CERIMÔNIA DE GEMINAÇÃO E ALIANÇA DE AMIZADE ARLS Mount Moriah no 3327 e Caridade III no 0294 “Cruz da Perfeição Maçônica” São Paulo, 14 de Agosto de 2017

Para contarmos a história de nossa loja va- mos nos embasar nas pesquisas dos saudo- sos irmãos José Maria de Campos, Mário Araújo Junior, Alexandre Milani Filho e do historiador e jornalista irmão Renato Ferreira de Camargo, para conhecermos um pouco da Maçonaria de Tatuí e da Loja Caridade III, baseados em documentos históricos da Loja Maçônica Perseverança III, de Sorocaba, Loja Firmeza de Itapetininga, do Livro de Matrícula da Loja Maçônica Estrela do Sul, de Tatuí e outras dezenas de documentos. Para entendermos sua formação, temos que re- lembrar que a primeira Loja Maçônica fundada no Estado de São Paulo foi a de Porto Feliz, no dia 19 de agosto de 1831, com o título de Loja Maçônica Inteligência, liada ao Grande Oriente do Brasil.

À 13 de maio de 1832, o maçom José Augusto Menezes, com um representante da Loja “Inteligência” de Porto Feliz e mais alguns maçons vindos do Rio de Janeiro, fundaram a Loja Maçônica “Amiza- de” em São Paulo, sendo a primeira Loja Maçônica da capital paulista, á qual foi conferido poderes para fundar Lojas no Estado de São Paulo, sendo por isso, considerada a Loja Mãe da Maçonaria Paulista. Em 12 de Agosto de 1833, maçons das duas lojas já citadas, ou seja: Loja Inteligência de Porto Feliz e Loja Amizade de São Paulo, liderados pelo maçom Antônio Rodrigues da Costa, fundam em Tatuí, a loja Maçônica Caridade III.A partir desta data e durante 41 anos a Loja Cari- dade III, manteve-se em franca atividade social, política e religiosa, destacando-se que em 1844, o padre maçom Jesuíno Ferreira Prestes, em Tatuí radicado, reza a primeira missa na Capela Santa Cruz.

Em 1873, por decreto imperial, vem para a nossa cidade o Ir∴ Vicente de Paula Gomes e Silva, membro da Loja Constância ao Oriente de Sorocaba sendo ele o 1° tabelião de nossa comarca. Como podemos perceber, ao longo da história, os maçons sempre ocuparam cargos de vital importância para a sociedade da época. Em 1874, no dia do aniversário da Caridade III, em 12 de agosto, a loja recebe o seu Breve constitutivo de regularização junto ao Grande Oriente do Brasil. A história da Maçonaria em Tatuí é como um oceano, ora em estado de calmaria, ora em estado de turbulências, mas sempre fazendo prevalecer os ideais de Igualdade, Fraternidade e Liberdade; Liberdade essa, que em maio de 1875, devido a forte pressão religiosa, todos os irmãos da Caridade III lançam um manifesto em favor da “Liberdade de Consciência” e a Loja abate as suas colunas… Morreu o ideal?

Não, jamais. Em 11 de outubro de 1875, ressurge neste oriente outra loja com a denominação de “Regeneração”, a qual veio a abrigar os maçons remanescentes da Caridade III e fez parte de outras tantas lojas espalhadas pelo Brasil, conhecidas como Lojas Republicanas.E foi o republicano Antônio Moreira da Silva, membro da Loja Constância e Perseverança de Sorocaba e Firmeza de Itapetininga, quem fundou a im- prensa em nossa cidade no dia 29 de agosto de 1878. Em 1879 o irmão João Feliciano da Costa Ferreira organiza em sua residência o “Gabinete de Leitura Tatuhyense” onde os irmãos da Loja regeneração discutiam os ideais de uma nascente e futura República.

Em 1880, no velho prédio onde abrigou a Loja Caridade III, os irmãos organizaram a “Sociedade Recreio Dramáticos”, dando origem ao “Teatro São João”, nome esse em homenagem ao padroeiro da maçonaria. Finalmente em 1889 era proclamada a República e o Irmão Antônio Moreira da Silva, republicano de primeira hora é homenageado pelo povo de Tatuí. Um ano após a proclamação da República, em 1890 a Loja Regeneração abate colunas. A missão estava cumprida, o Brasil era República.

