonia, tendo uma de suas lâmpadas sem função nenhuma.

– Justificável a sua queixa e pedido, meu Irmão, mas, como o Irmão sabe, ao Venerável cabe a presidência da Oficina e qualquer coisa que se faça, principalmente envolvendo custos que onerem os Metais da Loja, a assembleia tem que deliberar a respeito. Para isso, concedo a palavra aos Irmãos que queiram se manifestar sobre a proposta do Irmão Cobridor.

– Venerável Mestre, peço a palavra.

– Atenção, meus Irmãos. O primeiro Obreiro se manifestará a respeito da proposta do Irmão Cobridor para a troca da lâmpada queimada do Átrio. Podeis falar, Irmão Orador.

– Venerável Mestre, Irmão 1º Vigilante, Irmão 2º Vigilante, Irmão etc., etc., etc., etc., etc….

– Meu Irmão, podeis falar, por favor; meus Irmãos, vamos dispensar daqui em diante as fresc… Desculpe, os tratamentos e citações de praxe.

– Venerável Mestre, a troca de uma lâmpada queimada no mundo profano pode parecer uma coisa simples de resolver, mas não é em nossa Sacrossanta Instituição. Portanto, Venerável Mestre, peço à vossa sabedoria que nomeie uma comissão especial afim apresentar um parecer sobre a substituição da lâmpada do Átrio, considerando:
1º- saber as causas da queima da lâmpada; 2º- como retirar a lâmpada queimada sem perda fluídica que a mesma gerou em toda sua existência; 3º- como instalar a nova lâmpada sem que haja rejeição metafísica pelo desequilíbrio de fótons no ambiente do Átrio; e, finalmente, que haja o máximo cuidado com relação às origens da Lâmpada a ser adquirida.

– Bem pensado, meu Irmão. O Irmão sempre nos brinda com seus conhecimentos. Vamos escolher os membros da comissão com o máximo cuidado e informaremos sobre as suas recomendações.

– Venerável Mestre, peço a palavra!

– Ora! Muito bem. Vejo que mais um Irmão se dispõe a colaborar nesta tarefa que engrandecerá o trabalho coletivo desta Oficina. Podeis falar, Irmão Mestre Arquiteto.

– Venerável Mestre, enalteço os cuidados do Irmão que solicitou a Comissão Especial para a substituição da Lâmpada queimada do Átrio e, ressalvo, que cuidados outros especiais também devemos ter nesta tarefa técnico-mística, a saber: a logística. Temos um Irmão no quadro da Oficina que exerce a profissão de engenheiro eletricista e que poderá fornecer uma lista completa das ferramentas e outros utensílios, bem como materiais de consumo necessários à operação e o tipo da escada que, verdade seja dita, um dos símbolos mais importantes de nossa Ordem.

– Muito bem, meu Irmão. Com certeza nosso Irmão Engenheiro eletricista aceitará de muito bom grado esta gloriosa oportunidade de colaborar com seus préstimos. Só estou preocupado com esta escada. Pode ser de 33 degraus?

– Creio que não, Venerável Mestre. É muito longa e, por isso, às vezes inútil. Pediremos uma emprestada aos Irmãos do Rito Moderno, eles tinham uma escada de sete degraus, que seria o ideal. Agora, têm uma de nove, mas serve.

– Hummm… Sei não… Esse Rito é meio estranho.

– É uma questão de raciocínio, Venerável Mestre.

– Tá bom! Tá bom… Deixa isso prá lá.

– Venerável Mestre, peço a palavra.

– Podeis falar, Irmão 1º Vigilante.

– Venerável Mestre, vejo a grande importância em que está se tornando o evento e isso exige que sejam apresentadas Peças de Arquiteturas alusivas ao ato antes de sua realização. Portanto, solicito aos nossos Irmãos Aprendizes que façam uma pesquisa no Google sobre a iluminação do Templo e suas nuances, influências psicossomáticas e espirituais.

– Ora, muito bem Irmão 1º Vigilante. Irmãos Aprendizes, debrucem com todas suas forças para copiar e colar o material pesquisado sobre este magnífico tema apresentado pelo nosso Irmão 1º Vigilante, e que as Peças de Arquitetura estejam prontas antes da data marcada para a troca da lâmpada do Átrio.

– Venerável Mestre, peço a palavra.

– Podeis falar, Irmão Mestre de Cerimônias.

– Venerável mestre, estive certo dia em outra Loja de outra Obediência e notei que havia no Átrio uma lâmpada colorida. E se colocássemos uma lâmpada desse tipo…

– Venerável mestre! O Irmão Mestre de Cerimônias está tentando enxertar em nosso Templo uma lâmpada de outro Rito! Isso é um absurdo! Irá macular o nosso sacrossanto Átrio!

– Calma meu Irmão Past Master. O Irmão Mestre de Cerimônias está com a palavra, deixemo-lo falar com a devida tolerância. Podeis falar, meu Irmão.

– Bem… Venerável Mestre, de fato a lâmpada é de outro Rito, mas é tão bonitinha. Imaginei que na hora que fizermos aquele quarto de hora de preleções no átrio – que representa o purgatório de nossos pecados – pois, como todos dizem, lá deixamos tudo que é coisa ruim antes de entrarmos no Templo, poderemos acender unicamente esta Lâmpada; nela concentraremos todas as nossas paixões e vícios para lá fora as deixarmos.

– Veja, Irmão Past Master. A sugestão do Irmão Mestre de Cerimônias se justifica. Entraremos no Templo puros e limpos. E, ao sairmos e apagarmos aquela lâmpada, iremos recolher de volta tudo que lá deixamos, percebeu? Os Irmãos que aprovam que a lâmpada substituta seja… Que cor será a lâmpada, meu Irmão?

– Vermelha, Venerável Mestre.

– Os Irmãos que aprovam que a lâmpada substituta seja vermelha, fiquem como estão… Aprovado, meus Irmãos.

– Venerável Mestre, peço a palavra.

– Podeis falar, Irmão Hospitaleiro.

– Venerável Mestre, como Vossa Sabedoria disse no início deste profícuo debate sobre a troca da Lâmpada queimada do Átrio, há custos. Sugiro, portanto, que os Irmãos sejam mais bondosos em suas participações no Tronco de Solidariedade para que possamos obter a verba necessária à realização do evento. Sabemos que o produto do Tronco tem como destino o socorro às Viúvas e aqueles que batem em nossa porta em busca de auxílio mas, sabemos também, que sempre há e haverá exceções para outras necessidades que se apresentem importantes como os ágapes, a aquisição de medalhas, a confecção de diplomas e outros mimos. Por isso nada há de errado em usarmos os metais do Tronco para o evento ora em planejamento.

– Meus Irmãos, ouvistes as sábias palavras do Irmão Hospitaleiro. Assim, peço aos Amados Irmãos que não colaborem apenas com os costumeiros dois reais. Lembrem que, dependendo dos recursos obtidos, faremos uma plaqueta que, com cerimonial apropriado, será afixada no Átrio com os nomes de todos aqueles que participaram de memorável ato, sendo tudo registrado no livro da história da Loja mas, principalmente, em nossos corações. (Bateria incessante – Aplausos)

– (Depois de simular lagrimas e grande pausa para aumentar os aplausos…) Oh…meus Irmãos; não sou merecedor de tamanho louvor. Muito obrigado, faltam-me as palavras…sniff…(Mais aplausos).

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.