Templo, do latim, templum é o edifício consagrado a um culto religioso e, figuradamente, significa lugar respeitável, lugar sagrado; locais onde se reúnem os obreiros em nome do Incognoscível, o Criador de todas as coisas. É também um local sagrado onde se celebram instruções e cerimônias. Um templo Martinista, por definição, é um lugar respeitável, uma vez que o Martinismo não é um culto religioso, nem uma seita religiosa, Porém todo Martinista é encorajado a ter uma Religião seja ela qual for, assim também, é a Maçonaria que só aceita em seus quadros, homens que acreditem em um Ser Supremo.

Algumas tradições religiosas dedicam nomes específicos para seus Templos. Igreja ou Catedral no caso do Cristianismo; Mesquita no caso do Islamismo; Pagode no caso do Budismo; Pathi no caso do Ayyavazhi; Sinagoga no caso do Judaísmo; Terreiro no caso do Candomblé, Batuque, Xambá na Umbanda.

No início de sua história mística o homem usava, para as suas orações, o alto das montanhas, ou o refúgio sob as árvores de bosques e florestas. Os templos só surgiram na época em que, nos locais tradicionalmente destinados ao culto religioso, foram murados para proteção, permanecendo descoberta a parte de cima, para que, de seu interior, fosse possível ver os céus, já que, desde os primitivos tempos, considera-se que é nos céus que residem os deuses. E isso não é estranho, quando se considera que os primeiros Deuses da humanidade eram os astros visíveis no firmamento (Sol, Lua, Mercúrio, Marte, Vênus, Júpiter e Saturno).

Os primeiros templos surgiram na Mesopotâmia, “terra entre rios”, situada entre os rios Tigre e Eufrates, mais precisamente entre os sumerianos, por volta do IV milênio […]

  • Angelo Omar da Silva

    Muito inteligente a matéria, somos verdadeiros templos, basta usar nossos conhecimentos para bem e para o próximo.

    abraços

    Angello Omar