Em 1895 os ânimos voltam a se acirrar em Tatuí surgindo a necessidade de uma firme atuação política e a busca de novas lideranças, onde então, com grande apoio da Loja Firmeza de Itapetininga, vários tatuianos são iniciados maçons, ressurgindo com todo vigor a Maçonaria em nosso Oriente. Em 25 de agosto de 1901, maçons liderados pelo irmão coronel Cornélio Vieira de Camargo, erguem as colunas da Loja Maçônica “Estrela do Sul”, a qual foi sucessora da Loja Regeneração, que já tinha sido sucessora da Caridade III, mantendo nessas lojas, ao longo dos anos, o ideal maçônico iniciado pela Caridade III. Membros desta nova loja fundam o clube Democrata, que posteriormente se chamou Clube Tatuhyense.

Um dos nobres momentos desta Loja se deu em 1903, quando um grande surto de hanseníase acometia a cidade de Tatuí e os maçons da “Estrela do Sul” unidos e resolutos fundaram a “Sociedade Protetora dos Morféticos”, construindo um hospital na antiga chácara do Dr. Emílio Ribas, onde hoje está situado o Lar Donato Flores. Fundaram também a Escola Noturna Estrela do Sul, para alfabetizar os operários que trabalhavam em Tatuí, principalmente na indústria têxtil. Em 1908, o irmão Coronel Cornélio Vieira de Camargo é eleito Deputado Estadual por Tatuí, tendo uma atuação importante na política, mas muito breve, pois em 1911 veio a falecer, deixando a Loja Estrela do Sul sem sua principal liderança, o que leva ao abatimento de colunas em 1915. De 1915 a 1950 os maçons de Tatuí ficaram esparsos, mas sempre atuantes na política, no ensino, na saúde. Em 1953 um grupo de maçons liderados pelos irmãos Mário Araújo Júnior e Zezito Marques reer- guem as colunas da Caridade III, sendo o irmão Zezi- to Marques o seu primeiro venerável.

A Loja Maçônica Caridade III teve como reer- guedores de colunas os irmãos José Marques Júnior, Quintino Ferreira Pacheco, José Pereira Vieira João
Gambale, Francisco Del Fiol, Rafael Gandara Fonseca e Mário Araújo Júnior. Com esses irmãos incisou- -se a fase mais atual da Caridade III, que dia de hoje completa 64 anos de reerguimento das colunas e o seu primeiro iniciado foi o irmão Gilberto Arlindo Pyles. Sempre voltado para os problemas sociais de Tatuí, os membros da Loja Caridade III, do Centro Espírita Cairbar Schutel, e outros idealistas de nossa cidade, re- solvem colocar em prática os pensamentos e a vontade do irmão Donato Rafael Flores; que era dar abrigo a crianças desamparadas de Tatuí. A idéia da fundação de um Lar em Tatuí foi do irmão Donato Rafael Flores, que iniciou a redação de um estatuto, não tendo tempo de concluí-lo, pois veio a falecer em 9 de novembro de 1960.

Falecendo o idealizador, os irmãos não deixaram a ideia ser esquecida, e veio então a ser fundado o Lar Donato Flores, em 30 de janeiro de 1961. No dia 7 de março de 1964, às 16 horas, á sombra da mangueira que ca defronte á casa n° 134, da Avenida das Mangueiras, então residência do professor Ma- rio Araújo Júnior e sua esposa, professora Olga Ferraz Araújo, foi constituída uma diretoria provisória para tratar da construção do Lar Donato Flores, tendo como seu 1o presidente o Ir∴ José Simões de Almeida. A diretoria colocou mãos á obra para arrecadar fundos. Conseguiram muitas doações, mas boa parte do dinheiro necessário para a construção do Lar Donato Flores foi conseguida pelo trabalho voluntário de irmãos e de muitos idealistas da época. Terminada a construção do imóvel o lar deu início á sua finalidade, acolhendo as primeiras crianças em janeiro de 1970. Em seguida passou a abrigar crianças e adolescentes do sexo feminino até o ano 2002. Hoje o Lar Donato Flores, em seus 2 programas, Lar Espaço Feliz e Aprendiz, assiste 225 adolescentes de ambos os sexos. Sendo que a meta estipulada em conjunto com o MP é de atingir a meta de 300 até o m de 2018.

O Lar Donato Flores recebeu prêmios nos anos 2010 e 2011 colocando-os entre as melhores instituições – lantrópicas do Brasil. O Grande Oriente do Brasil também concedeu ao Lar Donato Flores o título de “Entidade de Utilidade Pública Maçônica”.

Durante todos esses anos, na administração do Lar sempre tivemos a presença dos irmãos da Caridade III e atualmente também temos a imprescindível participação dos irmãos da Loja Maçônica União Fraterna, dileta lha da Caridade III, e também grandes aliadas nesta causa, as demais lojas da cidade que independente de ritos e potências, sempre se colocam ombro a ombro na condução de atividades que proporcionam renda e consequente manutenção de suas atividades. O Lar Donato Flores foi e é obra de grandes ide- alistas. Em nosso pleito de gratidão há mais de uma centena de irmãos, cunhadas e profanos que lá trabalharam e ainda trabalham. Ao mesmo tempo em que se construiu o edifício do Lar, também foi construído o Templo atual da Caridade III, por outro grupo de abnegados irmãos. Outra obra de inspiração maçônica atualmente dirigida pelos irmãos da Caridade III e por outros idealistas de nossa cidade foi o Conselho Social da Comunidade, hoje denominado Centro de Orientação e Serviços à Comunidade, o COSC, fundado em 7 de dezembro de 1963, tendo como seu idealizador o Deputado Orlando Iazetti, que pudesse zelar e cuidar dos carentes do nosso município. Essa idéia frutificou e o COSC passou a ter em sua diretoria, desde a fundação até os dias de hoje, irmãos da Caridade III. Em continuidade a sua missão, o COSC em seus 54 anos de trabalho foi adequando seu atendimento conforme as necessidades apresentadas onde são atendidas 140 crianças, adolescentes e seus familiares. A eles são oferecidas orientações sobre relacionamento familiar, atividades sócio-educativas, lazer, esporte, encaminhamento ao mercado de trabalho, dentre outras. O COSC, desde a sua fundação totaliza cerca de 130 mil atendimentos prestados. Esse número aponta a importância do trabalho que vem sendo oferecido e o esforço de irmãos e voluntários que dedicam seu tempo visando à e ciência e efetividade do mesmo.

Vinte e cinco de outubro de 1996, os irmãos da Caridade III fundam uma nova Loja Maçônica em Tatuí, motivada não pela divisão e sim pela União e pela Fraternidade. Nascia a Loja Maçônica União Fraterna também sob a égide do Grande Oriente do Brasil, para fazer nascer novos maçons, novos idealistas para conosco vivermos uma nova era, um novo tempo. Juntos, ao nosso lado, tanto no COSC, como no Lar Donato Flores e em outras atividades, contamos com a imprescindível e insubstituível ajuda de nossas esposas, que através da Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul, atuam de forma abrangente em nossa comunidade. E dessa forma, os maçons, seus familiares e seus amigos vão participando e colaborando em todas as atividades da nossa cidade. Em épocas passadas, muitas vezes a maçonaria precisou de um grande herói para levar os seus ideais para frente. Hoje, a maçonaria precisa de mais que um grande herói, ou seja, precisa de milhares de pequenos heróis como vocês, como nós, que em uma somatória de esforços e sob a benção do Grande Arquiteto do Uni- verso, que é Deus, levaremos à nossa família, à nossa cidade, ao nosso estado, ao nosso país e finalmente ao mundo, os ideais maiores da Maçonaria que são: FRATERNIDADE entre os povos; IGUALDADE entre as nações; LIBERDADE para toda humanidade. Obrigado e que o G∴A∴D∴U∴ nos abençoe nesta missão.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.