O que estamos fazendo reunidos na Loja Maçônica? É a oficina de lapidação moral e intelectual humana? E qual nosso desígnio?
Tudo tem que ter um objetivo nesta vida.

A oficina intelectual e moral Maçônica, onde o nosso objetivo é vencer as paixões, submeter a minha vontade, fazer progresso na Maçonaria, construindo templos as virtudes e masmorras ao vício, combater, matando e exterminando a ignorância, o preconceito e o erro.
E é só malho e cinzel que vai comendo as pedras brutas.

Para vencer as minhas paixões o primeiro passo (vícios) é necessário o sacrifício, vontade de mudar, persistência, firmeza, mudança de vida, matar o homem velho e uma nova vida com o homem novo (Sr. PAULO DE TARSO A DOIS MIL ANOS, já brigava consigo mesmo e dizia: o que eu quero eu não posso, o que posso eu não quero.) é recomeçar, renascer ou seja nascer de novo, pois quero mudar, a vida como estava, não estava boa, quero uma vida melhor, mais feliz, pois sei que mudando, o mundo vai ser melhor. Não quero mudar, vai doer, dói.

E é só malho e cinzel que vai comendo as pedras brutas.
Para mudar é necessário que eu submeta a minha vontade, o segundo passo, que não é fácil, pois estávamos acostumados a outra vida, e mudar de vida é um sacrifício danado como todos nós sabemos, pois usar os prazeres da vida sem moderações, faz no final a taça ficar muito amarga. Podemos ser afastados ou retirados da sociedade muito bruscamente, ou da própria vida. E se eu conseguir submeter minha vontade, direi igual a PAULO DE TARSO: combati o bom combate, mantive a fé.
E é só malho e cinzel que vai comendo as pedras brutas.

Estou fazendo o terceiro passo, que é o progresso na Maçonaria: uma vida livre do sofrimento, sem dependências, sem escravidão, livre e de bons costumes, construindo templos ás virtudes e as masmorras ao vício (o quarto passo). Esses templos são: Novos Irmãos, Demolay, Filhas de Jô, Escudeiros, Loja de Perfeição e Capítulo Rosa Cruz.

Para construir exige esforço, muito sacrifício e responsabilidade, pois não existe progresso sem sacrifício de quem pode dar. Este que está disposto a construir, mas sem ser obrigado, e sim porque quer, pensando em fazer feliz a humanidade.
E é só malho e cinzel que vai comendo as pedras brutas.

Agora já posso combater a ignorância, que é o quinto passo, tendo conhecimento de causa, sem ter pré-conceito, que é o sexto passo, pois tenho conhecimento, não julgo sem saber com pré-conceito, achando que estou certo, que minha vontade tem que sobrepor a todos por imposição, achando que eu que mando, e não a assembléia de irmãos.

Se não sou mais ignorante de conhecimentos, não tenho mais pré-conceito, se não sou mais preconceituoso, respeito as opiniões, as religiões e as raças, não vou errar, que é o sétimo passo, e não deixar de fazer o bem, pois deixar de fazer o bem é pior que fazer o mal.
E é só malho e cinzel que vai comendo as pedras brutas.

Se fizermos pelo menos estes sete passos, estaremos caminhando para sermos bons aprendizes, e poderemos ser bons companheiros, chegando a ser até venerados mestres. Geralmente estes Irmãos são atacados, caluniados, encarcerados e até mortos, mas ficam para sempre na História como precursores de tempos novos, de benéficas reformulações sociais, de valiosas conquistas no campo moral, da ciência, da Arte, situando-se, não raro, como autênticos representante da Maçonaria.
O Verdadeiro reformador é aquele que jamais desce á agressividade, reconhecendo que nenhum ideal nobre se realizará em plenitude sob orientação da violência, e que jamais as forças do Bem se corporificarão na Terra senão através daqueles que se disponham a agir com bondade, como verdadeiros irmãos.

ESTE É UM BOM CAMINHO PARA SER UM bom APRENDIZ
E é MALHO E CINZEL que vai comendo as pedras brutas.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.