Já foi dito que, para começar uma longa caminhada, é necessário dar um primeiro passo, e o primeiro passo para treinar a fala é falar diante do espelho, de preferência do espelho do banheiro de sua casa. Conte uma anedota para si mesmo em frente ao espelho, falando em voz alta, pronunciando bem cada uma de suas palavras; fale sem pressa, sem afobação, como se estivesse conversando com um grande amigo; a seguir, declame uma poesia como se estivesse em uma roda de amigos (sugerimos a anedota e a poesia inseridas no capítulo V).

Antes, é claro, tome algumas precauções básicas: avise todos os que estiverem em casa que vai treinar o seu “curso de oratória”, para que eles não o internem num hospital psiquiátrico.

A maioria das pessoas está acostumada a se mirar no espelho apenas para “observar” a sua aparência pessoal, pentear o cabelo, escovar os dentes e expremer uma espinha no rosto; os homens, além disso, o utilizam para se barbear; as mulheres, para se depilar.

A partir de agora, utilize o explêndido recurso do espelho para descobrir quem é voce. Lembre-se do que dizia Pitágoras, a mais de 2.600 anos atráz:

“Homem, conhece-te a ti mesmo…e assim conhecerás os deuses e o universo !”

O autoconhecimento principia na auto-observação. Experimente sorrir ao espelho, franzir a testa, gargalhar, suplicar, rezar. Depois, comece a prestar atenção nos seus gestos, na inclinação de sua cabeça, no seu modo de olhar.

Faça esses exercícios várias vezes ao dia, durante vários dias.

Procure, entre os seus livros, aquele texto que você tanto gosta e leia-o, em voz alta, diante do espelho; e mais que ler, esforce-se para interpretá-lo, tal como fazem os atores; afinal, bem poucas diferenças há entre o ator e o orador; o primeiro decora textos, o segundo cria-os.

Após todos esses exercícios passe para a segunda fase, que é a leitura e interpretação de um texto em frente a um espelho grande, de corpo inteiro (sugerimos a leitura dos textos apresentados mais adiante, nos capítulos V, VI e VII). Proceda assim:

Abandone o banheiro, onde treinou seus primeiros passos, e vá para o espelho de corpo inteiro de seu quarto ou de seu guarda-roupa e, lá, passe a discursar e observar atentamente a sua postura e gesticulação. Fale e ande ao mesmo tempo. Imagine que você está diante de uma grande plateia, portanto, não fixe o olhar em um único ponto… mas passeie com os olhos ao redor de seu público imaginário. Finalize o texto com emoção e agradeça às palmas recebidas. Esse exercício deve ser repetido sempre, tanto na fase de aprendizado quanto no futuro, na ocasião em que você já se considerar um bom orador. Na véspera de um discurso ou de uma palestra, até mesmo grandes e consagrados oradores o fazem.

E para finalizar, aqui está o grande segredo da desenvoltura de um orador:

Quando estiveres treinando, aja como se uma multidão te observasse…e quando te dirigires a uma multidão, aja como se estivesses treinando, a sós.

Deixar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado.